Até os 37 minutos do segundo tempo os garotos do Santos iam muito bem diante da grande torcida santista que lotou o estádio de Maringá. Venciam o Maringá por 2 a 0 e evitavam o jogo de volta, pela segunda rodada da Copa do brasil. Mas uma falha do goleiro Vladimir, que espalmou uma bola para a pequena área, e outra falha de marcação aos 46 minutos do segundo tempo, quando Paulo ricardo deixou o baixinho Cicinho saltar com o grandalhão atacante Rodrigo Dantas, proporcionaram o empate ao Maringá, obrigando o jogo de volta.

De qualquer forma, a partida mostrou que o elenco do Santos tem muitos reservas que poderão ser bem aproveitados no Campeonato Brasileiro. Quase todos se saíram bem. Mesmo Elano fez um bom primeiro tempo e marcou, de cabeça, o único gol da primeira etapa. Por paradoxal que seja, o único titular em campo, o goleiro Vladimir, mostrou-se inseguro e falhou bisonhamente ao espalmar uma bola para a sua pequena área, o que gerou o primeiro gol do Maringá.

Outro jogador que pouco mostrou e, irritadiço, ainda levou cartão amarelo, Gabriel jogou mais uma vez o Gabibol, um esporte em que a jogada começa e termina nos seus pés. Se há mesmo a possibilidade de uma troca entre ele e Robinho, não há o que pensar. Tomara que Gabriel ainda seja um grande jogador, mas por enquanto não é e nem parece fazer muita questão de ser.

Por outro lado, jogadores como Paulo Ricardo, Caju, Lucas Otávio, Lucas Crispim e Marquinhos Gabriel mostraram disposição e boa técnica. Cicinho também estava bem, mas foi só o Maringá pressionar um pouco para perder a cabeça e levar outro cartão amarelo bobo. Na verdade, a arbitragem também se perdeu a partir da metade do segundo tempo, quando passou a marcar tudo a favor do time paranaense e fazer vistas grossas a entradas que poderiam até resultar em cartão vermelho direto, como aquela que tirou Serginho do campo.

O certo é que o jogo parecia decidido até dez minutos para o final. Com gols de Elano, de cabeça, no primeiro tempo, e de Marquinhos Gabriel no segundo, concluindo uma jogada bem tramada pelo Santos, o Alvinegro Praiano parecia ter se livrado do jogo de volta.

Porém, com o gol achado aos 37 minutos do segundo tempo, o Maringá, que já parecia conformado com a derrota, pressionou o Santos e aí foi possível observar algum nervosismo dos santistas. As substituições de Marcelo Fernandes não deram resultado. As saídas de Elano e Lucas Crispim, para as entradas de Serginho, Thiago Mathias e Diego Cardoso (Serginho entrou no lugar de Elano, mas logo se machucou e foi substituído por Thiago Mathias) enfraqueceram o meio de campo e o Santos não conseguiu mais segurar a bola no ataque, como fizera até então.

De qualquer forma, a partida foi muito importante para se fazer algumas observações, tais como:

1 – O goleiro titular ainda é Vanderlei. Vladimir tem o grave defeito de espalmar para dentro do campo e fica muito indeciso nas bolas altas cruzadas na área.
2 – Mesmo quando jogar melhor, Cicinho é uma temeridade. Quer driblar na defesa e leva cartão amarelo em toda partida.
3 – Gabriel tem jogado muito mal. Não se sabe se é porque tem ficado isolado na frente e o seu forte não é brigar pela bola, ou se porque não busca tabelar com ninguém e tenta resolver tudo sozinho. O certo é que assim não dá. Se há mesmo interesse do Milan, em uma troca por Robinho, é pra ontem.
4 – Elano melhorou. Se continuar assim, brigará por uma posição no meio de campo.
5 – Lucas Otávio e Lucas Crispim jogaram bem. Só caíram a partir da metade do segundo tempo.
6 – Paulo Ricardo será um grande zagueiro. Falta mais experiência no quesito “posicionamento”.
7 – Caju voltou bem. Parece recuperado do púbis.
8 – Marquinhos Gabriel é o Basílio deste time (lembra do time de 2004?).
9 – Leandrinho não é craque, mas é regular.

O jogo de volta será na próxima quinta-feira, não sei em que estádio. Para essa partida, é bom Marcelo Fernandes escalar os titulares, pois uma vitória mínima do Maringá eliminará o Santos da Copa do Brasil.

MARINGÁ 2 X 2 SANTOS

Estádio Willie Davids, Maringá, 06/05/2015, 22 horas

Público: 16.142 pagantes. Renda: R$ 677.255,00

Maringá: Ednaldo; D. Gerônimo, Fabiano, Marcelo Xavier e E. Edinho; Ítalo, Eurico, Serginho Paulista (Rhuan) e Max (Alex); Rodrigo Dantas e Gabriel Barcos (Rafael Santiago). Técnico: Claudemir Sturion.
Santos: Vladimir, Cicinho, Gustavo Henrique, Paulo Ricardo e Caju; Lucas Otávio, Leandrinho, Elano (Serginho) (Thiago Maia) e Marquinhos Gabriel; Lucas Crispim (Diego Cardoso) e Gabriel. Técnico: Marcelo Fernandes.
Gols: Elano, aos 24 minutos do primeiro tempo; Marquinhos Gabriel aos 10, Fabiano aos 37 e Rodrigo Dantas aos 46 minutos do segundo.
Arbitragem: Thiago de Alencar Gonzaga, auxiliado por Leandro dos Santos Ruberdo e Claysson Vieira de Morais, todos do Mato Grosso do Sul (auxiliares foram bem, mas o árbitro, descontrolado, deu faltas e cartões demais e quando deveria dar, não deu).
Cartões amarelos: Ítalo, Rafael Santiago, Rhuan (Maringá); Gabriel, Elano, Paulo Ricardo, Gustavo Henrique (Santos).

Tinha o mesmo número de santistas para ver os reservas do Santos em Maringá do que os que foram assistir à decisão do Campeonato Paulista na Vila Belmiro

Veja só que curioso e perceba como a torcida do Santos é imensa por este Brasil afora, e não apenas nos arredores da Vila Belmiro: o público da final do Paulista foi de 14.662 pessoas, das quais 90% eram torcedores do Santos, portando 13.195.

O público que assistiu ao empate entre Santos e Maringá, em Maringá, foi de 16.142 pessoas, das quais, segundo o repórter da TV Bandeirantes, 80% eram santistas, o que resulta em 12.913 pessoas.

Assim, conclui-se que a quantidade de santistas na Vila Belmiro, apesar da importância do evento e de o time jogar no sagrado Urbano Caldeira, era de apenas 282 torcedores a mais do que na distante Maringá, em que a equipe atuou sem 10 titulares.

Por aí é que se percebe como uma campanha nacional de associação e como um programa de jogos que contemple as várias comunidades de santistas espalhadas pelo Brasil são fundamentais para que o Santos atinja a dimensão que ele realmente tem.

E você, o que achou dos reservas do Santos em Maringá?