Veja os melhores momentos, pela lente da SantosTV:


Com a entrada de Gabriel, Santos buscou mais o gol (Ivan Storti/ Santos fC).

Classificação sem brilho

Mesmo com o time completo, diante de sua torcida e frente a um limitado Maringá, que ainda jogava com um jogador a menos, o Santos não conseguia marcar e deixava no torcedor o medo de ver, em uma bola centrada para a área, a grande zebra dançar no Urbano Caldeira.

Porém, desta vez as substituições de Marcelo Fernandes tiraram o time da letargia. Com Elano e Gabriel o Santos foi um pouco mais à frente e finalmente foi premiado aos 45m54s, quando Cicinho lançou Ricardo oliveira, que penetrou livre, teve tempo de dominar, trocar de pé e enfiar a bomba com a canhota. 1 a 0 e classificação para a próxima fase da Copa Brasil.

A vitória foi justa principalmente pelo que não fez o Maringá, que sumiu no segundo tempo, mas o Santos não jogou bem. Pouco objetivo, o time tocou, tocou, tocou, mas quase não chutou a gol. No primeiro tempo, o único arremate foi de David Braz, aos 10m57s, depois de cruzamento de Geuvânio.

No segundo, o Santos foi mais à frente, mas a partida continuava indefinida, até que Robinho, em uma jogada inteligente, foi seguro por Eurico e parou a bola, não dando ao árbitro nenhuma outra alternativa a não ser dar o cartão amarelo para o jogador do Maringá que, como já tinha um, acabou expulso. Isso mudou o jogo, pois o time paranaense, com um jogador a menos, ficou sem nenhuma alternativa ofensiva.

O Santos passou a jogar no campo do Maringá. Mas faltava acertar o último passe, ou um chute decisivo. Por isso, as entradas de Elano, no lugar de Valencia, e de Gabriel, no de Lucas Lima, deram resultado. O time passou a ser mais incisivo.

Dos 37 minutos em diante, o Santos teve seis chances, contando com a que resultou em gol. Ficou evidente que os jogadores precisam treinar mais arremates a gol – principalmente Robinho, Lucas Lima e Geuvânio, que sempre estão próximos à área. Acho que uma boa idéia seria suspender os rachões por um tempo e substituí-los por treinamento de chutes a gol.

Atuações dos santistas

Vladimir – Não foi exigido. 5.
Cicinho – Começou estabanado e foi se firmando. Deu o passe para o gol. 6.
Werley – Discreto, mas eficiente. 5.
David Braz – O mesmo que Werley. 5.
Victor Ferraz – Desta vez, apoiou melhor pela direita. 6.
Valencia – Discreto e eficiente. 5.
Leandrinho – Deu conta do recado bem. 6.
Lucas Lima – Prendeu demais a bola e não produziu nada muito útil. 5,5.
Geuvânio – Regular, mas ainda errou lances bobos. 5.
Ricardo Oliveira – Não tinha feito nada, mas fez o gol. 5,5.
Robinho – Cavou a expulsão de Eurico. 6.
Marcelo Fernandes – Desta vez mexeu melhor, apesar de ter demorado para fazê-lo. 6.
Dos jogadores que entraram, tanto Elano como Gabriel merecem a nota 6.

Santos 1 x 0 Maringá
13/05/2015, 19h30, Vila Belmiro, 3ª rodada da Copa do Brasil
Público: 4.068 pagantes. Renda: R$ 108.600.
Santos: Vladimir; Cicinho, David Braz, Werley e Victor Ferraz; Valencia (Elano), Leandrinho e Lucas Lima (Gabriel); Geuvânio, Robinho e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.
Maringá: Ednaldo; Gerônimo, Fabiano, Marcelo Xavier e Edinho; Ítalo, Eurico, Rhuan e Max (Alex); Rodrigo Dantas (Serginho Paulista) e Gabriel Barcos (Rafael Santiago). Técnico: Claudemir Sturion.
Gol: Ricardo Oliveira, aos 45m54s do segundo tempo.
Arbitragem: Wagner Reway (MT), auxiliado por Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Leandro dos Santos Ruberdo (MS).
Cartões amarelos: Valencia, Werley, Leandrinho (Santos); Eurico (2), Gerônimo, Edinho, Ítalo, Fabiano, Rhuan (Maringá).
Cartão vermelho: Eurico (Maringá).

E você, o que achou de Santos 1 x 0 Maringá?