Como se esperava, o Cruzeiro foi pra cima do Santos no começo do jogo, e essa pressão inicial resultou no gol de Willian, aos 11 minutos, depois de uma rebatida errada de David Braz. Após um primeiro tempo sem inspiração, o Santos criou coragem no segundo e criou ao menos três boas oportunidades para marcar, a melhor delas com Robinho, que não jogou bem. Mesmo pressionado, o Cruzeiro teve um gol mal anulado em um contra-ataque. No final, a derrota por 1 a 0 obviamente é ruim, mas deixa o Santos com boas possibilidades de conseguir a classificação na próxima quarta-feira. Vamos ver se a Vila é mesmo milagrosa.

Um detalhe do jogo no Mineirão é que o Santos melhorou com as entradas de Jorge Eduardo no lugar de Rildo; Leandro Damião no de Serginho e Serginho no de Gabriel. Lucas Lima melhorou muito na segunda etapa e Geuvânio fez falta. Além de Robinho, Gabriel voltou a decepcionar. Apenas 25.714 torcedores pagaram para ver o jogo, que teve renda de R$ 1.029.363,00. No Maracanã, o Flamengo venceu o Atlético por 2 a 0.

Veja os melhores momentos do jogo:

Casamento Laor/Teixeira não resistiu à noite de núpcias

Um dia depois de comemorarem as uniões das suas chapas, que concorrem à presidência do Santos, Modesto Roma, apadrinhado por Marcelo Teixeira, e Fernando Silva, apoiado por Luis Álvaro Ribeiro, o popular Laor, anunciaram o divórcio por incompatibilidade de ambições. Roma não aceitou ser vice de Silva. As plataformas, na verdade, pouco importam. Os dois grupos querem mesmo é assumir novamente o poder no Santos.

Importante: nas eleições para presidente do clube, em 6 de dezembro, quem quiser votar em São Paulo deve alterar seu domicílio eleitoral. Isso pode ser feito pelo site ou na subsede do Santos na capital, à Alameda Santos, 700, primeiro andar, telefone (11) 3506-3200. Até ontem, 300 sócios adimplentes tinham feito essa mudança. Nas últimas eleições, cerca de mil sócios votaram em São Paulo, na sede da Federação Paulista de Futebol.

Se você já analisou as propostas de todos os candidatos, se decidiu por apoiar a chapa Santos Vivo, de José Carlos Peres, e tem mais de cinco anos como associado do clube, fique sabendo que pode concorrer a uma vaga no Conselho do Santos, tornando mais efetiva sua participação nos destinos do Alvinegro Praiano. Para saber como se faz, envie e-mail para mim no endereço odir.cunha@uol.com.br

Enderson sabe que dá para vencer

Durante muito tempo o Santos se acostumou a, fora de casa, jogar pelo empate. Era uma estratégia acomodada e preguiçosa, que está mudando com o técnico Enderson Moreira. Na Copa do Brasil o time venceu Grêmio e Botafogo jogando no campo do adversário e hoje pode fazer o mesmo diante do Cruzeiro, às 22 horas, no Mineirão, pela primeira partida da semifinal da Copa do Brasil.

O técnico santista sabe que em um campo com as dimensões e a segurança do Mineirão, o visitante só joga acuado se quiser. Só mesmo o fator psicológico pode influir para que o Alvinegro Praiano, que descansou sete titulares no fim de semana, não se apresente bem contra o líder do Campeonato Brasileiro. Ganhar não se pode prometer, mas jogar bem, sim.

Sem Geuvânio, machucado, o Santos deverá jogar com Aranha, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Rildo, Robinho e Gabriel. É uma boa formação, mas os atacantes terão de dar o primeiro combate na saída de bola do Cruzeiro e também ajudar o meio de campo, ou o Santos poderá sofrer forte pressão e gol(s) do Cruzeiro logo no início do jogo, como ocorreu no Brasileiro.

