Gabriel
Com a bola, Gabriel geralmente abaixava a cabeça e tentava fazer a jogada sozinho. Esse individualismo irritou a torcida (Ivan Storti/ Santos FC).

Foi como se o jogo não valesse os mesmos três pontos conquistados contra o Palmeiras, por exemplo. Ao contrário daquele time vibrante, concentrado, que se entregou em busca da vitória no último clássico jogado na Vila Belmiro, o Santos enfrentou o São Bento em ritmo lento, como se estivesse treinando e a vitória viesse normalmente. Porém, o bom esquema defensivo do time de Sorocaba e duas falhas individuais – de Vladimir e David Braz – acabaram resultando em um empate de 2 a 2 péssimo para o Santos e péssimo para o Campeonato Paulista, pois o confronto com o Corinthians, no próximo domingo, que poderia definir a primeira colocação desta chave, agora só valerá pela rivalidade.

O técnico Marcelo Fernandes resolveu escalar todos os titulares. A única ausência foi a de Robinho, na Seleção Brasileira. Lucas Lima e Geuvânio, mesmo pendurados com dois cartões amarelos, foram para o jogo. Mas, desta vez, repetindo a atuação contra a Ponte Preta, nenhum dos dois jogou muito bem. Lima ainda armou vários ataques, mas Geuvânio só conseguiu participar de uma boa jogada no cruzamento para o gol de Gabriel. Provavelmente com Lucas Crispim e Thiago Ribeiro o time teria sido mais aguerrido, não porque esses jogadores sejam melhores, mas porque quereriam mostrar serviço e não jogariam preocupados em não levar o terceiro cartão amarelo.

Com cinco pontos a menos do que o Corinthians, o Santos, na prática, não tem mais chance de ser o líder desta fase de classificação. Agora, o desafio do técnico Marcelo Fernandes e da comissão técnica é manter o ânimo dos jogadores para o clássico do próximo domingo, no Itaquerão. Um fato que pode ser motivador será tentar quebrar a invencibilidade do adversário neste Campeonato Paulista. Mas se o time entrar com o pé mole, como fez contra Ponte Preta e São Bento, levará uma bela sapecada.

Atuações dos santistas

Vladimir: Falou no primeiro gol do São Bento ao ficar grudado embaixo da trave. Falhou de novo ao ficar no meio do caminho em outro cruzamento no segundo tempo. Não passa segurança nas bolas cruzadas para a área. Ao menos contra o Rio Claro, na última rodada, o técnico deveria testar Gabriel Gasparotto. 3.
Vitor Ferraz: Caiu um pouco com relação aos últimos jogos, mas manteve o rendimento mediano. 5
David Braz: Estava só rebatendo. Falhou no segundo gol do São Bento, ao escorrer na hora de fazer o corte. Ele e Werley deixaram o jogador do São Bento cabecear livre no primeiro gol. 4
Werley: No mesmo nível de David Braz. 5.
Zeca: Altos e baixos. No todo, merece um 5.
Lucas Otávio: um bom reserva. Não pode ser titular. Falta-lhe jogo e personalidade. 5.
Renato: Regular. 5.
Lucas Lima: Prendeu demais a bola, mas na maioria das vezes por não ter para quem passar. 5.
Geuvânio: Deu o passe para o segundo gol. Criou pouco. 4.
Ricardo Oliveira: Brigou, fez o gol de pênalti, mas no todo deixou a desejar. desta vez, só vai receber um 4.
Gabriel: Fez um gol, levou vantagem sobre o seu marcador do primeiro tempo, mas perdeu oportunidades por enfeitar demais a jogada. Entrou em atrito com a torcida. 5.

Técnico Marcelo Fernandes: Faltou-lhe ousadia. Podia ter aproveitado o fato de Lucas Lima e Geuvânio estarem pendurados para testar outras formações e jogadores. Não quis correr riscos contra o humilde São Bento, na Vila, e acabou perdendo a chance de jogar pela liderança no Campeonato Paulista no próximo domingo. No mais, não teve culpa, pois o Santos perdeu a vitória por erros individuais. 4.

As substituições do Santos foram feitas apenas nos últimos 15 minutos de jogo, quando os jogadores entram sem tempo de fazer nada de especial. Mesmo assim, gostei da determinação de Lucas Crispim e Thiago Ribeiro. Elano também entrou em campo.

Santos 2 x 2 São Bento
Vila Belmiro, 29/03/2015, domingo, 18h30

Público: 5.149 pagantes. Renda: R$ 106.920,00.

Arbitragem: Flavio Rodrigues de Souza, auxiliado por Vicente Romano Neto e Fausto Augusto Viana Moretti.
Cartões amarelos: Lucas Otávio e Gabriel (Santos).

Santos: Vladimir; Vitor Ferraz, Werley, David Braz e Zeca; Lucas Otávio (Elano), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Lucas Crispim), Gabriel (Thiago Ribeiro) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Marcelo Fernandes.
São Bento: Henal; Alex Reinaldo, Wanderson, João Paulo e Marcelo Cordeiro; Éder, Serginho Catarinense, Renan Teixeira (Xandão) e Renan Mota (Chico); Giovanni e Nilson
Técnico: Paulo Roberto Santos.
Gols: Renan Teixeira, de cabeça, livre, aproveitando escanteio, aos 10 minutos, e Ricardo Oliveira, cobrando pênalti, aos 14 minutos do primeiro tempo; Éder, aos 12 minutos, e Gabriel aos 22 minutos do segundo tempo.

Arbitragem: Flavio Rodrigues de Souza, auxiliado por Vicente Romano Neto e Fausto Augusto Viana Moretti.
Cartões amarelos: Lucas Otávio e Gabriel (Santos).

Veja os melhores momentos do Santos, segundo a SantosTV:

E você, o que achou de Santos 2 x 2 São Bento?