Dessa série de partidas no final deste primeiro turno, aquela contra um adversário mais gabaritado será neste sábado, em Curitiba, diante do bem organizado Atlético Paranaense, clube que tem sido um exemplo dentro e fora de campo. O comportamento do Santos hoje dará uma boa ideia do que poderemos esperar do time no segundo turno.

Em 2003, quando os dois times jogaram, em Curitiba, ambos viviam uma grande fase. O Santos tinha sido campeão brasileiro em 2002 e seria vice-campeão brasileiro e da Copa Libertadores em 2003. O Atlético, campeão brasileiro em 2001, travaria luta renhida com o Santos pelo título de 2004. Pelos melhores lances dá para perceber que o futebol tinha um nível superior ao que vemos hoje. Aprecie:

Entre na campanha para relançar o livro Time dos Sonhos

Sei que alguns de vocês não podem mais ouvir falar dessa campanha, mas se eu não divulgar, muitos que ainda não a conhecem ficarão sem conhecer. Tomo a liberdade de pedir, ainda, que enviem para amigos santistas que não costumam frequentar o blog. O valor arrecadado nessa pré-venda determinará o número de exemplares impressos.

O livro Time dos Sonhos é importante por passar a limpo a história do Santos, em detalhes, desde a sua fundação até o título brasileiro de 2002. Posso garantir que o livro está melhor do que suas versões anteriores, pois agora pude repassá-lo inteirinho e incluir informações que não tínhamos ainda quando ele foi editado originalmente. As Estatísticas foram atualizadas também.

Clique aqui para participar da reimpressão do livro Time dos Sonhos!

Morreu Cejas, maior goleiro argentino do Santos

Aos 70 anos, vítima do Mal de Alzheimer, morreu ontem dia 14, Mario Agustin Cejas, goleiro revelado pelo Racing, que brilhou na meta do Santos de 1970 a 1974. Primeiro ganhador da Bola de Ouro da revista Placar, Cejas pegou dois pênaltis na decisão do título pauliswta de 1973, o último vencido por Pelé no Santos.

Ontem morreu também outro ex-goleiro santista: Jair Estevão, que defendeu a meta do Santos por oito partidas em 1969. O Santos decretou luto oficial por três dias. A seguir, acompanhe uma entrevista com Cejas:

E hoje, como o Santos se sairá contra o Atlético Paranaense?