Zito

Perdemos Zito, o maior líder que o Santos já teve

Aos 82 anos, faleceu José Ely de Miranda, o Zito, maestro do Time dos Sonhos, um líder incomparável, aquele que com seus gritos e sua garra fazia o Santos correr o tempo todo, dentro ou fora do Alçapão. Morreu em sua casa, onde se recuperava de um avc. O velório será nesta segunda-feira, das 8 às 11 horas, no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. Depois seu corpo será levado para Roseira, cidade natal de Zito. Quatro vezes campeão do mundo – duas pelo Santos, duas pela Seleção Brasileira -, Zito ainda foi o responsável pela descoberta de muitos jovens craques santistas, entre eles Neymar, como conta neste filme:

Participe da volta do livro “Time dos Sonhos”

Enquanto escrevo este post, o Palmeiras joga com o Fluminense, em casa, e se ao menos empatar, o Santos entrará na zona de rebaixamento. É o que todos nós, santistas, temíamos. Mas há muito campeonato pela frente e muitos de nós costumamos repetir que “time grande não cai”, portanto o Santos jamais será rebaixado. É o momento em que a história, a tradição, o peso da camisa vêm em nosso auxílio para trazer força e esperança. O Santos de hoje é o resultado de tudo que ele que já fez, dos momentos sublimes, mas também daqueles de muita dor e tristeza.

Quando comecei a escrever o livro “Time dos Sonhos” o nosso Alvinegro Praiano vivia o seu longo e doloroso período de estiagem. Nada, mas nada mesmo, indicava que ele poderia voltar a jogar de igual para igual com os melhores clubes do Brasil, quanto mais vencer uma Libertadores ou disputar a final do Mundial Interclubes. Pelé e os grandes ídolos eram coisas de um passado que temíamos não ver repetido jamais. Porém, forcei-me à missão de escrever o livro daquele que foi o melhor time de todos os tempos.

A idéia surgiu de uma enquete que durou várias edições da revista El Gráfico, da Argentina. Ouviram especialistas da América do Sul e da Europa para escolher o melhor time de futebol da história. O nosso Santos ganhou disparado. Estávamos no começo da década de 1980 quando me propus a pesquisar, entrevistar as personagens e escrever o livro.

Era uma época sem Internet, sem Google, em que as pesquisas tinham de ser feitas em arquivos de jornais e revistas, bibliotecas, clubes de futebol e nas entrevistas ao vivo com jogadores, dirigentes, árbitros, torcedores e jornalistas. Demorou um tempão. Desde a primeira lauda, até a última, calculo que uns 10 anos. Como decidi que também entrevistaria e faria um perfil detalhado dos 11 titulares do time bicampeão mundial, de Gylmar a Pepe, tornei a tarefa um pouco mais complicada.

Finalmente, resolvi que terminaria o livro, de qualquer jeito, no final de 2002 – e alguém lá em cima provou que gosta de mim, ao fazer aquele Santos dos garotos Robinho, Diego, Alex & Cia vencer o Campeonato Brasileiro em cima do grande rival. Impossível um final mais feliz!

Graças a amigos editores como Erlon Marcos e Quartim de Moraes, o livro foi lançado em dezembro de 2003, em um evento no antigo Bar Paulicéia 22, na Rua dos Pinheiros, com apresentação de Milton Neves e a presença de muita gente importante da história do Santos. 640 exemplares foram vendidos naquela noite. Em duas semanas a primeira edição estava esgotada. O santista é sedento pela história de seu time.

Duas outras edições foram impressas e vendidas, mas em 2005, quando a Editora Códex foi comprada pela Nobel, Time dos Sonhos interrompeu definitivamente sua trajetória. Agora, com o incentivo de amigos e grandes santistas como Milton Neves e Zeca Baleiro, e com a ajuda de excelentes profissionais, como o diretor de arte Clero Junior, o editor Marco Piovan e o animado pessoal da Kickante, o livro estará de volta, contando para as novas gerações as histórias de um time que nasceu em Santos no mesmo dia do naufrágio do Titanic, viveu as agruras da pobreza e da obscuridade, até alcançar seu momento de magia, no qual encantou plateias de todo o planeta, impactou o futebol no mundo e colocou o Santos em um patamar do qual jamais descerá, mesmo que – toc! toc! toc! – seja rebaixado um dia.

Confesso que, mesmo querendo muito, não tinha como republicar Time dos Sonhos. Outro dia, no Museu Pelé, fui surpreendido ao ver Zeca Baleiro folheando o livro, contando algumas de suas histórias e dizendo que Time dos Sonhos era a sua leitura de cabeceira. Quem estava presente queria que eu lhes conseguisse um exemplar, mas não havia como. Seus exemplares remanescentes estão em sebos, vendidos a preços exorbitantes. Foi aí que pensamos em relançá-lo.

A campanha para a republicação de Time dos Sonhos está entrando no ar. O link é este:
Clique para ver a campanha pela republicação do livro Time dos Sonhos

Se você acredita na força da história do Santos e quer proporcionar a outros santistas a felicidade de conhecer a história completa do Glorioso Alvinegro Praiano até o título brasileiro de 2002, seja parceiro nessa empreitada. Ficaremos muito felizes de termos você ao nosso lado!

Sigamos em frente de cabeça erguida! Abraços a todos os santistas!

Odir Cunha

Posso contar com você na republicação do livro Time dos Sonhos?