Santos novamente é o terceiro mais votado na Timemania

No teste 610 da Timemania, da última quinta-feira, com nada menos de 1.833.300 apostas de habitantes de 65% das cidades do País, o Santos teve 67.888 indicações como o “time do coração”, apenas 8.368 a menos do que o segundo colocado.

1º FLAMENGO RJ 87.947 4,78
2º CORINTHIANS SP 76.256 4,14
3º SANTOS SP 67.888 3,69
4º SAO PAULO SP 62.661 3,4
5º GREMIO RS 52.659 2,86
6º PALMEIRAS SP 52.211 2,84
7º VASCO DA GAMA RJ 48.223 2,62
8º INTERNACIONAL RS 47.630 2,59
9º CRUZEIRO MG 46.132 2,51
10º BOTAFOGO RJ 42.132 2,29

robinho contra quatrorobinho contra ralphrobinho pronto para o driblerobinho contra dois
É, Robinho não preocupou a defesa adversária. E pode apostar que o tal do Neto é um comentarista isento (Fotos: Ricardo Saibun/ Santos FC)

O site Ludopédio é um dos melhores e provavelmente o mais bem escrito, sério e imparcial a tratar de futebol no Brasil. Ao contrário de sites e blogs que fingem ignorar o que falamos por aqui, o Ludopédio está publicando a proposta que idealizei para uma nova divisão de cotas de tevê que impeça a espanholização do futebol brasileiro. Por favor, deem o link e divulguem essa publicação do Ludopédio:

Site Ludopédio publica nossa proposta de divisão de cotas anti espanholização

Se é só o que interessa à Globo, vamos falar de Ibope?

Temos provado que o caminho da meritocracia é o melhor não só para o futebol brasileiro, mas para qualquer futebol de qualquer país. A única linguagem que o torcedor realmente entende e respeita, mesmo quando seu time é derrotado, é a do mérito. Porém, a Rede Globo, que hoje manda no nosso futebol, não vê assim. Para ela, representada nas reuniões pelo inquisidor Marcelo Campos Pinto, o Torquemada do nosso futebol, o que vale é o Ibope. Deu audiência, está tudo certo e o clube merece ganhar muito mais dinheiro do que outros, mesmo que mais competentes, mesmo que campeões. Pois bem…

Se para a Rede Globo só interessa o Ibope, e não o futebol, proporcionado pelos clubes, no próximo post falarei detalhadamente dele, com informações precisas e documentadas. Por hora, sem ter ainda o Ibope consolidado do jogo de ontem, posso afirmar, como já tinha previsto, que a audiência foi das melhores deste Campeonato Brasileiro. Graças ao Robinho e ao Santos.

O alvinegro da capital, que no domingo passado tinha dado apenas 13 pontos contra o Coritiba, desta vez, dividindo as atenções com o Santos (e Robinho), atingiu a média de 16,1 pontos na Globo e mais 5,0 na Bandeirantes, em um total de 21, com picos de 20,3 na Globo e 5,8 na Bandeirantes, em um share total, somando as duas emissoras, de 44% dos televisores de São Paulo ligados no clássico da Vila Belmiro.

Isso deixa super evidente, mais uma vez, que Ibope não depende só de um time, mas também de seu adversário e das atrações do mesmo. Alguém duvida que a volta de Robinho e a grande rivalidade entre os dois alvinegros explicam o interesse pelo confronto? Pois estou compilando informações para um artigo mais detalhado. Espere e verá que a diferença do Ibope do Santos para os dois privilegiados é muito pequena para justificar uma discrepância tão grande no pagamento das cotas de tevê.

http://youtu.be/0dHTr9Ik5SI

Muitos, acostumados a ouvir os analistas de resultados, que mudam de opinião a cada minuto, vão ler este título e dizer que sou santista demais. Mas não, estou sendo apenas justo com o time que mesmo com um jogador a menos durante todo o segundo tempo, teve mais oportunidades para marcar, chegou mais vezes à grande área do adversário e acabou perdendo o jogo numa cobrança de escanteio ao final da partida.

