Já estou em Santos para a sessão de autógrafos dos livros Dossiê Unificação dos Títulos Brasileiros e Time dos Sonhos, ao lado de José Carlos Peres, a partir das 19 horas, no bar Maria Chuteira, e, de repente, quase sem explicação, me ocorreu que o sentimento mais eterno que existe é o amor.

O verdadeiro amor rompe o tempo e permanece eternamente jovem e instigante, e também sábio e plácido. Sei que escrevo para pessoas que valorizam o amor, pois nada mais explicaria nosso interesse por um time de futebol.

E quais seriam as características atávicas do amor?

Bem, respeito opiniões contrárias, mas para mim ele não pode ser possessivo, excludente. É obrigatório que seja abrangente e universal, pois ele existe para unir, jamais separar; ele não segrega, congrega. Falo agora do amor porque percebi que esse que é o mais puro e poderoso dos sentimentos tem tudo a ver com o que queremos para o nosso Santos.

Não há santista daqui ou santista dali, Somos todos Santos e esse nome não poderia ter sido mais feliz para definir a nossa chapa. Não nos proclamamos gigantes ou fantásticos. Somos apenas Santos, mas somos totalmente Santos, sem divisões, sem privilégios, queremos que o mais humilde dos santistas, do lugar mais distante, se sinta tão dono do clube como nós.

AMOR é uma palavra tão bonita… Lembra a imensidão do mar, a união e a renovação dos seres e da esperança. Esqueçamos aquilo que representa o contrário do AMOR. Esqueçamos a palavra e o sentimento de segregação que representam o contrário de A-M-O-R, letra por letra, pensemos apenas no AMOR fraterno que queremos para o nosso Santos.

O ETERNO E O TRANSITÓRIO

Livros são eternos porque a história é eterna. Quem torce para qualquer outro time talvez nem precise ler livros de futebol, mas o santista de verdade tem essa obrigação porque o Santos continua sendo um dos maiores mais por tudo o que já fez do que pelo que está fazendo. Outra necessidade eterna é a ética. Nada que é feito sem ela tem valor. Mas sobre isso falarei mais abaixo. Primeiro, concentromo-nos na imortalidade da história…

Em poucas palavras, a história fica. Quando, lá na frente, perguntarem a você quais suas lembranças deste longínquo Campeonato Brasileiro de 2017, o que dirá? Que o Santos foi campeão, vice, que conseguiu uma vaga para a Libertadores… Sim, parece que o que nos resta é essa última possibilidade. Por isso o jogo de logo mais, em Chapecó, é tão importante.

No ano passado o Santos foi o único time que ainda adiou a festa do eneacampeão Palmeiras. Agora é aquele que novamente pode retardar os fogos do alvinegro da capital. Para isso, porém, precisará vencer hoje, a partir das 20 horas, na Arena Condá, o que, sabemos, não é fácil. A Chapecoense ressurgiu dos céus para se tornar um adversário perigoso dentro ou fora de sua casa e hoje lutará muito pelos três pontos que significarão sua permanência na Série A.

O time de Santa Catarina tem o oportunista centroavante Wellington Paulista e o rápido lateral-direito Apodi, que já jogaram no Santos e por isso nos colocam em alerta com relação à “maldição do ex”. Que sejam bem marcados.

Sem David Braz e Bruno Henrique, o Santos deverá ser escalado por Elano com Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Caju; Alison e Renato; Lucas Lima, Copete e Arthur Gomes; Ricardo Oliveira. No papel, pode ganhar os três pontos, mas o santista sabe que no quesito espírito de luta, que acaba decidindo um jogo desses, os adversários têm mostrado mais. Vamos ver até que ponto esses nossos jogadores estão comprometidos com a sagrada história do Santos…

Em uma eleição, a ética é sagrada

Em uma eleição, como a que teremos para a presidência do Santos, dia 9 de dezembro, as promessas e as mentiras passarão, mas ficarão a verdade e as obras efetivamente construídas. Enfim, a ética pairará sobre as aflições e ambições do momento. Pessoas sairão dela mais fortes e respeitadas, outras perderão a alma em busca de recompensas imediatas e transitoriamente materiais. Faço esse preâmbulo antes de tocar em um assunto bem relevante…

Recebi esses dias o e-mail de um eleitor preocupado com a lisura das eleições santistas. Ele escreveu:

Sobre o que aconteceu na eleição do Vasco, temo que possa acontecer o mesmo na eleição do SFC.
https://oglobo.globo.com/esportes/torcedor-revela-convite-de-funcionario-do-vasco-virar-socio-sem-pagar-so-para-votar-22058193

