Ricardo Oliveira marcou o gol cinco mil do Santos FC em Paulistas
Ricardo Oliveira deixou o nome na história do Santos(Ivan Storti/ Santos FC)

Empatar com o despretensioso Rio Claro seria terrível, mas o Santos jogou como se a partida fosse um treino sem valor algum. Ricardo Oliveira marcou aos cinco minutos o gol de número 5000 do Santos em Campeonato Paulistas, mas depois a partida seguiu amarrada, sem vontade, até que David Braz, aos 45 minutos do segundo tempo, aliviou a torcida de 4.720 pagantes presente ao Urbano Caldeira.

Marquinhos Gabriel e Leandrinho se esforçaram, mas sem Lucas Lima e Renato o meio-campo do Santos caiu muito. O ataque sem Geuvânio, e com Gabriel, também perdeu capacidade de penetração. Mesmo assim, com um pouco mais de capricho nas finalizações, o Santos poderia ter terminado o primeiro tempo com uma vantagem de dois ou três gols, pois o Rio Claro só estava preocupado em não sofrer uma goleada, o que, combinado com outros resultados, poderia rebaixá-lo.

Ninguém se destacou no Santos, apesar do desempenho regular da defesa. Nem Robinho, o astro da equipe, luziu desta vez. O sete da Vila cansou de perder gols e em alguns momentos foi dispersivo, tentando jogadas de efeito e quando a partida ainda estava indefinida.

Ricardo Oliveira fez o gol histórico, após ótima jogada de Marquinhos Gabriel,mas depois foi sumindo, sumindo, e sumiu. Foi preciso que os zagueiros Gustavo Henrique e David Braz fossem para a área em um escanteio no final da partida para criar a jogada do gol que definiu o marcador. Henrique tentou um calcanhar e a bola sobrou para Braz, que pegou de raspão, mas acabou deslocando o goleiro Richard.

Líder do Grupo D, o Santos enfrentará nas quartas-de-final o XV de Piracicaba, o segundo colocado no mesmo grupo. algo me diz que será sábado e na Vila Belmiro. Os outros jogos das quartas serão: São Paulo x Red Bull Brasil; Palmeiras x Botafogo e Corinthians x Ponte Preta.

Para ter a vantagem de jogar em casa também na semifinal, contra o vencedor de São Paulo x Red Bull Brasil, o Santos precisará vencer o XV de Piracicaba no tempo normal. Se empatar a partida, somará apenas um ponto e poderá ficar atrás do Paulo Paulo, caso este vença o Red Bull. Isso faria com que a vantagem de jogar em seu campo passasse para o tricolor paulista.

Atuações dos santistas

Vladimir: Sem muito trabalho, foi bem quando exigido. 6.
Vitor Ferraz: Discreto, mas participativo. 6.
David Braz: Marcou bem atrás e ainda fez um gol. 7.
Gustavo Henrique: Errou um passe na saída de bola, mas no todo foi bem, principalmente nas bolas altas. 6.
Chiquinho: Regular no ataque e na defesa. 6.
Valencia: Aquele velho estilão volante limitado. 5.
Leandrinho: Deu pro gasto. Faltou ousadia. 5.
Marquinhos Gabriel: Buscou aproveitar a chance. Correu, participou de jogadas. 6.
Gabriel: Buscou mais o jogo, participou de algumas jogadas e deu alguns chutes a gol. Mas sua impotência com a perna direita irrita. Treine chutar bola na parede, garoto. Não acredite no Wagner Ribeiro. Você está longe de ser um craque. Atacante que só joga com a esquerda é facilmente marcado. Seja mais humilde e treine mais, se esforce mais, participe mais do jogo. Não pode errar uma bola e virar as costas para a jogada. Não ache que o técnico está pegando no seu pé. Você é que não está se esforçando o suficiente. 5.
Ricardo Oliveira: Começou bem, fez o gol, participou de outras jogadas, mas a partir do segundo tempo apenas serviu para segurar os beques lá atrás. 6.
Robinho: Está em todas as jogadas de ataque do Santos. Joga fácil. Mas com tanta facilidade, acabou dispersivo. Enfeitou sem necessidade, e quando esteve diante do goleiro, não concluiu bem. Perdeu inúmeros gols e quase complica uma vitória fácil. 6.

Técnico Marcelo Fernandes: Deu oportunidade a alguns reservas em um jogo em que tinham tudo para jogar com tranquilidade e bem. Só Marquinhos Gabriel mostrou vontade e reais qualidades. Fernandes teve de gritar o tempo todo para o time não relaxar. Quase que a vantagem obtida com o bom empate no clássico alvinegro de domingo foi jogada fora por displicência. Isso não poderá ocorrer na fase decisiva. 6.

Os três jogadores que entraram – Zeca, Lucas Otávio e Lucas Crispim – se saíram razoavelmente bem e impediram que o time perdesse a concentração no final da partida.

Santos 2 x 0 Rio Claro
Vila Belmiro, 08/04/2015, 22 horas
Público pagante: 4.720 pessoas. Renda: R$ 91.810.
Santos: Vladimir, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique, Chiquinho (Zé Carlos); Valencia, Leandrinho (Lucas Otávio), Marquinhos Gabriel; Gabigol (Lucas Crispim), Ricardo Oliveira e Robinho. Técnico: Marcelo Fernandes.
Rio Claro: Richard; Vinícius Bovi, Pitty, Gilberto e Carlinhos Miranda (Nenê Bonilha); Renan Diniz, Renan Luís, Matheus Galdezani e Jeferson Paulista (Guaru); Paulinho e Bruno Catanhede (Léo Cordeiro). Técnico: Estevam Soares.
Gols: Ricardo Oliveira aos cinco minutos do primeiro tempo e David Braz aos 45 minutos do segundo.
Arbitragem: Luiz Flavio de Oliveira, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Carlos Augusto Nogueira Junior.
Cartões amarelos: Jeferson Paulista e Bruno Cantanhede.

Veja os bastidores do clássico alvinegro de domingo:

E você, o que achou do Santos contra o Rio Claro?