damiao e odilio
Damião e Odílio cochicham após assinarem o pior negócio do futebol brasileiro

Estamos aqui dando ideias ao presidente eleito Modesto Roma, tentando adivinhar o que pensa o técnico Enderson Moreira e os jogadores recentemente contratados pelo Santos, mas a decisão mais importante para o clube e para o santista virá da cabeça do magistrado da 4ª Vara do Trabalho que julgará o caso Leandro Damião.

Como se sabe, o rapaz, cujo caráter sempre elogiamos, apesar de sua péssima performance em campo, acabou nos surpreendendo negativamente ao entrar na Justiça do Trabalho e requerer não só os salários atrasados, mas também o seu desvinculamento do Santos Futebol Clube, o que significará, caso ganhe a causa, tirar do clube toda e qualquer possibilidade de recuperar sequer um centavo do vultoso investimento de R$ 42 milhões feito para a compra de seu passe.

Os simplistas dirão: cumpra-se a lei. Mas os grandes juristas sabem que se todas as pendengas fossem resolvidas exclusivamente pelas letras frias da lei, as injustiças proliferariam. É preciso analisar caso a caso, usando, além da lógica jurídica, o bom senso e o coração. Há muitos aspectos a se ponderar no caso de Leandro Damião, que não é tão simples como parece.

É relevante saber que o preço pago pelo Santos pelo passe do atacante vendido como grande artilheiro, R$ 42 milhões, representa a maior transação entre dois clubes nacionais. Portanto, não se trata de uma operação comum de compra e venda de jogadores. A verdade é que o Santos assumiu um risco tremendo ao fechar o negócio.

Outro detalhe importante é que quem assumiu esse risco não foi a direção atual, dirigida por Modesto Roma, que está sendo processada, mas a anterior, dirigida por Odílio Rodrigues, que assinou o negócio e agora assiste de camarote o desenrolar de uma situação crítica que ele, seus diretores, mentores e conselheiros criaram.

É preciso que fique claro que até esses atrasos de salários, todos de responsabilidade da gestão de Odílio Rodrigues – aquela que viu o seu representante, Nabil khaznadar, ser o último colocado entre as cinco chapas que concorreram à presidência –, o jogador estava recebendo correta e generosamente do Santos, auferindo um salário de R$ 650 mil por mês, ou seja, 824 salários mínimos.

Como a renda média do cidadão brasileiro, em 2014, foi de R$ 2 mil mensais, isso quer dizer que, em um único mês no Santos, Damião recebeu o equivalente a 325 salários de seus compatriotas. O detalhe é que angariou este valor por nove meses consecutivos, antes dos atrasos. Outro detalhe é que Damião tem recebido ótimos salários desde 2009, quando se tornou titular do Internacional de Porto Alegre e passou também a ser seguidamente convocado para a Seleção Brasileira. Ou seja, dos jogadores brasileiros que jamais saíram do País, está entre os dez mais bem remunerados. Pode parar de trabalhar hoje e será rico pela vida inteira. Portanto, não passa fome e nem tem qualquer problema financeiro, como alegou ao entrar com o pedido contra o Santos na Justiça.

Terceiro detalhe: Damião veio para o Santos com um problema no púbis não divulgado por seus empresários e nem por ele. Com isso, ficou três meses sem poder manter uma seqüência normal de partidas, mas recebendo seus salários normalmente. Propaganda enganosa? Não sei, mas o certo é que foi vendido como um jogador em plenas condições e estava machucado.

Quarto detalhe: Mesmo depois de aparentemente recuperado da contusão no púbis, seu rendimento técnico no Santos foi constrangedor. Contratado para ser o principal atacante do time, marcou apenas 11 gols em 11 meses, média de um gol por mês. Ou seja: a cada seis jogos do Santos, Damião marcou uma vez. Acabou na reserva de Gabriel, um garoto de 18 anos.

Quinto detalhe: Se ganhar a causa, Damião poderá comemorar 2014 como o ano em que jogou menos e pior e mesmo assim mais ganhou dinheiro, pois terá tido um rendimento, só de salários, de R$ 8 milhões. O Santos, por sua vez, não só pagará os atrasados, com juros e correção monetária, como terá de arcar com o empréstimo de R$ 42 milhões feito junto a Doyen Sports (1% ao mês, em euros) e ainda não terá a possibilidade de reaver um centavo do enorme capital investido, pois o passe de Damião não lhe pertencerá mais.

Ou seja: Caso o juiz dê ganho de causa ao jogador, todo o ônus ficará para o Santos, ou melhor, para a diretoria que acaba de ser eleita no clube, e todo o bônus para um jogador que fracassou durante a temporada de 2014, boa parte dela passada no departamento médico; para seus empresários, intermediários e todos aqueles que auferiram lucros, direta ou indiretamente, com esse estranho negócio.

Odílio e seus diretores precisam ser ouvidos

Esse julgamento de Leandro Damião é tão sério para o futuro do Santos, que o clube deveria exigir oitivas do presidente Odílio Rodrigues, de seus diretores e das pessoas responsáveis pelo negócio com a Doyen. O intermediário Renato Duprat também precisa ser ouvido.

Pior negócio já feito na história do futebol brasileiro, a compra do passe de Leandro Damião precisa ser muito bem explicada. O Santos não pode ser o único prejudicado nessa pantomima. A gestão anterior do clube foi irresponsável e incompetente; Leandro Damião não mostrou 10% do que seus empresários prometeram e ainda veio com problemas clínicos. Por que só o Santos – leia-se gestão atual – será punido?

Por que é preciso seguir a fria letra da lei? Mesmo que esta lei favoreça uma única pessoa já milionária e seus assessores, e ao mesmo tempo prejudique uma comunidade de milhões de brasileiros que têm no futebol sua principal diversão e têm no Santos uma fonte de alegria e amor?

Não! O justo seria obrigar o pagamento dos atrasados, claro, mas ao menos manter o passe do jogador vinculado ao Santos, dando a este a possibilidade de ainda reduzir um pouco o grande prejuízo que teve neste malfadado negócio, fechado, irresponsavelmente, pelo senhor Odílio Rodrigues & Cia.

Nota da Associação de Veteranos do Santos

A Associação dos Veteranos do Santos FC iniciou uma campanha em prol do nosso associado Dalmo Gaspar, que se encontra hospitalizado, necessitando de ajuda financeira. Para isso, iremos sortear uma camisa autografada do Santos FC no final de fevereiro.

Até lá, você poderá ajudar depositando na conta abaixo qualquer valor. Depois de ajudar, você precisa enviar um e-mail para santosfc-masters@hotmail.com e receberá, em seguida, alguns números para participar do sorteio, por meio da Loteria Federal.

Seguem os dados:

• Banco Santander (033)
• Agência: 0040
• Conta-corrente: 01-002507-3
• Favorecido: Dalmo Gaspar e/ou Ana Paula Gaspar
• CPF: 131.134.968-53

Veja a apresentação de Ricardo Oliveira, que tem sido considerado a melhor contratação, até agora, da administração Modesto Roma:

E agora veja o primeiro gol de Ricardo Oliveira na sua volta à Vila:

E você, como julgaria o caso Damião?