Nesta terça-feira publicarei, por volta das 11 horas, uma proposta que elaborei como sugestão para a divisão das cotas de tevê. Ela levará em conta o mérito esportivo e também a audiência dos clubes no Campeonato Brasileiro. Convido-o(a) desde já para ler e dar sua opinião.

Veja os melhores momentos de Internacional 1 x 0 Santos. Repare no último lance do jogo, quando Leandro Damião podia bater de esquerda e tentou ajeitar para a direita, perdendo a chance do empate:
http://youtu.be/am5karU7PV8

Meu amigo, a impressão que tive é a de que o Santos poderia jogar mais dois dias e duas noites e ter um ou dois jogadores a mais do que o Internacional e mesmo assim não faria um gol sequer na defesa do time gaúcho. A equipe que mais vazou as redes adversárias na história, vive uma fase de impotência total.

E olhe que, por decisão do técnico Oswaldo de Oliveira, nenhum titular jogou no meio da semana contra o Londrina. Portanto, o time estava descansado, bem treinado e, evidentemente, otimamente alimentado, já que o restaurante do CT do Santos é o melhor da cidade (como a invejável barriga do técnico comprova). Enquanto isso, o Internacional jogava pela segunda vez na semana.

Na quarta-feira, usando nove jogadores que voltaram a atuar ontem, o Inter havia perdido para o Ceará, no mesmo Beira-Rio, por 2 a 1. Ontem, porém, parecia que os jogadores colorados é que tinham descansado durante a semana, pois correram mais, se empenharam mais e procuraram mais o gol.

Depois de dominado no primeiro tempo, o Santos começou um pouco melhor no segundo, e ainda teve a sorte de Paulão ser expulso por reclamação, deixando o time gaúcho com um jogador a menos. Porém, segundos depois da expulsão do jogador do Inter, a bola é centrada na área do Santos e o que acontece? Adivinha?

Mesmo com dez jogadores na área, contra apenas três do Inter, os santistas conseguiram deixar Rafael Moura completamente livre, e este pôde subir com liberdade e cabecear para o chão para abrir o marcador, aos 11 minutos.

Ainda dava tempo para empatar e virar, mas eis que minutos depois Mena é expulso, em uma clara compensação do árbitro. De qualquer forma, havia mais espaço e um time mais descansado certamente saberia explorá-lo para chegar ao gol…

Ledo engano. O Santos faz o tic-tac pra trás e em câmera lenta. O Inter se defendia sem levar susto. Faltando 15 minutos para o fim, Oswaldo de Oliveira pôs Leandro Damião e Geuvânio nos lugares de Gabriel e Rildo. Melhorou? Quase nada.

Geuvânio ainda não percebeu que se ele está entre três jogadores adversários e a linha lateral, ocupando algo em torno de um metro quadrado, o melhor é recuar a bola, ou tentar o cruzamento, nunca ir pra cima da defesa contrária. Mas ele sempre tenta o drible, algo que nem Garrincha tentaria, e invariavelmente perde a bola.

Quanto a Damião, é inacreditável, mas aquele que custou a maior fortuna já paga por um clube brasileiro a um jogador de futebol, não tem o pé esquerdo. Na verdade, ele tem. Para ir ao shopping, passear na praia e outras trivialidades, mas não para fazer gols, que é o que mais interessa a um centroavante. Pois em cima da hora o rapaz recebeu um passe que faria qualquer atacante meia-boca estufar as redes, mas tentou ajeitar para chutar com o pé direito e produziu mais uma de suas bizarrices.

A derrota mantém o Santos em sexto. Não está tão longe do G4, mas jogando desse jeito não vai chegar lá. Outra triste constatação é a de que o time não demonstra a mínima personalidade quando joga fora de casa. O jogo chegando ao fim e os jogadores sem pressa, como se a derrota fosse a coisa mais normal do mundo.

E você, o que achou do desempenho do Santos contra o Inter?