familia santista de peruibe A família Victor Aloise veio de Peruibe ver o Santos: o casal Paulo e Gislaine e os filhos Nicolas e Jhonatas são fieis seguidores do Peixe.
tapume 2 Foto tirada por Anilton Peirão, conselheiro do Santos, revoltado por ver que tapumes e barreiras obstruiam a escada entre a entrada principal do Pacaembu e as numeradas, obrigando os torcedores a malabarismos.
torcidaPerto do final do jogo, uma visão dos santistas no Pacaembu.

Recorde de público e liderança

Mesmo sem Lucas Lima e diante de um adversário que marcou com abnegação canina, o Santos dominou o Água Santa desde o início, criou inúmeras oportunidades de gol e venceu por 1 a 0, gol de Rafael Longuine, aos 29 minutos do primeiro tempo.

Como se esperava, a partida contra o desconhecido time de Diadema estabeleceu o recorde de público para os jogos do Santos este ano, com 16.036 pagantes e público total de 18.964 pessoas, provando que o Pacaembu é mesmo o remédio para as baixas assistências do Alvinegro Praiano como mandante.

A vitória deu ao Santos a liderança geral do Campeonato Paulista, com 18 pontos ganhos, condição que só perderá se neste domingo de passeatas contra a corrupção que assola o Brasil, o Botafogo de Ribeirão Preto perder, em casa, para o alvinegro de Itaquera.

A ausência de Lucas Lima não impediu que o Santos mostrasse um toque de bola perto de primoroso no primeiro tempo, a ponto de envolver a compacta defesa do Água Santa diversas vezes. Na segunda etapa, porém, mesmo com um jogador a mais, pois o volante André Rocha foi expulso, o Santos não conseguiu repetir a boa atuação e em alguns momentos chegou a permitir bons ataques ao adversário.

No primeiro tempo, apenas Serginho e Gabriel destoaram do resto do time, perdendo bolas que deram contra-ataques ao Água Santa. Na segunda etapa, quase todos os jogadores diminuíram o ritmo, parecendo mais cansados e tornando-se mais erráticos. Os laterais Victor Ferraz e Zeca foram os que tiveram o seu desempenho mais comprometido.

As entradas de Paulinho no lugar de Serginho; Joel no de Gabriel e Ronaldo Mendes no de Rafael Longuine, mantiveram o Santos no ataque e criaram novas oportunidades. Em uma delas, Paulinho acertou um petardo que ricocheteou no pé das duas traves e não entrou.

No Água Santa, o destaque foi o goleiro Richard, com ótimas defesas. No Santos, mesmo caindo no segundo tempo, os melhores foram Victor Ferraz e Thiago Maia. Renato também merece menção honrosa. Gabriel começou muito bem, driblando três jogadores logo em sua primeira jogada, mas depois cismou de cavar faltas, tornou-se mais individualista e acabou prejudicando o time. Uma pena que, apesar de seu enorme potencial, não esteja demonstrando a humildade imprescindível para crescer como jogador.

Pacaembu, a solução para a questão do público do Santos

Se em um jogo contra um time desconhecido, como o Água Santa; sem grande divulgação pelo clube e pela mídia; sem nenhuma promoção ou ação de marketing, e com apenas três pontos de venda de ingressos em São Paulo, a torcida santista ocupou metade do Pacaembu, é fácil imaginar o quanto o estádio estaria cheio se o Santos estivesse trabalhando os eventos na Capital com mais atenção.

E o importante é que os jogos em São Paulo atraem um grande número de crianças – mais de 10% do público de ontem –, os herdeiros da grande torcida do Santos. E o melhor é que para garantir sempre bons públicos no Pacaembu basta fazer o óbvio e, para começar, criar pontos de venda de ingressos nas regiões extremo Sul de São Paulo (Capela do Socorro) e nas zonas Leste, Oeste e Norte. Só isso.

Agora o Santos volta a campo na terça-feira, às 19h30, contra o XV de Piracicaba, em Piracicaba. A partida, válida pela décima primeira rodada, foi antecipada devido à convocação dos cinco jogadores santistas para as Seleções principal e olímpica (Ricardo Oliveira, Lucas Lima, Gabriel, Thiago Maia e Zeca).

Santos 1 x 0 Água Santa
12/3/2016, Pacaembu, 18h30
Público: 16.036 pagantes, público total de 18.964 pessoas.
Renda: R$436.880,00
Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Rafael Longuine (Ronaldo Mendes entrou aos 32 minutos do segundo tempo) e Serginho (Paulinho, aos 18 do segundo); Gabigol (Joel, aos 23 do segundo) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.
Água Santa: Richard, Jonathan, Gustavo, Eli Sabiá e Bruno Ré; André Rocha, Sérgio Manoel, Francisco Alex (Guina, no intervalo) e Éder Loko (Augusto, aos 15 do segundo); Rafael Santiago (Rafael Martins, aos 24 do segundo) e Everaldo. Técnico: Márcio Ribeiro.
Gol: Rafael Longuine (com desvio do zagueiro Eli Sabiá), aos 29 minutos do primeiro tempo.
Arbitragem: Vinícius Furlan, auxiliado por Vicente Romano Neto e Patrick André Bardauil (Muito boa a atuação do trio de arbitragem!).
Cartões amarelos: Thiago Maia e Ronaldo Mendes (Santos), André Rocha, Rafael Santiago, Jonathan e Bruno Ré (Água Santa).
Cartão vermelho: André Rocha (Água Santa).

E você, que opinião tem sobre isso?