Lance no lixo

O Jornal Lance está divulgando uma pesquisa dizendo que todo brasileiro torce por um time, mesmo os recém-nascidos. Foram ouvidas apenas sete mil pessoas de não se sabe quantas cidades. O resultado é de um empirismo total, já que a margem de erro é de imensos 1% para cima ou para baixo, o que pode mudar a posição anunciada de todos os times a partir do terceiro colocado.

O Santos mais uma vez foi prejudicado, com sua torcida colocada em décimo lugar, atrás de clubes regionais como os dois do Rio Grande do Sul e os dois de Minas Gerais. Por aí já se percebe que a pesquisa não teve a abrangência que deveria ter. De qualquer forma, a margem de erro (1%) pode colocar o Alvinegro Praiano em quinto lugar, à frente do Vasco, posição que seria mais condizente com a realidade do futebol brasileiro.

O primeiro absurdo é não levar em conta que cerca de 40% dos brasileiros não torcem para time algum, porcentagem que aumenta a cada ano. Para a pesquisa, todos os brasileiros têm um time, até mesmo os recém-nascidos. Diz a matéria do Lance: “Como em todas as outras edições da pesquisa, o Flamengo lidera o ranking. Desta vez tem 16,2% de preferência, o que equivale a 32,5 milhões de rubro-negros no país, tendo como base a estimativa do IBGE de 2013, cuja população brasileira é de 201 milhões de pessoas”.

Confira a matéria do jornal Lance sobre a “pesquisa”

Se esta pesquisa estiver correta, ao menos com relação aos índices de Flamengo e Corinthians, então o Flamengo tem 19,4 milhões de torcedores, e o Corinthians 16,3 milhões, já que no máximo 60% dos brasileiros, ou 120 milhões, torcem por um time. Pesquisas comprovam que 40% dos brasileiros não torcem para time algum. Portanto, fica mais do que evidente que essa história de 40, 30 milhões é uma balela alimentada pela mídia.

Quer dizer que pegaram a população do Brasil, simplesmente calcularam 16,2% dela, incluindo bebês, idosos, todas as mulheres, estrangeiros, homossexuais, religiosos… e chegaram ao total da torcida do Flamengo? Então, é só nascer no Brasil e já ter um time? Brincadeira… E querem que o torcedor, o leitor do Lance, leve essa pesquisa a sério? Nem que fosse um idiota completo.

Outra informação do Lance sobre a pesquisa diz que “além disso, este estudo ganha relevância por ser realizada (sic) com jovens entre 10 e 15 anos, o que não ocorre em outras pesquisas. Dessa forma, o Lance! Ibope indica as tendências de crescimento e queda das maiores torcidas do país.”

Aqui o texto é confuso. A pesquisa toda foi realizada com jovens de 10 a 15 anos, ou eles também foram ouvidos? E quantos deles foram ouvidos e de que cidades do Brasil? Isso não se diz. É estranho o Santos não estar muito bem colocado entre os jovens, pois o time comandado por Neymar e Paulo Henrique Ganso passou três anos ganhando no mínimo dois títulos por ano, entre eles uma Libertadores, enquanto o Atlético/MG ganhou uma Libertadores e já pulou seis posições?

Neste link abaixo há mais informações sobre a pesquisa e a possibilidade de comentá-la. Ela diz que na faixa etária de 55 anos para cima o Santos é o quarto, atrás de Flamengo, Corinthians e São Paulo. Até aí, repete exatamente o que vemos na Timemania. Mas na faixa de 10 a 15 anos a pesquisa coloca o Santos no décimo-quinto lugar, atrás de Bahia e Vitória, empatados em sétimo; Sport, em décimo, e Santa Cruz, em décimo-quarto. Pela pesquisa, o Santos tem apenas 440 mil jovens de 10 a 15 anos torcendo por ele em todo o País. Pelo jeito, um dos motivos para aumentar a torcida entre os adolescentes é deixar o time cair para a Segunda, ou Terceira Divisão. Ser gozado pelos colegas na escola faz aumentar a torcida. Outra estranha curiosidade é que aparecem dois times de Pernambuco na frente do Santos. Pergunta-se: que peso deve ter sido dado à população de Pernambuco, sabendo que Recife tem uma população de 1.599.513 pessoas, menor do que a Baixada Santista.
Mais informações sobre a “pesquisa” do Lance

