Como muitos brasileiros, eu achava que política era coisa que cheirava mal. Não tinha e não tomava partido, não discutia, não queria nem saber. Mas uma eleição não se ganha com low profiles. Acho que muita gente que queria a mudança no Brasil não se empenhou suficientemente para que ela ocorresse e o resultado esta aí: a obrigação de viver mais quatro anos governados pelo partido cujo programa principal é se manter no poder. Se o Aécio tivesse prometido a “Super Bolsa Família” certamente teria vencido, mas aí já viraria a brincadeira do, literalmente, “quem dá mais.”

O mesmo pode ocorrer com as eleições presidenciais do Santos Futebol Clube, se ficarmos esperando que, naturalmente, o santista escolha o melhor candidato. Os eventos, a participação nas mídias sociais e a própria estruturação da chapa, com o número regulamentar se candidatos ao conselho, são detalhes importantes no processo. Não fique alheio a ele.

Para mim, você sabe, o mais gabaritado – profissional e pessoalmente – para dirigir o nosso Santos, é o José Carlos Peres, atual CO do G4 Paulista, meu parceiro no trabalho que impediu o esquecimento definitivo de seis títulos brasileiros do Santos. Mas talvez você goste mais de outro, ou esteja indeciso e queira saber mais sobre cada um. Fique à vontade. Pesquise. Há farto material na Internet sobre os candidatos José Carlos Peres, Fernando Silva, Modesto Roma, Orlando Rollo e Nabil Khaznadar.

Aliás, vejo como algo muito positivo esse grande número de candidatos. Creio que nenhum clube tenha tido uma eleição tão concorrida. Isso é bom, pois mostra a força da democracia, mas, ao mesmo tempo, pode transformar a eleição santista em uma incógnita e acabar elegendo alguém despreparado para ocupar cargo tão importante.

Por isso, se você já escolheu seu candidato e está convicto de que ele é o melhor para o Santos, divulgue sua candidatura, ajude a chapa a se fortalecer para as esperadas eleições de 6 de dezembro. Não espere que o melhor, naturalmente, saia vencedor. Em eleição, nem sempre isso acontece.

E se você apoia José Carlos Peres para presidente, tem mais de cinco anos como associado do clube e quer concorrer a uma vaga para o Conselho do Santos, envie e-mail para odir.cunha@uol.com.br com breve currículo e o seu número de sócio. Vamos fazer a nossa parte, vamos apoiar de verdade a quem sabemos que é o melhor para o Santos, para, depois, não lamentarmos o que poderia ter sido feito e não foi. Vamos entrar nessa briga juntos, com a garra e a determinação de lutar pela vitória que sempre pedimos aos jogadores do Santos. Abraço!

Peres e o sonho realizado do Octa
Quando José Carlos Peres assumiu o púlpito para, em uma reunião do Conselho do Santos, em 2007, anunciar que os títulos brasileiros conquistados pelo Alvinegro Praiano na década de 1960 seriam unificados, poucos acreditaram. Um ano depois fui engajado no projeto e seguimos a luta, finalmente recompensada em dezembro de 2010. Este filme abaixo mostra o momento em que o Peres falava ao Conselho e representa apenas um dos relevantes trabalhos que ele prestou ao Santos. Alguns outros: criação da Ong Santos Vivo e do prêmio anual de mesmo nome, que premiava os santistas de destaque em várias áreas; lançamento e patrocínio do programa diário do Santos na Rádio Trianon, com apresentação de José Calil; produção e distribuição de um boletim diário sobre o Santos a centenas de milhares de pessoas, incluindo milhares de jornalistas; organização e gerenciamento da subsede do Santos em São Paulo, para a qual cedeu um imóvel próprio; lançamento da primeira grande campanha de sócios do Santos, em São Paulo; descoberta do jogador Gabriel, levado ao Santos sem nenhum custo para o clube e nenhum rendimento ao Peres; criação do G4 Paulista, depois de um almoço em que conseguiu reunir, no CT Rei Pelé, os presidentes dos grandes de São Paulo… Bem, vou parar por aqui. Se o Peres fez tudo isso sem ter um cargo executivo, imagine o que poderá fazer se for o presidente dos santistas e puder montar uma equipe afinada com sua filosofia de trabalho … Agora veja o vídeo:

Que tal entrar na briga pelo seu candidato a presidente do Santos?