Diversos Livros em Promoção na Livraria do Odir

Competições

Classificação do Santos nos Campeonatos Brasileiros

Pelé, campeão brasileiro de 1962, com a Taça Brasil, após vitória de 5 a 0 sobre o Botafogo

1959: vice-campeão
1960: não participou
1961: campeão
1962: campeão
1963: campeão
1964: campeão
1965: campeão

1966: vice-campeão
1967: sexto
1968: campeão
1969: oitavo
1970: décimo
1971: nono
1972: oitavo
1973: sexto
1974: terceiro
1975: 26º
1976: 21º
1977: 21º
1978: 23º
1979: não participou
1980: sétimo
1981: nono
1982: sétimo
1983: vice-campeão
1984: nono
1985: 26º
1986: 19º
1987: 15º
1988: 17º
1989: 12º
1990: sétimo
1991: oitavo
1992: sétimo
1993: quinto
1994: nono
1995: vice-campeão
1996: 20º
1997: sétimo
1998: terceiro
1999: 11º
2000: 18º
2001: 15º
2002: campeão
2003: vice-campeão
2004: campeão
2005: décimo
2006: quarto
2007: vice-campeão
2008: 16º
2009: 12º

—————————————————————————————————————————————-

Todos os jogos do Santos na Copa do Brasil 2010

Primeira Fase

Naviraiense 0 x 1 Santos
Local: Estádio Morenão, Campo Grande (MS). Data: 24/02/2010, quarta-feira. Renda e Público: R$ 177.325,00, 9.062 pagantes. Naviraiense: Aldo, Giordan, Jaime, Junior Camaçari, Adriano Lajes; Buru, Maílson, Jean (Marcelo), Fábio; Biro e Cristiano (Célio Lima). Técnico: Paulo de Rezende. Santos: Felipe, Maranhão (Marquinhos), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley e Paulo Henrique; Neymar, Robinho (Madson) e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Júnior.
Gol: Marquinhos, aos 36 minutos do segundo tempo. Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR). Assistentes: Gilson Bento Coutinho (PR) e Luiz Souza Santos Renesto (PR). Cartões amarelos: Adriano Lajes (NAV) Maranhão (SAN).

O jogo
Bem armado pelo técnico Paulo de Rezende, o time de Naviraí surpreendeu e chegou a ter mais oportunidades de gol do que o Santos no primeiro tempo. Na segunda etapa o Santos melhorou e Marquinhos, que havia entrado no lugar de Maranhão, acabou fazendo o gol da vitória – que, no entanto, não impediu a realização da segunda partida, em Santos, o que já foi considerado uma vitória pelo valente campeão do Mato Grosso do Sul.

Santos 10 x 0 Naviraiense
Local: Vila Belmiro, Santos (SP). Data: 10/03/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 158.001,00, 11.336 pagantes. Santos: Felipe, Maranhão, Edu Dracena (Giovanni), Durval e Pará; Arouca, Marquinhos, Paulo Henrique Ganso; Neymar, Robinho (Madson) e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Júnior. Naviraiense: Aldo, Giordan, Jaime, Célio Lima e Adriano Lajes; Jean Carlos, Jacó Pitbull, Maílson e Marcelo Castelli (Jean Michel); Cristiano e Tom (Clécio). Técnico: Paulo de Rezende. Gols: Paulo Henrique Ganso aos 6, André aos 27 e 37, Neymar aos 29, Robinho aos 32 e Marquinhos aos 45 minutos do primeiro tempo; Neymar aos 9, André aos 14 e Madson aos 20 e 32 minutos do segundo. Árbitro: Pablo dos Santos Alves (RJ). Auxiliares: Marco Aurélio Pessanha (RJ) e Lilian da Silva Fernandes (RJ). Cartões amarelos: Arouca, Edu Dracena e Durval (Santos); Jacó Pitbull, Jean Michel e Tom (Naviraiense). Cartões vermelhos: Jacó Pitbull, aos 35 minutos do primeiro tempo e Jean Michel, aos 34 do segundo.