Há menos de uma semana citei Émerson Gonçalves, estudioso do marketing esportivo e dono do blog “Olhar Crônico Esportivo”. Ao analisar os resultados da pesquisa muito mais abrangente da Pluri Stochos do ano passado, ele escreveu:

“Muito provavelmente, a presença da torcida do Santos na sexta colocação é um dos primeiros sinais da fase Robinho/Diego. Ainda é prematuro falar em efeito Neymar, uma vez que o universo pesquisado foi o de brasileiros com 16 anos e mais de idade. O crescimento da torcida provocado pelo atleta começará a aparecer nas pesquisas em 2015 ou 2016, sempre considerando o mesmo universo etário dessa pesquisa. Caso o Ibope realize nova pesquisa nacional considerando o público de 10 anos e mais de idade, acredito que o resultado de Neymar já seria visível nesse ano mesmo.”

Como se vê, o analista previa o crescimento da torcida do Santos entre os mais jovens, e o Lance vem com essa pesquisa dizendo que a torcida do Santos caiu de sexto para décimo? É difícil acreditar. A não ser que a margem de erro funcione 100%. Ou seja: o Santos não tenha 2,4% do total, e sim 1% a mais, ou 3,4%, enquanto o Vasco, quinto colocado, não tenha 3,6% e sim 2,6%. Isso deixaria o Alvinegro Praiano em quinto lugar, atrás apenas de Flamengo, Corinthians, São Paulo e Palmeiras, o que seria bem mais plausível.

As cidades em que essas pesquisas são feitas também são muito importantes para o resultado final, pois as capitais, sempre ouvidas, são os maiores redutos dos times locais (Grêmio, Inter, Cruzeiro, Atlético/MG), mas a Baixada Santista, região em que o Santos tem a maioria dos torcedores, nunca é ouvida. E tem mais habitantes do que Porto Alegre. Por aí se vê que o furo é grande.

Porto Alegre tem 1.467.823 habitantes e Belo Horizonte tem 2.479.175. São os redutos dos times grandes desses Estados. Okay. Mas o Santos não é um time de capital. Seu reduto, a região onde tem um percentual maior de torcedores é a Baixada Santista, que possui 1.765.277 habitantes. Não consultar as cidades da Baixada e consultar Porto Alegre e Belo Horizonte já deixa o Santos em grande desvantagem.

O que eu quero dizer é que uma pesquisa de torcidas no Brasil não pode ser concentrada apenas nas capitais dos Estados, pois a conta não fecha. Tudo bem que o Santos tenha muitos torcedores em São Paulo, mas para efeito de torcida sua capital é a Baixada Santista e esta região tem de ser consultada em toda pesquisa de torcidas no País, só que ela não é consultada nunca. É como se tirassem Porto Alegre dos gaúchos, Belo Horizonte dos mineiros, São Paulo dos times grandes do Estado e o Rio de Janeiro dos clubes cariocas. Todos eles perderiam muito. É o que ocorre com o Santos pelo fato de a cidade de Santos e a região da Baixada Santista, estranhamente, não entrarem nas pesquisas. E só na Baixada moram 500 mil santistas.

Baixada Santista, nove cidades que, somadas, têm mais do que a população de Porto Alegre. Aqui a torcida do Santos reina. Só que nunca é ouvida nas pesquisas de torcidas de futebol. Por que será?

O engraçado é que nenhuma enquete que vejo entre jovens torcedores coloca o Santos abaixo de sexto lugar no País. Agora mesmo entrei no IG e lá estava o ranking da torcida virtual, com o Santos em sexto lugar, com mais de 8.000 votos, número superior ao total de pessoas consultadas na pesquisa do Lance. Enfim, mais uma pesquisa furada, sem critério nem abrangência.

Porém, de nada adianta brigarmos para que essas pesquisas de torcida sejam bem feitas e retratem a verdade do tamanho das torcidas de futebol do Brasil, se o santista não der demonstrações de grandeza. Por isso, volto a convocar os santistas e os blogueiros do Santos em particular, para divulgarmos o jogo que o time fará no Pacaembu, dia 6 de setembro, sábado, às 18h30, contra o Vitória. A partida encerrará o turno. Não vale nada em especial, mas seria legal se os santistas comparecessem em grande número ao Pacaembu mais uma vez. Para incentivar o time e calar a boca de alguns gênios do achismo.

E você, o que achou dessa pesquisa do Lance?