Ricardo Oliveira
Torcida foi ao CT apoiar o último treino antes da final (Ivan Storti/ Santos FC)

Robinho é dúvida para o jogo deste domingo, às 16 horas, no estádio do Palmeiras, o primeiro da decisão do título paulista de 2015. Porém, mesmo sem ele, que tem um edema muscular, o Santos poderá fazer uma boa partida e conseguir, no mínimo, o empate.

Se Robinho não puder jogar, provavelmente o técnico Marcelo Fernandes colocará o experiente Marquinhos Gabriel em campo, guardando o rápido e definidor Gabriel para entrar no segundo tempo. Outras dúvidas são Valencia e Gustavo Henrique.

Sem Valencia, creio que Lucas Otávio poderá dar conta do recado. o rapaz é um ótimo ladrão de bolas. E se Gustavo Henrique ficar de fora, o garoto Paulo Ricardo deverá fazer o seu quarto jogo no time profissional do Santos. Confio nesses garotos e acho que jogarão tranqüilos e se darão bem.

Mesmo sem esses titulares, a espinha dorsal do time permanecerá praticamente intacta, com o goleiro Vladimir, o zagueiro David Braz, os laterais Victor Ferraz e Chiquinho, os meio-campistas Renato e Lucas Lima e os atacantes Geuvânio e Ricardo Oliveira. Isso deverá manter a equipe equilibrada, mesmo nos momentos mais tensos da partida.

Um amigo do blog ainda lembrou que nas finais do Campeonato Paulista de 1978 o Santos foi perdendo titular após titular e chegou ao jogo decisivo, contra o São Paulo, com cinco reservas – Flávio, Antonio Carlos, Zé Carlos, Toninho Vieira, e Claudinho – que se tornaram sete quando Pita torceu o tornozelo e foi substituído por Rubens Feijão, e o zagueiro Neto também cedeu o lugar a Fernando.

Pois mesmo sem titulares experientes como o goleiro Vitor, o zagueiro Joãozinho, o volante Clodoaldo, o meia Ailton Lira e o atacante João Paulo (sem contar Pita e Neto, que começaram a partida, mas tiveram de sair), o Santos buscou o primeiro título sem Pelé, diante de 80 mil pessoas que lotavam o Morumbi em uma quarta-feira à noite.

Portanto, é claro que titulares fazem falta, ainda mais do nível de um Robinho, mas o bom ambiente e o sabor do desafio podem fazer milagres em jogadores motivados, que encaram a chance de entrar em um jogo desses como uma grande oportunidade para suas carreiras.

Sem contar que Marcelo Fernandes, caso não possa escalar Robinho, tem a opção de incluir mais um jogador no meio, Elano ou Leandrinho, e atuar com Geuvânio e Ricardo Oliveira à frente, adiantando Lucas Lima quando o time retomar a posse da bola.

Pelo lado palmeirense, não acredito que Valdívia será poupado. Talvez o chileno não esteja cem por cento, mas não deixará de jogar essa partida decisiva para o seu clube. E espero que Marcelo Fernandes arme um esquema para neutralizar as assistências e arrancadas de Valdívia, um dos poucos craques em atividade no futebol brasileiro.

Minha previsão? Como um pugilista que busca a ofensiva desde o soar do gongo, o Palmeiras deverá pressionar o Santos no começo, e se o Alvinegro Praiano ficar só nas cordas, certamente sofrerá o nocaute. O ideal é já entrar bem esperto e aproveitar toda oportunidade de contra-ataque. Quem toma a iniciativa, abre a guarda e pode sofrer uns contragolpes de vez em quando. Assim deverá ser o jogo do Santos.

Para mim, Robinho vai jogar


Robinho foi ao CT e fez exercícios leves (Ivan Storti/ Santos FC)

Pelo que me lembro dos meus tempos de repórter no Jornal da Tarde, uma contusão como a de Robinho – edema na coxa – pode ter uma recuperação de apenas cinco a seis dias caso seja do tipo mais leve. Aposto nisso, pois Robinho saiu de campo logo que a sentiu e, pelo jeito, é a mesma que já o atrapalhou antes e exigiu menos de uma semana para o seu tratamento.

Aposto também que ele vai jogar porque mesmo que não tenha 100% de sua mobilidade e velocidade, ainda assim Robinho pode – com sua experiência e visão de jogo – criar boas jogadas, liderar o time em campo e assustar os adversários.

Caso tenha sido uma contusão menos grave, como imagino, talvez o incomode muito pouco, mesmo que não esteja totalmente curada. Nesse caso, ele poderia iniciar a partida para ver até onde poderia ir. Como Marcelo Fernandes pode fazer três substituições, arriscar uma com Robinho não será nenhum desperdício. Em um caso bem mais grave, Leão colocou Diego para jogar apenas um minuto na final do Brasileiro de 2002, lembram-se?

Clique aqui e entenda mais sobre edema muscular, nesta boa matéria do blog de Jafé Alves.

Entrevista de Marcelo Fernandes:
“Sabemos que o Palmeiras virá pra cima, mas o Santos não ficará acuado”

Santos e Unicef, tudo a ver:

História: como foi a decisão de 1959:

Museu Pelé patrocinará o Santos nestas finais

Clique aqui para ler matéria em A Tribuna sobre o patrocínio do Museu Pelé ao Santos nestas finais do Campeonato Paulista

E pra você, como o Santos jogará sem Robinho?