O jogo
Em exibição que reviveu as goleadas de dois dígitos do Santos de Pelé, logo aos seis minutos Robinho fez grande jogada pela direita e cruzou para Paulo Henrique Ganso abrir o marcador. No intervalo de 10 minutos, entre os 27 e 37 da primeira etapa, o Santos marcou quatro vezes. André foi o artilheiro do jogo, com três gols, mas Neymar marcou o mais bonito, aos 9 da segunda etapa, quando driblou três adversários para fazer 7 a 0.

Remo 0 x 4 Santos
Local: Estádio Mangueirão, Belém (PA). Data: 18/03/2010, quinta-feira. Renda e público: R$ 549.945,00, 19.445 pagantes. Remo: Adriano, Índio, Pedro Paulo, Raul e Paulinho; Danilo, Fabrício Carvalho (Otacílio), Ramón e Samir; Helliton (Gian) e Marciano. Técnico: Sinomar Naves. Santos: Felipe, Wesley, Edu Dracena, Durval, Pará; Rodrigo Mancha, Arouca, Marquinhos (Rodriguinho) e Paulo Henrique Ganso (Maikon Leite); Neymar e André (Madson). Técnico: Dorival Junior. Gols: Neymar aos 21 e André aos 42 minutos do primeiro tempo; André aos 3 minutos e Neymar, aos 36 do segundo. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG). Auxiliares: Márcio Eustáquio Sousa Santiago (Fifa-MG) e Francisco Pereira de Lima Júnior (PI). Cartões amarelos: Pedro Paulo, Raúl e Gian (REM); Marquinhos, Durval e Rodrigo Mancha (SAN).

O jogo
Um bom público compareceu ao Mangueirão na esperança de que o popular Clube do Remo ao menos não perdesse por dois gols de diferença e obrigasse a realização da partida de volta. Mas o Santos jogou muito bem, como se estivesse em casa, e mesmo sem Robinho, poupado, chegou a uma vitória tranqüila, com grandes exibições de Neymar e André, que dividiram a artilharia, com dois gols cada.

Oitavas de final

Santos 8 x 1 Guarani
Local: Vila Belmiro, Santos (SP). Data: 14/04/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 205.435,00, 8.131 pagantes. Santos: Felipe, Wesley, Edu Dracena (Pará), Durval e Léo (Madson); Arouca, Marquinhos e Paulo Henrique Ganso; Robinho, Neymar e André (Marcel). Técnico: Dorival Junior. Guarani: Juliano; Valdir, Cássio e Dão; Cléber Goiano, Maycon, Alex Cruz (Leo Mineiro), Walter Minhoca (Moreno), Fabinho e Fábio Almeida; Anderson Costa (Da Silva). Técnico: Waguinho Dias. Gols: Neymar aos 2, 30 e 38 e Robinho aos 31 minutos do primeiro tempo; Marcel aos 11, Robinho aos 14, Moreno (GUA) aos 28min e Neymar aos 36 e aos 40 do segundo. Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL). Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Márcio Luiz Augusto (SP). Cartões amarelos: Léo, Marcel, Neymar e Durval (SAN); Cléber Goiano, Anderson Costa, Valdir e Maycon (GUA). Cartão vermelhos: Cléber Goiano (GUA).

O jogo
Com a mística dos Meninos no auge, o Santos voltou a dar show e Neymar brilhou novamente, com cinco gols e exibição de gala. Outros destaques foram Robinho, com dois gols, e Paulo Henrique Ganso, que não marcou, mas serviu os companheiros como maestria. Aos 31 minutos o jogo estava definido, pois o Santos já vencia por 3 a 0. Descontrolado, o Guarani apelou para a violência e Cléber Goiano acabou expulso.

Guarani 3 x 2 Santos
Local: Estádio Brinco de Ouro, Campinas (SP). Data: 21/04/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 150.439,00, 8.481 pagantes. Guarani: Juliano, Da Silva, Cássio, Dão e Fabinho Almeida; Fabinho Romão, Maycon, Léo Mineiro (Paulinho) e Moreno; Alex Cruz (Mário Lúcio) e Anderson Costa (Richard Falcão). Técnico: Waguinho Dias. Santos: Felipe, George Lucas, Rodrigo Mancha, Bruno Aguiar e Alex Sandro, Roberto Brum, Rodriguinho, Germano e Breitner (Giovanni); Madson (Zezinho) e André (Marcel). Técnico: Dorival Junior. Gols: Da Silva aos 6, Breitner aos 11, Alex Sandro aos 20, Richard Falcão aos 44 e aos 48 minutos do segundo tempo. Árbitro: Élcio Paschoal Borborema (SP). Auxiliares: Hilton Francisco de Melo (SP) e Luiz Quirino da Costa (SP). Cartões amarelos: Fabinho Romão (GUA), Léo Mineiro e Juliano ; George Lucas (SAN), Marcel e Rodriguinho. Cartões vermelhos: Maycon (GUA) e Zezinho (SAN).

