Como sabemos, saiu a tabela do Campeonato Paulista e o Santos mandará todas as suas partidas na Vila Belmiro. É óbvio que isso reduz as possibilidades de faturamento do clube em uma hora em que qualquer tostão não pode ser desprezado. Estou aqui tentando entender porque o presidente Modesto Roma e a diretoria de futebol optaram por fazer o time jogar apenas no Urbano Caldeira.

Parece que a ascensão do Audax, que foi mais rápido e se inscreveu primeiro para jogar na Capital, impediu o Santos de atuar em São Paulo neste Paulista. Um passarinho me contou isso, mas não quero acreditar que um clube que chegou às últimas seis finais consecutivas do campeonato tenha sido passado para trás por um estreante na competição.

Além de o Pacaembu manter uma média de público no mínimo 60% maior do que a Vila, um estádio mais amplo faria com que mais sócios se animassem a comprar ingressos, o que possibilitaria algumas promoções e uma divulgação maior do clube. Até porque o marketing do Santos precisa abandonar definitivamente o hábito de folgar em dia de jogo, pois, para mim, é o mesmo que restaurante fechar na hora do almoço.

O dia de jogo é a oportunidade ideal de se ver e ouvir os santistas, fazer enquetes, divulgar e vender produtos, atrair novos associados. Não dá mais para o clube negligenciar esse momento tão importante.

Mas de volta aos jogos do Santos no Paulista, creio que com bons argumentos e alguma diplomacia seria possível fazer com que a Federação Paulista desse a Santos e Ituano, repetição da final de 2014, o privilégio de ser o jogo de abertura de 2015, no mesmo Pacaembu, o que, para usar uma expressão da moda, agregaria valor à partida.

E se em São Paulo não fosse possível marcar mais jogos, devido, repito, à concorrência do poderoso Audax, que o Santos recorresse ao Interior, onde costuma atrair grandes públicos. Por que não se pensou em São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Presidente Prudente, por exemplo? Por que ficar restrito a um estádio que o tornou o clube de menor média de público na Série A do Campeonato Brasileiro?

Enfim, estas são as perguntas que farei a Modesto Roma e aos responsáveis pelo futebol do Santos quando os vir. Mas já fica o recado.

E você, o que achou de o Santos jogar só na Vila?