Distintivo
O Santos só utilizou dois distintivos em toda a sua existência. O que existe hoje, cujas únicas modificações foram as duas estrelas, que simbolizam os títulos mundiais, e as letras S F C, que se tornaram mais encorparadas. E este outro, à esquerda, utilizado nos anos de 1943 e 44.

Em 1912, ano de sua fundação, acredita-se que o Santos adotou o distintivo e as cores do Concórdia (azul, branco e dourado), clube onde foi realizada sua primeira assembléia. Mas não há evidências de que esta camisa tenha sido usada uma única vez. O primeiro distintivo do Santos, criado em 1913, tinha um globo terrestre com os paralelos de latitude e longitude, um escudo no centro, com dez listras verticais em preto e branco, uma faixa diagonal com o monograma SFBC (Santos Foot-Ball Clube), e do lado esquerdo superior uma esfera simbolizando a bola de futebol. Acima do escudo havia uma coroa. Em 1915, para poder disputar um torneio na cidade, o clube adotou o pseudônimo de União e um escudo com o nome União entre losangos. O distintivo atual surgiu na década de 1930 e nos anos 60 foram incorporadas duas estrelas douradas, simbolizando os títulos mundiais de 1962 e 63.

Mascote

Os santistas foram chamados de “peixeiros” por torcedores do São Paulo em um jogo na Vila Belmiro pelo Campeonato Paulista de 1935, ano em que o Santos foi campeão. A partir daí o time passou a ser apelidado de Peixe. Também há documentos que mostram um tubarão como o símbolo santista, mas oficialmente o clube adota a baleia, um mamífero que é o maior animal do planeta, como o seu mascote. Em agosto de 2006 foram lançados as personagens Baleinha e o Baleião, que participam do começo e do intervalo dos jogos, atuam em diversas ações promovidas pelo clube e aproximam o Santos do público infantil. Empregados em vários produtos licenciados pelo Santos, Baleinha e Baleião ganharam o prêmio iBest de Marketing.


Bandeira

Apresentada por Raymundo Marques em uma sessão para eleger a nova diretoria do clube, a bandeira oficial do Santos é branca, atravessada diagonalmente por uma faixa preta, com as iniciais do clube em letras brancas.

Uniforme

Consta que a camisa do Santos deveria ter listras verticais azuis e brancas, separadas por um fio dourado. Porém, devido à dificuldade de se encontrar tecidos azuis e dourados, aceitou-se a proposta de Paulo Peluccio de transformar o time em alvinegro, com “o branco da paz e o negro da nobreza”. O primeiro uniforme teria camisas listradas e o segundo seria todo branco, mas com o tempo a ordem se inverteu. Hoje o uniforme principal do Santos tem camisas, calções e meias brancas; enquanto o reserva tem camisas listradas.

HINOS

Hino Oficial

Composto por Carlos Henrique Roma em 1957

Sou alvinegro da Vila Belmiro
O Santos vive no meu coração
É o motivo de todo o meu riso
De minhas lágrimas e emoção

Sua bandeira no mastro é a história
De um passado e um presente só de glórias
Nascer, viver e no Santos morrer
É um orgulho que nem todos podem ter

O Santos pratica o esporte
Com dignidade e com fervor
Seja qual for a sua sorte
De vencido ou vencedor

Com técnica e disciplina
Dando o sangue com amor
Pela bandeira que ensina
Lutar com fé e com ardor

Hino Popular

Composto por Mangeri Neto e Mangeri Sobrinho em 1955

Agora quem dá bola é o Santos
O Santos é o novo campeão
Glorioso alvinegro praiano
Campeão absoluto desse ano

Santos, Santos sempre Santos
Dentro ou fora do alçapão
Jogue o que jogar
És o leão do mar
Salve o nosso campeão

Gritos da Torcida

Saaaaaantoooos! Saaaaaantoooos! Saaaaaantoooos!

Vai pra cima deles, Santos
Vai com determinação
Tu que és o Glorioso
Vista o teu manto com amor e emoção