Causou indignação geral entre santistas de todas as idades e cidades ouvir Modesto Roma afirmar que a renda do jogo Santos e Figueirense foi ruim e, ao mesmo tempo, reforçar que optará, sempre que possível, por fazer o time jogar na Vila Belmiro.

Como se sabe, os últimos presidentes do clube, Luis Álvaro Ribeiro e Odílio Rodrigues, causaram sérios prejuízos financeiros ao Santos. O primeiro por inflar a folha de pagamentos contratando muitos amigos e parceiros por salários acima da média e também por negociar muito mal, e de forma ainda a ser apurada, a venda do passe de Neymar; e o segundo pela contratação de jogadores caros e ruins, entre eles o dispendiosíssimo Leandro Damião, que ainda sangrará os cofres santistas em mais de 60 milhões de reais. Porém, nesse quesito, Modesto Roma também tem pisado na bola.

Evitar mandar jogos no Pacaembu, por motivos políticos ou místicos, já acumulou alguns milhões de prejuízo ao Santos, como ficou evidente na quinta-feira passada. Se contra a equipe reserva do Figueirense a arrecadação chegou a 1,2 milhão de reais, é fácil imaginar o quanto já teria entrado no caixa do clube se outras partidas, mais importantes, tivessem sido marcadas para a Capital.

O grande culpado por essa rivalidade que se acirrou entre alguns santistas da cidade de Santos e de São Paulo é o próprio Roma, que não soube e nem está sabendo usar sua autoridade de forma magnânima, unindo todos os santistas a fim de obter um maior apoio ao clube. Roma dá a impressão de usar seu cargo para se vingar da baixíssima votação que teve em São Paulo nas eleições presidenciais do clube, quando, na Capital, foi o menos votado dos cinco candidatos. E como toda ação gera uma reação, o bairrismo exacerbado do presidente fez surgir movimentos opostos, para que o Santos volte a ser um time sem fronteiras.

Por sua atitude facciosa, em defesa explícita e intransigente do grupo e das pessoas que o elegeram na cidade de Santos, Modesto Roma está fazendo um anti-marketing, atrapalhando e gerando sérios prejuízos financeiros ao clube, que além da questão dos locais dos jogos, ainda não lançou a tão esperada campanha para conquistar e fidelizar associados. Por sua visão limitada, o presidente do Santos merece uma longa vaia.

E você, vaia ou aplaude Modesto Roma?