Amigos, desculpem se não postei logo depois do grande, do enorme triunfo de ontem. Estou em um lugar sem sinal de Internet. Tive de caminhar um bocado para encontrar uma pousada com sinal e agora, diante de um mar enorme, falo do inesquecível domingo dos santistas.

Tudo correu bem. O domínio do Santos começou no primeiro minuto de jogo e só terminou no último. 2 a 1 foi pouco. Geuvânio é gênio! Só precisa dosar melhor suas energias. Robinho sentiu de novo a contusão, mas no primeiro jogo da final, contra o aguerrido Palmeiras, certamente estará em campo.

Como o Palmeiras quererá jogar em sua arena novinha, o Santos, pelo jeito, decidirá o título na Vila. O adversário tem muito valor, mas não dá para não acreditar no título. Esses alegres e solidários rapazes, o técnico Marcelo Fernandes e seu fiel escudeiro Serginho merecem. Não deixaram a peteca cair em um só momento.

Com já disseram, o Santos fará sua sétima final consecutiva do Paulistão, o que quer dizer que por sete anos seguidos ficará no mínimo em segundo lugar no campeonato. Pesquisei na história do Paulista para ver se outro time já tinha obtido essa façanha. Descobri que sim.

Houve uma equipe que em oito anos foi seis vezes campeã e duas vezes vice. Qual foi? Qual foi?

Ora, o mesmo Santos, de 1955 a 1962, foi campeão seis vezes (1955/56/58/60/61/62) e vice em 1957 e 1959. Enfim, mais marcas expressivas para a história do Glorioso Alvinegro Praiano.

E agora, o que esperar do Santos na final?