Senão vejamos. Consegui me cadastrar no sociorei em (setembro passado), com o número de matrícula 999.999 (não colocarei seu nome e nem seu número de matrícula para protegê-lo, mas ele se prontificou a depor em juízo caso seja necessário), estando apto a votar na eleição de 09.12.2017. Ao conferir a listagem de sócios, divulgada no portal do SFC, notei que o último dessa lista apto a votar nessa eleição tem o numero de matrícula 175.558 (Flavio H. Cuoghi). Tal como ocorreu na eleição do Vasco, como não suspeitar desse movimento atípico de associação, pois foram quase 3.100 novos sócios em pouco mais de 2 meses? No caso do Vasco, a oposição tomou algumas medidas para poder rastrear as possíveis irregularidades.
Grato

Bem, eu já tinha recebido denúncias dando conta de que no final do ano passado muitas pessoas, todas ou quase todas da Baixada Santista, foram agraciadas com carteirinhas quitadas de sócio do Santos. Não poderia divulgar isso sem provas ou evidências. Agora, diante desse e-mail tão preocupante, resolvi pesquisar alguns nomes dessas 3.100 pessoas que se tornaram sócias no final de 2016, a ponto de poderem votar agora.

Bem, todos os novos sócios que eu pesquisei realmente moram ou trabalham em cidades da Baixada Santista. Muitos, pelo que vi, não têm qualquer ligação com o Santos ou mesmo com o futebol. É estranho que tanta gente da mesma região, em tão pouco tempo, tenha se associado ao Santos? Sim, pois se essa média fosse normal o clube conquistaria 30.000 associados por ano e não os estaria perdendo em progressão geométrica, como ocorreu em todos os outros meses desta gestão. E por que quase todos são da Baixada Santista, que normalmente contribui com um número bem menor de associados do que a Capital? Bem, são coisas para se pensar…

Sei que muitos moradores de Santos já ouviram essa história e até dizem saber quem estaria por trás dessa suposta distribuição de carteirinhas. Mas aqui cabe uma pergunta: isso é ilegal? Que eu saiba, não. Se muitas pessoas quisessem votar em um candidato a presidente do Santos, mas não tivessem dinheiro para se associar, poderiam recorrer a alguém que lhes pagasse as carteirinhas? Sim.

Agora, algumas dúvidas ficariam no ar: Foram essas pessoas que as pediram, ou receberam as carteirinhas sem ao menos serem consultadas? De onde veio o dinheiro para pagar por essas associações? De um investidor, de um empresário, do…? A verba recorrente dessas milhares de associações está sendo computada no último balanço do clube? Se a anuidade do Santos é de 260 reais, 3.000 sócios representam 780 mil reais!

É bom que isso fique esclarecido porque a dúvida gera a desconfiança. Mesmo que seja legal, obviamente não é ético agir assim para se ganhar uma eleição, e a ética é uma obrigação em todas as relações humanas, principalmente naquelas que mexem com as vontades e os destinos de tantas pessoas, que é a eleição para o comando de um clube de futebol. Quem trapaceia no pleito, trapaceará muito mais quando tiver o poder nas mãos. Por isso, o próprio clube, para que não fique nenhuma dúvida no ar, deveria explicar o porquê desses milhares de sócios que desembarcaram no Alvinegro Praiano no finalzinho de 2016, em cima do prazo para garantir o direito de voto na eleição de 9 de dezembro de 2017.

Enfim, o essencial é a democracia, o respeito à vontade do eleitor, a obediência ao livre desenvolvimento dos fatos. Aqui neste blog todos sabem de minha preferência por José Carlos Peres e pela chapa Somos todos Santos, que me dará a oportunidade de atuar mais diretamente no clube durante três anos, trabalhando para realizar muitos dos planos e sonhos que desfilamos aqui, mas já li comentários neste blog falando de outras preferências, contrárias à minha indicação. Ótimo. Percebo que aqui há partidários de todos os candidatos. Tudo bem, desde que discutamos ideias. Se a escolha é consciente e leva em conta o que é melhor para o Santos, nada a objetar. Que vença quem realmente tiver mais capacidade de mudar o Santos, com competência, transparência e profissionismo. Mas sem esquecer a obrigatória ÉTICA, por favor.

E você, o que acha disso?

Mudança de domicílio eleitoral
Você que é sócio do Santos e quer votar em São Paulo no dia 9 de dezembro, deve enviar um e-mail para o endereço domicilioeleitoral@santostd.com.br avisando que pretende votar em São Paulo. O e-mail deve conter o seu nome completo, número do CPF e número de sua carteirinha de sócio do Santos. No dia da eleição, compareça à sede da Federação Paulista de Futebol, na rua de mesmo nome, Barra Funda, com sua carteirinha do Santos e um documento de identidade com foto.