Logo cedo recebi o link de uma matéria que me deixou consternado, arrasado, perplexo. Já tinha ouvido rumores sobre esse fato, mas preferia não acreditar. Um conhecido já me tinha dito que só de Piracicaba entraram 350 novos sócios nos dois últimos dias antes de vencer o prazo para votar para presidente do Santos. Disse que tinha os nomes dos sócios e o nome de quem pagou pelas filiações. Confesso que nem tive vontade de saber. Sou daqueles que considera os santistas seres especiais, íntegros, incapazes de transgredir as regras, ainda mais em um ato sagrado que é o de uma eleição.

Creio que todos nós, principalmente alguns como eu, que saíram em passeatas pelas eleições diretas, creditamos às eleições livres e limpas a máxima manifestação da democracia, algo que jamais pode ser fraudado. Porém, as informações claras e precisas dos jornalistas Diego Garcia e Thiago Cara, do site ESPN.com.br, me derrubaram. Elas são tão detalhadas e contundentes que é impossível não acreditar que houve um movimento orquestrado para associar milhares de pessoas ao Santos apenas para votar na eleição do dia 9 de dezembro e garantir a reeleição de Modesto Roma, a exemplo do que ocorreu no Vasco da Gama do autoritário Eurico Miranda.

A matéria fala da “participação do empresário Luiz Taveira, um dos mais fortes nos bastidores santistas e braço direito do atual presidente e candidato à reeleição Modesto Roma Júnior”. Há a informação de que “quatro parentes próximos de Taveira, além de outras pessoas que usaram o mesmo endereço, se associaram nos dias 23 e 29 de novembro. Com o mesmo logradouro de dois desses parentes próximos, por exemplo, também se associaram mais três pessoas, todas fornecendo ao clube e-mails ligados a Taveira – ou de outro de parente ou de uma de suas empresas, a LTT Soccer. Já com outro parente do empresário, ganharam direito a voto mais duas pessoas que deram o mesmo endereço e também e-mails já utilizados anteriormente.”

Se fossem apenas cinco, seis ou sete associação, eu não ficaria alarmado. Mas o trabalho de pesquisa dos jornalistas nos mostra que só no dia 29 de novembro de 2016 o Santos recebeu 612 novos associados, o que não ocorria desde 2012, quando o time comemorava o seu centenário. Esses novos associados entraram em cima da hora para ter o direito de voto nas eleições presidenciáveis de 9 de dezembro próximo.

Sobre as associações recebidas em 29 de novembro de 2016, “recorde de novas adesões no Santos nos últimos cinco anos”, há uma informação cômica, não fosse trágica: 55 pessoas anotaram como seu e-mail o insólito naotem@naotem.com.br e 37 usaram sememail@santosfc.com.br. Sei que parece piada, mas foi assim mesmo que ocorreu e o clube aceitou normalmente essas inscrições.

Digo que aceitou normalmente porque hoje, dia 29 de novembro, ao ser questionado com relação ao grande número de associados em tão pouco tempo e a forma desleixada e suspeita com que as fichas de inscrição foram preenchidas, o clube respondeu que se associar ou não é questão que depende apenas da vontade do associado. Ora, ou é ingenuidade, ou má fé, ou negligência, já que os fatos evidenciam graves delitos. É preciso defender a instituição, não uma gestão. Todos os envolvidos serão responsabilizados se o Santos for punido por crime eleitoral, estejam certos disso.

A eleição no Santos é algo seríssimo, pois define quais pessoas administrarão um clube com uma história riquíssima, com mais de oito milhões de torcedores no mundo e que movimenta um capital de 600 a 800 milhões de reais por triênio. Um clube que passa por um delicado momento financeiro e exigirá transparência, competência e muita responsabilidade em sua condução, sob o risco de entrar em falência e sofrer profundas decepções no campo esportivo.

O torcedor santista, o cidadão comum, está preparado para aceitar normalmente o resultado das urnas em uma eleição limpa, decidida apenas pelo uso consciente e democrático dos votos. Agora, ninguém gosta de ser enganado, qualquer um se revolta ao constatar que está sendo usado em um jogo de cartas marcadas. Por isso, essa grave denúncia na matéria da ESPN.com.br precisa ser apurada com rigor.