E Robinho? Ágil, inteligente e habilidoso como sempre, foi o destaque do jogo. Tanto, que sozinho exigiu dois ou três adversários na sua marcação e mesmo assim criou ao menos três chances claras de gol. Ele e Lucas Lima se entenderam bem. Creio que essa dupla ainda dará muitas alegrias.

Mas, então, se o Santos foi tão bem, por que perdeu? Bem, creio que nem é preciso dizer que a expulsão de Alison, ao final do primeiro tempo, desequilibrou as forças. Em qualquer clássico, que normalmente já é equilibrado, se um time fica com um jogador a menos, está condenado no máximo a conseguir o empate. Jogar todo o segundo tempo com um 10 jogadores sobrecarregou todos eles e acabou provocando a saída, por cansaço, de Leandro Damião, Thiago Ribeiro e Robinho, justamente três dos mais experientes.

Uma pena que os que entraram – Alan Santos, Geuvânio e Rildo – não tenham mantido o mesmo rendimentos do titulares. Mesmo assim, o Santos teve momentos de supremacia no segundo tempo e não merecia perder a partida. A ausência de Alison, um jogador esforçado, mas afoito, acabou decidindo o clássico. Ou ele revê sua maneira de jogar, ou ainda prejudicará o time outras vezes.

Quanto ao adversário, tocou bem a bola e buscou pressionar nos últimos 15 minutos de jogo, mas a impressão que se tinha é que só poderia chegar ao gol em uma bola centrada sobre a área, o que acabou acontecendo aos 38 minutos do segundo tempo, com um escanteio aproveitado pelo zagueiro Gil.

É de se lamentar, finalmente, a atuação parcial de Rafael Claus. Viu o que quis e fez vistas grossas ao que não queria ver. Infelizmente, para os santistas, viu mais de um lado do que de outro. Expulsou Alison por triscar em Elias, mas nem deu falta em uma joelhada de Ferrugem nas costas de Lucas Lima, em lance igualzinho ao que fraturou as costelas de Neymar na Copa. No final, quando Rildo buscava levar o Santos ao seu último ataque, não viu outra falta de Ferrugem, em um carrinho que não pegou porque o santista saltou. Será que Rildo tinha de deixar o outro lhe quebrar as pernas para sofrer a falta?

Confira nesse vídeo o lance da expulsão de Alison e, aos 4min58s, o momento em que o árbitro é empurrado por trás, intencionalmente, pelo jogador Petros. Que o árbitro, nem o trio de arbitragem, tenham punido o jogador, é muito estranho. Mas ao menos que, vendo o filme, a comissão de arbitragem da CBF tome as medidas cabíveis:

No mais, os jogadores do alvinegro da capital e seu técnico, Mano Menezes, parecem ter ido à Vila Belmiro com a estratégia de reclamar de tudo e pressionar o árbitro, torcendo para que ele se perdesse e passasse a favorece-los. Na minha opinião, a manobra deu certo. OU arrumavam confusão e depois entrariam com pedido para interditar a Vila, ou intimidariam o árbitro, que foi o que ocorreu.

Agora o Santos está mais distante do G4 e ainda terá jogos difíceis pela frente até o final do primeiro turno. Mas pelo jogou, mesmo com um jogador a menos, contra um dos times considerados pelos críticos um dos melhores do País (?), pode esperar melhor sorte nas próximas partidas.

O Santos jogou com Aranha, Cicinho, David Braz, Bruno Uvini e Zé Carlos; Alison, Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Rildo), Leandro Damião (Alan Santos) e Robinho (Geuvânio). O público foi de 12.329 pessoas e a renda de 12.329 pessoas. O melhor do time foi Robinho, mas Arouca e Lucas Lima também jogaram muito bem.

Confira os melhores lances do jogo:
http://youtu.be/AmEwYSSDkak

E você, o que achou de Robinho, do Santos e do clássico?