Há alguns anos, poucos, o santista criou o bordão de que “time grande não cai”, para provocar palmeirenses e corintianos. Mas agora o Santos está na zona de rebaixamento. Confio que não cairá, mas não pode haver nenhuma certeza nisso, pois é óbvio que time grande também cai, pois estes citados caíram, assim como Grêmio, Atlético Mineiro, Vasco, Botafogo, Fluminense… As perguntas que cabem, são: O que é grandeza? e O que faz um time cair?

Grandeza, para mim, começa na cabeça. Quando Athié Jorge Cury decidiu que o Santos não venderia mais seus melhores jogadores e, a partir de meados da década de 1950, brigaria por títulos, deu um passo em direção a esta grandeza. Por outro lado, quando a diretoria do Santos decide que a equipe mandará seus jogos na acanhada Vila Belmiro porque lá o adversário se sente muito pressionado e o Santos quase sempre vence seus jogos, está dando sinais de fraqueza.

Quais as equipes, neste Campeonato Brasileiro, que se valem de jogar em seus estádios pequenos e hostis para tentar permanecer na Série A? Joinville, Figueirense, Chapecoense, Avaí, Ponte Preta, Vasco… Pois o Santos ingressou neste grupo quando passou a ter a mesma mentalidade. Se tem santista dizendo que “caiu no alçapão, não tem perdão”, isso quer dizer que fora da Vila o time não tem a mesma força, não é tão grande, e aí é o adversário que não perdoa.

Os jogadores e a comissão técnica do Santos precisariam ter passado por um trabalho psicológico para entender que as dimensões do campo, o tamanho das traves e as regras do futebol são as mesmas, dentro ou fora do alçapão. O time de Athié, do grande, do enorme Zito, entendia isso muito bem, tanto que conquistou a maior parte de seus títulos bem longe de sua torcida. Este Santos, depois de ser campeão paulista, decidiu entrar no Brasileiro com a mentalidade de time pequeno e está tendo a sorte que escolheu.

Dá para mudar isso? Sim, claro, mas antes é preciso mudar a cabeça das pessoas envolvidas com o futebol santista. O time tem de parar de seguir esse script monótono de ser um leão em casa e um gatinho fora. Precisa chacoalhar esse comodismo de abdicar do jogo na maior parte da partida, acomodando-se na defesa em busca de fortuitos contra-ataques. Jogadores profissionais de futebol são atletas capazes de jogar 90 minutos. Caso se cansem, que sejam substituídos. Só não podem caminhar em campo, decorando as desculpas que darão ao final dos jogos.

Participe da volta do livro “Time dos Sonhos”

Confesso que, mesmo querendo muito, não tinha como republicar Time dos Sonhos. Outro dia, no Museu Pelé, fui surpreendido ao ver Zeca Baleiro folheando o livro, contando algumas de suas histórias e dizendo que Time dos Sonhos era a sua leitura de cabeceira. Quem estava presente queria que eu lhes conseguisse um exemplar, mas não havia como. Seus exemplares remanescentes estão em sebos, vendidos a preços exorbitantes. Foi aí que pensamos em relançá-lo.

A campanha para a republicação de Time dos Sonhos está entrando no ar. O link é este:
Clique para ver a campanha pela republicação do livro Time dos Sonhos

Se você acredita na força da trajetória do Santos e quer proporcionar a outros santistas a felicidade de conhecer a história completa do Glorioso Alvinegro Praiano até o título brasileiro de 2002, seja parceiro nessa empreitada. Ficaremos muito felizes de termos você ao nosso lado!

“Time dos Sonhos” citado em livro internacional

Convencido pelos fatos e argumentos do livro “Time dos Sonhos”, o escritor norte-americano Richard Witzig, no livro “The Global Art of Soccer”, incluiu o Santos entre os melhores times da história do futebol. Esgotado, agora “Time dos Sonhos” pode ser reimpresso e transmitir a mais santistas e mais especialistas do futebol a história especial do time que amamos. As participações começam com apenas 40 reais, para quem quer ter o seu nome impresso no capítulo de agradecimentos, a cotas de patrocínio de 10 e 20 mil reais. Há debates programados. Dê sua contribuição para manter viva a história santista. Veja, agora, a página de “The Global Art of Soccer” que fala de “Time dos Sonhos”:

Clique aqui para ler a citação a “Time dos Sonhos” como o livro que defende o Santos como o melhor time de futebol de todos os tempos.

E você, vai vai me ajudar a relançar Time dos Sonhos?