A seguir, na íntegra, a matéria assinada por Diego Garcia e Thiago Cara:

Antes de eleição, Santos tem explosão de novos sócios com inscrições suspeitas

Publicado em 29/11/2017, 10:15

A lista de sócios aptos a votarem nas eleições que definirão o próximo presidente do Santos, em dezembro, conta com mais de 2 mil pessoas que se associaram ao clube em um intervalo de apenas 17 dias. O “boom” aconteceu no fim de 2016, justamente às vésperas da data limite para que novos associados tivessem direito a participar do pleito agora em 2017.

O ESPN.com.br teve acesso aos dados completos dos santistas com direito a voto e verificou diversas coincidências que levantam suspeitas sobre o crescimento acelerado no quadro associativo, principalmente, entre 23 de novembro e 9 de dezembro de 2016 – essa última data exatamente um ano antes da eleição, período exigido em estatuto para que um novo associado possa votar.

Somente nesses 17 dias, o Santos ganhou exatos 2.098 novos adeptos, mais que os meses de outubro, setembro, agosto e julho somados. Chama atenção também a concentração de adesões em dias iguais, com 612 pessoas se associando em 29 de novembro ou outras 482 em 6 de dezembro, por exemplo, em marcas que o clube não tinha em uma mesma data desde 2012.

Considerando todo o ano de 2016, a equipe alvinegra ganhou 6.942 sócios. Até outubro, a média mensal de adesões foi de 462 pessoas; já em novembro e apenas nos nove primeiros dias de dezembro, esse número mais do que dobra, subindo para 1.157.

As suspeitas, contudo, vão além dos números e incluem até a participação do empresário Luiz Taveira, um dos mais fortes nos bastidores santistas e braço direito do atual presidente e candidato à reeleição Modesto Roma Júnior. Nos dias 23 e 29 de novembro, por exemplo, quatro parentes próximos se associaram ao clube e, com eles, mais pessoas usando os mesmos endereços.

Com o mesmo logradouro de dois desses parentes próximos, por exemplo, também se associaram mais três pessoas, todas fornecendo ao clube e-mails ligados a Taveira – ou de outro de parente ou de uma de suas empresas, a LTT Soccer. Já com outro parente do empresário, ganharam direito a voto mais duas pessoas que deram o mesmo endereço e também e-mails já utilizados anteriormente.

As associações do dia 29 de novembro, recorde de novas adesões no Santos nos últimos cinco anos, mesmo dois dias após uma derrota do time no Campeonato Brasileiro, também têm diversas inconsistências. O e-mail, por exemplo, é dado obrigatório para cadastro, mas 55 pessoas se associaram usando “naotem@naotem.com.br”. Outras três com “naotememail@gmail.com”, 37 com o domínio “sememail@santosfc.com.br” e sete com “sfcssememail@gmail.com”.

Outro ponto são onze pessoas com o mesmo número de telefone, sendo que alegaram morar em quatro municípios diferentes: Itanhaém, São Vicente, Nova Lima e Santos. Outras com o contato de celular idêntico também chamaram a atenção da reportagem.

Vinte e duas delas moram na mesma avenida, na Cidade Náutica, em São Vicente, sendo metade delas distribuídas em duas casas, e o restante em construções bem próximas – a cidade vizinha a Santos, aliás, colocou 151 novos associados nesse dia.

Seis dias antes, em 23 de novembro, o e-mail “naotem@gmail.com” já tinha aparecido em 24 novos cadastros, sendo eles de Osasco, Itanhaém, São Vicente, Santos e até Jardinópolis. Foram mais 12 com o domínio “sememail@santosfc.com.br” e outros três “sfcnaotememail@gmail.com”.

No dia 2 de dezembro, 110 novos sócios ingressaram no quadro santista com o e-mail “naotem@naotem.com.br” e mais 120 apareceram como novidades do dia 5 – totalizando, portanto, quase 300 novos associados em uma semana com o mesmo domínio inexistente.

Ainda no dia 2, dez sócios tinham o mesmo número de telefone, sendo seis deles com o endereço eletrônico “naotem@naotem.com.br”. Outros dez distintos possuíam linha telefônica e e-mail idênticos – o mesmo “naotem@naotem.com.br”.