O time de Minas deverá ser escalado por Marcelo Oliveira com Fábio, Myke, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; William e Marcelo Moreno (ou Júlio Baptista). Mesmo sem grandes craques, o Cruzeiro deve ser considerado favorito pelo maior entrosamento e por crescer nos grandes jogos. Mas o time não tem jogado tão bem as últimas partidas.

A arbitragem será de Marcelo de Lima Henrique (RJ – Fifa), auxiliado por Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Rodrigo F. Henrique Correa (RJ). É muito carioca para o meu gosto, mas fiquemos quietos e esperemos para ver que apito tocarão. A partida será transmitida pela Globo para São Paulo e Minas Gerais. Hoje é dia de fazer exceção e ver a Globo.

Há dois anos, com show de Neymar, foi assim:

E você, o que espera do jogão em Minas?

Lucas Lima fala do jogo decisivo contra o Cruzeiro

Laor e Marcelo Teixeira se unem. Pelo poder

Ao ser eleito, Luis Alvaro Ribeiro execrava Marcelo Teixeira, seu antecessor, para ele símbolo do retrocesso e da estagnação do Santos. Teixeira, por sua vez, sempre foi um crítico contumaz da administração temerária de Laor. Agora, porém, ambos estão unidos com o único objetivo de assegurar a vitória de seus protegidos nas eleições presidenciais no Santos, em 6 de dezembro. Laor apoia Fernando Silva e Marcelo Teixeira é o padrinho de Modesto Roma, mas desde segunda-feira à noite as duas chapas são uma só.

Fiquei sabendo desta infeliz coligação, que poderia ser batizada como “Balaio de Gatos”, nesta manhã. O Lancenet informa que o delegado Nico Gonçalves e o secretário de esportes de São Paulo, Celso Jatene, convenceram Fernando Silva a se juntar à chapa de Rominha, que foi convencido por Marcelo Teixeira a aceitar o acordo.

Silva sairá como candidato a presidente, com Rominha como vice; cada um terá direito à metade do conselho deliberativo e metade do conselho gestor. Como se fossem Portugal e Espanha, traçaram o seu Tratado de Tordesilhas para dividir o Santos, ou o que restará dele.

Depois de tudo o que já falaram um do outro, não é apenas surpreendente, mas é profundamente triste que Laor e Marcelo Teixeira concordem com a união das chapas que apoiam, em algo que querem batizar como uma frente única de oposição, que na verdade é uma frente única pelo poder a qualquer custo.

Que ideologia, que plataforma pode sobreviver em um bando de adversários que agora se darão as mãos, como mercenários que entrarão na batalha de olho no butim?

Fico feliz que José Carlos Peres, convidado a fazer parte dessa pantomima, recusou veementemente qualquer conchavo com esses dois grupos. A proposta da chapa “O Santos que a gente quer”, da Ong Santos Vivo, é clara, transparente, e não permite esses acordos eleitoreiros que não ficam nada bem em um clube que precisa mesmo é de muito trabalho e criatividade para sair do buraco.

Como ficarão os conselheiros que acreditaram nas propostas desses dois adversários que viraram parceiros na calada da noite? Metade desses conselheiros será defenestrada, para que a metade da outra chapa componha o conselho. Que desrespeito!

Bem, sei que a candidatura de José Carlos Peres seguirá, límpida, segura, determinada, em busca do Santos transparente, competente e honesto que a gente quer. Aos interessados em se engajar nessa luta de bons santistas, meu e-mail continua à disposição: odir.cunha@uol.com.br

Creio que a cada dia o santista está tendo uma ideia mais definida de quem está se candidatando à presidente do Santos por ter um plano de gestão definido, planejado, ético e uma enorme e desinteressada motivação de poder promover mudanças positivas e importantes no clube, e os que querem o poder simplesmente pelo poder.

O que você achou da união de Laor e Marcelo Teixeira?