Quando um time cria mais de uma dezena de chances claras de gol – entre elas um pênalti – joga os últimos 13 minutos com um jogador a mais, atua em casa diante do lanterna da competição, e mesmo assim só ganha por 1 a 0, gol de falta, é porque, apesar dos preciosos três pontos, não dá para comemorar muito e nem achar que no segundo turno a meta desse time será outra a não ser tentar evitar o rebaixamento.

Sim, o Santos tornou difícil um jogo que deveria ser mais tranqüilo, e venceu o Vasco graças a uma bela cobrança de falta de Victor Ferraz, aos três minutos do segundo tempo. Com isso, está seis pontos acima, ou duas rodadas, da zona de rebaixamento. Mas ainda faltam 20 rodadas para terminar o campeonato. Por isso, o caminho ainda deverá ser árduo.

Digo isso porque contra o ataque inoperante do Vasco ficou mais uma vez evidente a fragilidade da defesa santista. David Braz está mais inseguro do que nunca, Gustavo Henrique dá pro gasto, mas é bem lento; Zeca não sabe se posicionar na marcação e só Victor Ferraz teve um bom desempenho na linha de defesa. Isso, é claro, sem esquecer o goleiro Vanderlei, que aos 11 minutos do segundo tempo salvou o Santos de sofrer o empate.

O Santos é de regular para bom do meio-campo para o ataque, mas é muito fraco quando é pressionado. Foi só o Vasco vir pra cima e a torcida na Vila Belmiro ficou com o coração na mão. David Braz perdeu uma dividida de cabeça e depois refugou em outra oportunidade em que a bola era sua. Insegurança total. Parece que ele é o novato da dupla com Gustavo Henrique.

O meio, com Renato, Thiago Maia e Lucas Lima, foi bem. Geuvânio alternou altos e baixos, maia altos do que baixos; Gabriel teve mais baixos do que altos, enquanto Ricardo Oliveira tentou, mas pouco fez. Para completar, o artilheiro do campeonato perdeu um pênalti que poderia definir o jogo, aos 34 minutos do segundo tempo. E perdeu pegando mal na bola. Enfim, uma noite sem reza do pastor.

Mais uma vez Lucas Lima segurou as pontas, provocando as faltas que expulsaram Guiñazu, proporcionaram a infração que Victor Ferraz transformou em gol e ainda geraram o pênalti. Ao menos a bola não queima no pé dele. Marquinhos Gabriel entrou bem no lugar de Gabriel – que precisa parar de querer cavar falta, fazer fita e reclamar do árbitro -, mas Leandro, que substituiu Geuvânio, pareceu estar fora de forma.

Agora, o Santos terminará o turno enfrentando o Atlético Paranaense, em Curitiba. Como fora de casa o adversário vem pra cima e força justamente o setor mais fraco do Santos, que é sua defesa, o jeito será tentar inverter essa tendência e jogar o ataque santista contra a defesa do adversário, como fez no Rio contra o Flamengo. Se entrar fechadinho, tentando apenas explorar os contra-ataques, será um alvo fixo e provavelmente tomará uns dois só no primeiro tempo.

E você, o que achou de Santos 1 x 0 Vasco?