Em outro item curioso, 13 novos associados do dia 2 de dezembro citaram o mesmo e-mail, com número de contato de uma pousada na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo, no interior de São Paulo. A reportagem procurou o celular cadastrado e foi atendida por um homem de nome “Luciano”. Ele disse que, de fato, todos funcionários do local torcem para o Santos e se associaram no mesmo dia. No entanto, na lista dos novos adeptos, nenhum se chama Luciano.

Outro e-mail que se repete em meio ao boom de novos sócios é o de Alexandre Cruz da Cunha, associado ao Santos desde 2012. Ele já foi presidente do grupo chamado Terceira Via Santista – que apoiou Orlando Rollo nas últimas eleições –, mas renunciou e hoje é cabo eleitoral para a reeleição de Modesto. São oito pessoas que se associaram utilizando seu endereço eletrônico, sendo seis apenas nos dias 2 e 5 de dezembro de 2016.

Há ainda casos de sócios que a reportagem confirmou torcerem para Corinthians e São Paulo, algo comum em clubes sociais, caso por exemplo dos arquirrivais santistas, mas não o do Santos, que destaca-se apenas pelo futebol.

Ainda existem novos sócios que torcem para os arquirrivais Corinthians e São Paulo – o fato não teria problema nenhum caso o Santos fosse um clube social, caso dos dois adversários citados na capital, o que não é o caso, já que a agremiação praiana destaca-se apenas pelo futebol.

Perguntado sobre o crescimento no número de sócios no fim de 2016 e também sobre a entrada de pessoas ligadas a Taveira, o Santos respondeu que “o crescimento do número de sócios do Clube tem ocorrido de forma constante, a partir dos bons resultados em campo e a maior divulgação dos benefícios oferecidos pelo Programa Sócio Rei” e que “o ingresso de sócios, nesse contexto, se dá pelo livre arbítrio da parte interessada, não cabendo ao Clube qualquer medida restritiva de acesso, a não ser as que demandam informações cadastrais.”

A equipe também foi questionada se há alguma determinação para que atletas do Santos se associem ao clube, já que, no dia 29 de novembro de 2016, diversas jogadoras da equipe feminina do clube se tornaram sócias juntas na mesma data. A resposta foi a mesma de que “o ingressos de sócios se dá pelo livre arbítrio da parte interessada.”

Além do atual presidente Modesto, também já anunciaram candidatura para o pleito do próximo dia 9 de dezembro três chapas de oposição: a “O Santos que Queremos”, com Nabil Khaznadar como candidato; “Santástica União”, de Andres Rueda Garcia; e o movimento “Somos Todos Santos”, encabeçado por José Carlos Peres.

A polêmica com as listas de sócios com direito a voto não é a primeira nas eleições santistas. Recentemente, a ESPN apontou possível “pedalada fiscal” da atual diretoria no último balanço antes do pleito, que apontou superávit de R$ 79,7 milhões, apesar de o clube possuir diversas dívidas com empresários e atletas que ficam em pelo menos R$ 40 milhões.

Diante das suspeitas, as chapas de oposição estudam entrar na Justiça pedindo explicações ao Santos, em movimento parecido ao que aconteceu no Vasco – que também registrou aumento considerável no número de sócios às vésperas da data limite para novos eleitores. Hoje, o pleito vascaíno tem vencedor indefinido, entre Eurico Miranda e Julio Brant, já que os associados sob suspeita tiveram que votar em urna separada e foram decisivos para o resultado final.

Clique aqui para ver a matéria da ESPN.com.br

E você, o que acha disso?

Hoje nosso encontro é em São Bernardo
Olá santista e sócio do Santos da região do ABCD. Hoje, 29 de novembro, o encontro da chapa Somos todos Santos será no São Bernardo Tênis Clube, na Rua Tietê, 255, Rudge Ramos, São Bernardo do Campo.
O candidato a presidente José Carlos Peres, Orlando Rollo e eu estaremos lá, a partir das 19 horas, para falar do programa de nossa chapa e para responder quaisquer dúvidas sobre nossa gestão. É hora de mudar o Santos!