Minhas amigas e meus amigos, esta semana um rapaz, na minha página do Facebook, me perguntou como eu tinha fé em uma vitória sobre o alvinegro da capital, na Vila Belmiro, com o Santos sem três titulares, se no meio da semana, com o time completo, eu disse que ele provavelmente perderia do Internacional, que não vencia há 14 jogos? Bem, a questão primordial é que o futebol não pode ser analisado apenas pela chamada qualidade técnica. Fora de casa, mesmo com todos os seus craques, o Santos tem se apequenado, enquanto diante de sua torcida, mesmo com reservas, ele cresce.

Quando o Santos se porta como um time de verdade e um jogador não quer ser mais estrela do que outro, como ocorreu nesse domingo diante do maior rival, o futebol se torna simples e prevalece a vontade coletiva. Arrisco dizer que se tivesse Victor Ferraz, Lucas Lima e Ricardo Oliveira o Santos não teria vencido, pois ao menos LL e RO já estão com a cabeça bem longe da Vila Belmiro.

Perceba que um dos times considerados favoritos ao título foi derrotado por um Santos com Caju, Jean Mota, Vecchio, Daniel Guedes, Copete, Rodrigão e Walterson. E, como escrevi em algum lugar, mesmo que o onze dos Sub-23 entrasse em campo, ainda assim a vitória poderia vir. Porque há momentos no futebol em que o mais importante é ter alma, coragem, vontade, garra.

Se esse mesmo time, com essa mesma vontade, tivesse jogado contra o Ameriquinha, Coritiba, Figueirense e Internacional, hoje o Santos seria o líder do Campeonato Brasileiro, ou estaria disputando a liderança. Mas Dorival Junior insistiu nos medalhões, insistiu no seu protegido Léo Cittadini, um jogador de algum futuro, mas ainda abaixo do nível que se exige de um profissional, e jogou pontos preciosos no lixo. Hoje o professor fingiu que Cittadini não é seu titular e, com medo da reação da torcida, fez o óbvio ululante, e o Santos ganhou um jogo importante e se manteve na briga por uma vaga no G4.

Como eu já disse, e repito, esse Campeonato Brasileiro será conquistado pelo time menos medíocre. Todas as equipes são apenas medianas e isso explica seus altos e baixos. O time mais aplicado, com jogadores mais comprometidos com a vitória, de mais personalidade e caráter, será premiado. Os que pensam apenas em suas carreiras e agradecem a um Deus particular, como se o Todo Poderoso deixasse de proteger uma comunidade para beneficiar indivíduos, serão castigados.

Espero que essa vitória, que teve o espírito de luta dos jogadores santistas como seu grande destaque, tenha ensinado ao técnico Dorival Junior e à sua equipe que não serão craques no papel que levarão o Alvinegro Praiano a uma vaga na Libertadores, ou até mesmo ao título, mas sim a alma de campeão que uns têm, outros não.

Quanto ao público, tivemos menos de 9.000 pessoas no jogo de maior rivalidade para o torcedor do Santos, a um ticket médio de 50 reais. O que isso significa? Que entrar no nebuloso negócio da arena Portuários, que exigirá um público médio superior a 18 mil pessoas e um ticket médio de 82 reais, por 30 anos consecutivos, é uma sandice sem tamanho que certamente levará o clube à ruína.

Santos 2 x 1 Corinthians
Vila Belmiro, 11/09/2016, 16 horas

Público: 8.610 pessoas. Renda: Renda: R$ 434.160,00.

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes (Caju), Gustavo Henrique, Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia (Vecchio), Jean Mota e Vitor Bueno (Walterson); Copete e Rodrigão. Técnico: Dorival Júnior.

Corinthians: Cássio; Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel; Camacho, Giovanni Augusto (Willians), Marlone, Rodriguinho e Lucca (Romero); Gustavo (Marquinhos Gabriel). Técnico: Cristóvão Borges.

Gols: Marlone aos 36 minutos do primeiro tempo; Vitor Bueno aos 25 (pênalti) e Renato aos 40 minutos do segundo tempo .

Arbitragem: Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP), auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP).
Cartões amarelos: Copete e Vecchio (Santos); Fagner (Corinthians).

Não sei se você entendeu bem
Neste setembro, mês de aniversário do blogueiro, você vai ganhar dois exemplares do Time dos Sonhos mais três versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time por apenas 68 reais! E sem despesas de correio!
Isso mesmo! Compre um exemplar de Time dos Sonhos e ganhe outro de presente, com dedicatórias, mais as cópias eletrônicas de Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time. Tudo isso por apenas 68 reais!
Promoção vai até 9 de outubro ou o fim do estoque!
Conheça os tempos em que o Santos reinava no futebol mundial

Ah, e se quiser pode trocar um exemplar de Time dos Sonhos por um do Dossiê da Unificação dos Títulos Brasileiros, é só pedir pelo e-mail blogdoodir@blogdoodir.com.br

Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
DonosdaTerraA sensação de ser especialPedrinhoEscolheuUmTime
Entre aqui e compre apenas um exemplar de Time dos Sonhos, que eu mando os outros livros de presente para você.
Clique aqui para comprar o livro Time dos Sonhos, a Bíblia do Santista, e ganhar mais um exemplar de graça, ou um Dossiê, além das versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time, frete pago e dedicatória exclusiva. Tudo isso só por R$ 68,00 e ainda dá pra parcelar. Clique já!

E pra você, o que significou essa vitória?