Figueirense é o adversário nas quartas!

Sorteio realizado há pouco na sede da CBF definiu que Santos pegará o Figueirense nas quartas-de-final da Copa do Brasil. Caso passe pelo time catarinense, o adversário do Alvinegro Praiano na semifinal será o vencedor do duelo entre São Paulo e Vasco. Os outros jogos das quartas reunirão Palmeiras x Internacional e Grêmio x Fluminense.

A ordem dos mandos de campo será definida logo mais, às 14 horas, em sorteio na CBF.

A única diferença entre o futebol mostrado pelo Santos e pelo Cruzeiro, no jogo do Mineirão, foi o gol de Ricardo Oliveira. Um golaço, no finalzinho do primeiro tempo, em um chute de esquerda, de fora da área, que entrou no ângulo do gol de Fábio. No mais, o Santos se defendeu, tocou a bola e esperou o tempo passar. Não jogou bem como vinha fazendo, mas venceu sua primeira partida fora de casa neste Campeonato Brasileiro e pode entrar definitivamente na briga pelo G4 se voltar a somar três pontos contra o Chapecoense, quinta-feira, na Vila Belmiro.

Depois de pressionado nos quinze minutos iniciais do jogo, o Santos conseguiu ter mais posse de bola e criar algumas jogadas ofensivas. Numa delas, Neto Berola chegou centímetros depois de Fábio, em um passe de Lucas Lima que poderia ter gerado o primeiro gol santista. Gol que surgiu de uma maneira inesperada, em um chute de longa distância de Ricardo Oliveira. O centroavante recebeu de Victor Ferraz, tocou para o lado e encheu o pé. Uma pintura!

No segundo tempo, o Santos voltou a ser aquele time preguiçoso e defensivo que costuma ser quando atua fora de casa. Sua única chance foi outro chute de Ricardo Oliveira que passou raspando a trave.

Dorival Junior fez três substituições: tirou Neto Berola para colocar Leandro; Thiago Maia para por Lucas Otávio, e Lucas Lima para fazer entrar Léo Cittadini. Elas não mudaram o jogo. Mesmo com Fabrício expulso aos 40 minutos do segundo tempo, o Cruzeiro continuou pressionando até o fim, incentivado por sua torcida – que já deve estar preocupada com a possibilidade do rebaixamento.

Atuações dos Santistas

Vanderlei – Firme, tranqüilo, mas pouco exigido. 6,5.
Victor Ferraz – Seguro, apoiou pouco, mas marcou melhor. 6,5.
David Braz – Dessa vez, não deu sustos. 6,5.
Gustavo Henrique – Bem no alto, bem no chão. 7,5.
Zeca – O ponto fraco da defesa. Deu umas três bobeadas. 5.
Renato – Calma, experiência e segurança no meio-campo. 7.
Thiago Maia – Apareceu pouco, mas foi eficiente. 6,5.
Lucas Lima – Muito bem marcado, ainda conquistou a bola e criou jogadas. 7.
Marquinhos Gabriel – Estava indo bem quando entrava no transcorrer do jogo. Dessa vez que começou desde o início, ficou devendo. Perdeu contra-ataques e desperdiçou jogadas. Mas, taticamente, foi útil, ajudando na marcação. 6,5.
Ricardo Oliveira – Pegou pouco na bola, mas decidiu o jogo. Além do gol, ajudou na marcação. 8.
Neto Berola – Não soube como usar sua velocidade. Mais baixos do que altos. 5,5.
Dos jogadores que entraram, Leandro apareceu mais, porém não se pode dizer que jogou bem. Fez faltas bobas ao ajudar a defesa e não teve fôlego nas jogadas ofensivas em profundidade. 5,5. Lucas Otávio só deu trombadas, assim como Leó Cittadini. Como tiveram pouco tempo, ficam sem nota.
Dorival Junior – Não quis arriscar e buscou, perigosamente, segurar a vantagem mínima. Pouco ousado, poderia ser castigado no final com o empate. Mesmo assim, pela vitória, 6.

A história desse time precisa ser preservada

time dos sonhos - autor lendo trecho do livro para Robinho

Acha que a história do Santos merece ser preservada em livros? Clique aqui e saiba como participar da campanha pela reimpressão de Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista.

E você, o que achou da vitória do Santos sobre o Cruzeiro?