Atendendo a pedidos, promoção vai até o dia 10 de maio!

Clique aqui para saber como adquirir o livro Time dos Sonhos, A Bíblia do Santista, com dedicatória exclusiva do autor, sem despesas de correio e ainda ganhar de presente a versão eletrônica do livro Donos da Terra, com a história do primeiro título mundial do Santos, por apenas R$ 68.

MAL TRATADOS EM OSASCO

Sede, desconforto, insegurança – assim o torcedor foi tratado no pequeno Estádio José Liberatti, em Osasco, sem capacidade nem estrutura para receber um jogo de final de Campeonato Paulista. Veja neste vídeo do conselheiro Rachid Bourdoukan como os torcedores santistas sofreram para acompanhar o primeiro jogo da decisão do Campeonato Paulista.

Torcedores compraram ingressos para um setor demarcado para a torcida do Santos, mas não puderam entrar no estádio por usarem camisas do time. Uma criança tinha sede, mas não havia água para comprar; torcedores tinham fome, mas a lanchonete estava fechada; uma multidão tentava entrar no minúsculo banheiro, mais lotado do que coletivo na hora do rush…

Ingressos numerados? Lugares reservados para deficientes? Esqueça (veja na comemoração do gol do Santos uma muleta ser agitada). O Estatuto do Torcedor foi esquecido pela Federação Paulista de Futebol, presidida por Reinaldo Carneiro Bastos; pelo Santos Futebol Clube, do presidente por Modesto Roma, e pelo Audax, de Vampeta. Os três foram irresponsáveis.

Por não fazer o óbvio, que seria marcar os dois jogos para um estádio maior, como Pacaembu ou Morumbi, a Federação, o Santos e o Audax colocaram os torcedores dos dois times, principalmente os santistas, no caso os visitantes, em uma situação de risco.

Lamentável, mais uma vez, a participação de Modesto Roma em uma negociação importante para o Santos. No ano passado, o time já perdeu a Copa do Brasil por consentir com o adiamento da final, e perdeu também a vaga para a Copa Libertadores por usar reservas em jogos decisivos do Campeonato Brasileiro.

Agora, além de correr o grande risco de ser derrotado na primeira partida da final, Roma ainda obrigou seus torcedores a passar situações dramáticas em Osasco. E tudo isso para quê? Para jogar a segunda partida na Vila Belmiro, único estádio em que os jogadores do Santos, e essa diretoria que pensa pequeno, têm confiança em si mesmos. Uma vergonha.

A necessidade de vencer aumentará a pressão sobre o Santos na Vila. Devemos ter confiança na vitória porque o Santos é melhor e tem melhores jogadores do que o Audax, mas o normal era já ter vencido a primeira partida – o que não ocorreu devido às circunstâncias especiais provocadas pela precariedade do estádio, no qual o ambiente hostil aos santistas até pressionou o árbitro Flavio Rodrigues de Souza para cometer erros importantes contra o Alvinegro Praiano, como um pênalti não marcado em Gustavo Henrique, um cartão amarelo ignorado e um impedimento mal assinalado. Jogar em La Bombonera teria sido mais tranquilo. Na Vila nenhum árbitro será louco de prejudicar tão escandalosamente o Santos.

Ronaldo Mendes mais 10

Como em uma final é preciso determinação e confiança na vitória, sugiro que Vitor Bueno seja substituído por Ronaldo Mendes, o jogador mais motivado do Santos no momento. Caso Lucas Lima não possa jogar, que Ronaldo seja escalado. Essa é uma partida em que os jogadores terão de se empenhar além da conta, no ataque e na marcação, movimentando-se bastante, mesmo sem bola. Não dá para ser campeão só cercando, marcando de longe, porque o Audax vai correr bastante e tentar fechar os espaços.

A técnica mais aprimorada e a experiência dos jogadores do Santos, aliadas ao gritos constantes da torcida, só farão a diferença se cada jogador santista se atirar à bola com vontade. E inteligência. Não se pode esquecer que, apesar da longa invencibilidade na Vila Belmiro, muitos dos jogos nesse período terminaram empatados, o que levaria o jogo para a dramática e imprevisível disputa por tiros diretos da marca do pênalti caso uma igualdade volte a ocorrer nesse domingo.

Empatar no caldeirão de Osasco obriga o Santos a vencer domingo. É o único resultado que se espera de um time que fez uma campanha bem superior, tem jogadores mais gabaritados e muito mais bem remunerados, e uma torcida que é mil vezes maior do que a do seu rival.

Promoção do livro Time dos Sonhos vai até 10 de maio

Tenho recebido alguns e-mails de santistas inconformados com o fim da promoção do livro Time dos Sonhos – dentre eles o comovente apelo do garoto Wellington, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Nessa promoção, o leitor tem direito ao livro, de 528 páginas, chamado de “A Bíblia do Santista”, com dedicatória, sem despesa de correio, e ainda ganha a versão eletrônica do livro Donos da Terra, tudo isso por apenas 68 reais, que podem ser pagos parceladamente.

“Não tem lógica o senhor acabar com a promoção antes do Santos ser campeão. Será o meu primeiro livro do Santos, senhor Odir, não acabe a promoção”, pediu o Wellington. Pediu, e será atendido. Será um presente do Blog do Odir para o santista comemorar esta oitava final consecutiva do Campeonato Paulista e, se tudo correr bem, mais um título estadual.

Time dos Sonhos + dedicatória + frete pago + Donos da Terra (versão eletrônica) por apenas 68 reais! Mas só até o dia 10 de maio. Compre já!
DonosdaTerra Neste momento especial da história do Santos, em que o Alvinegro Praiano chega à sua oitava final consecutiva do Campeonato Paulista, presenteie a você mesmo, ou a um(a) santista querido(a), com um exemplar de Time dos Sonhos e ainda ganhe uma versão eletrônica do livro Donos da Terra. Clique aqui para saber como adquirir o seu exemplar de Time dos Sonhos – uma autêntica Bíblia Santista, de 528 páginas – sem nenhuma despesa de correio e com dedicatória do autor, por apenas 68 reais. E ainda receba, gratuitamente, o e-book do livro Donos da Terra.
Promoção se encerra dia 10 de maio!

E você, o que acha disso?