Esse caso, que corre a Internet, de punição ao Bahia por este ter assinado com o Esporte Interativo, é realmente lapidar e certamente será lembrado por todo aquele que um dia escrever sobre esse período negro do futebol brasileiro, em que uma rede de televisão tenta manipular o esporte e, em parceria com uma Confederação suspeitíssima, ignora as leis da livre concorrência e pressiona as agremiações para continuarem atreladas a ela, mesmo recebendo bem menos dinheiro do que oferece o Esporte Interativo.

E não é só dinheiro, é questão de filosofia. O esporte, para crescer, para se desenvolver em todos os níveis, precisa ser regido pela meritocracia. O melhor, o mais competente, o que dá os melhores espetáculos, deve ser mais valorizado. E não aquele que, simplesmente, tem um maior número de simpatizantes, como quer a Globo. Essa visão, para mim, é uma das responsáveis pela falência técnica do futebol brasileiro, pois hoje vivemos uma reserva de mercado, em que dois clubes ganham muito mais do que os outros, mesmo praticando um futebol feio, modorrento, sem brilho.

Conforme notícia muito comentada, e que pode ser melhor analisada no link abaixo, do site Torcedores.com, para poder realizar um amistoso em Orlando City, o Bahia solicitou que o seu jogo contra o Galícia, pelo Campeonato Baiano, fosse transferido do dia 9 para o dia 16 de março. Com isso, sua estréia na Copa do Brasil seria transferida de 16 de março para outro dia.

A CBF, entretanto, estabeleceu que no dia 9 o Bahia terá de cumprir dois compromissos: contra o Galícia, pelo Estadual, e também contra o Juazeirense, pelo Campeonato do Nordeste. Como fazer dois jogos no mesmo dia? Será que a CBF imporia a mesma condição se o clube fosse um dos dois queridinhos? Obviamente, não.

Como o Bahia tem sido parceiro do Esporte Interativo e já anunciou que assinou contrato com a emissora para o período a partir de 2019, não há qualquer dúvida entre a direção do clube, seus sócios e torcedores, de que essa imposição da CBF para que faça duas partidas no mesmo dia – o que, aliás, é proibido pelo Conselho Nacional de Desportos – é uma retaliação pelo fato de o clube estar fugindo da área de influência da Globo.

Ué, mas por que a CBF tomaria as dores da Globo?, perguntariam os incautos. Ora, se a tabela dos campeonatos passa pelo crivo da Globo, que escolhe as datas e horários dos jogos que quer transmitir, e se as áreas comerciais da Globo e da CBF andam de mãos dadas, é óbvio que ambas têm interesses e afinidades comuns.

Como diz o site Torcedores.com, “Em nota oficial divulgada anteriormente, o clube assegurava contar com o aval das emissoras Esporte Interativo e Rede Globo para transferir o seu compromisso pelo Campeonato Baiano para o dia 16 de março. Faltava apenas o aval da CBF, que citou em sua resposta inicial “precedente indesejável” para não realizar a mudança.”

Ainda segundo o site, mesmo com outras datas disponíveis, a CBF confirmou a estreia do time na Copa do Brasil para o mesmo dia 16. Pois bem, agora vem o fecho da história, tão sintomático como tudo o mais que a envolve. Sabe o leitor, ou a leitora, qual o nome do time que enfrentará o Bahia no dia 16 de março, pela primeira rodada da Copa do Brasil, e que poderá levar vantagem nessa confusão envolvendo o Bahia? Não?!

Pois ele é do Rio Grande do Norte, se chama Globo Futebol Clube e foi criado em março de 2013 pelo empresário Marconi Barretto para homenagear o jornalista Roberto Marinho, fundador da decantada rede. Parece brincadeira, mas o Bahia terá de medir forças com a Globo dentro e fora do campo. E, é claro, não contará com nenhuma complacência da CBF. Mas terá a nossa torcida, pois, assim como o Santos, está tendo coragem de lutar contra o nocivo status quo do futebol brasileiro.

Como santistas, creio que devemos demonstrar nossa solidariedade ao Bahia e alertar seus sócios e torcedores para que não assistam a programação da emissora que quer fazê-los de capacho. A única linguagem que respeitam é menos dinheiro no bolso.

Clique aqui para ler matéria do site Torcedores.com sobre o assunto.

Clique aqui para saber que o Bahia já assumiu parceria com o Esporte Interativo e até já oferece ingressos gratuitos para os seus jogos.

Primeiro campeão brasileiro, em 1959, rival do Santos em três finais que definiram o título nacional, o Bahia – companheiro de luta pela Unificação dos Títulos Brasileiros – merece o nosso apoio. Se puder, entre no site do Bahia, cujo link está abaixo, e mande seu apoio aos diretores, sócios e torcedores do clube. Você pode ajudar, e muito, a abortar esse satânico projeto de Espanholização do futebol brasileiro.

Clique aqui para falar e dar um apoio à diretoria do Bahia

E então, o que acha do caso da CBF/Globo contra o Bahia?