O jogo
Como o Santos só seria desclassificado se perdesse por oito gols de diferença, Dorival Junior escalou apenas dois titulares – o goleiro Felipe e o centroavante André – para jogar em Campinas. E mesmo assim o Santos vencia por 2 a 1, de virada, até os 44 minutos do segundo tempo, quando Richard Falcão marcou duas vezes seguidas e salvou a honra do Guarani. Uma derrota que entra nas estatísticas, mas não teve a menor importância.

Quartas de final

Atlético/MG 3 x 2 Santos
Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG) Data: 28/04/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 1.003.460,00, 46.239 pagantes. Atlético/MG: Aranha, Carlos Alberto, Werley, Jairo Campos e Júnior; Zé Luis, Fabiano (Renan Oliveira), Correa (Jonílson) e Ricardinho (Leandro); Muriqui e Diego Tardelli. Técnico: Vanderlei Luxemburgo. Santos: Felipe; George Lucas (Maranhão), Durval, Edu Dracena e Pará; Arouca, Wesley, Marquinhos (Rodrigo Mancha) e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Junior. Gols: Diego Tardelli aos 2 e aos 40, e Robinho aos 45 minutos do primeiro tempo; Diego Tardelli, aos 7 e Edu Dracena aos 37 do segundo. Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR). Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Bruno Boschillia (PR). Cartões amarelos: Júnior, Zé Luís (ATL); Pará, Arouca (SAN).

O jogo
Diante de quase 50 mil pessoas e com um desempenho admirável, principalmente de Muriqui e Diego Tardelli – que marcou os três gols do campeão mineiro –, o Atlético foi mais ofensivo e chegou à boa vantagem de 3 a 1, que lhe permitiria até perder por um gol na Vila Belmiro. Porém, no final da partida, em lance de muita categoria, Paulo Henrique Ganso serviu para Edu Dracena marcar um gol decisivo no confronto.

Santos 3 x 1 Atlético/MG
Local: Vila Belmiro, Santos (SP). Data: 05/05/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 278.478,00, 14.245 pagantes. Santos: Felipe, Pará, Durval, Edu Dracena e Léo (Alex Sandro); Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Zé Eduardo), Robinho e André (Marquinhos). Técnico: Dorival Júnior. Atlético/MG: Aranha, Carlos Alberto, Werley, Jairo Campos e Júnior (Marques); Zé Luis, Fabiano, Correa (Evandro) e Ricardinho (Leandro); Muriqui e Diego Tardelli. Técnico: Vanderlei Luxemburgo. Gols: André aos 16, Neymar aos 43 e Correa aos 45 minutos do primeiro tempo; Wesley aos 4 do segundo. Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA). Auxiliares: Adson Márcio Lopes Leal (BA) e Belmiro da Silva (BA). Cartões amarelos: Ricardinho, Diego Tardelli, Fabiano (ATL); Neymar (SAN). Cartão vermelho: Fabiano (ATL).

O jogo
Apesar da guerra de nervos do técnico Vanderlei Luxemburgo, o Santos, que acabara de ser campeão paulista, dominou a partida desde o início. Nem mesmo o gol de Correa, no final do primeiro tempo, reduzindo a vantagem santista para 2 a 1, abalou o ânimo da equipe. Logo aos 4 minutos da segunda etapa Wesley marcou o terceiro e a partir daí a classificação para as semifinais não correu maior risco.

Semifinal

Grêmio 4 x 3 Santos
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS). Data: 12/05/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 819.403,50, 38.475 pagantes. Grêmio: Victor; Ozeia, Rodrigo e Mário Fernandes (Joílson); Edílson, Adílson, Willian Magrão (Fábio Rochemback), Douglas (Maylson) e Hugo; Jonas e Borges. Técnico: Silas. Santos: Felipe, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo (Maranhão); Arouca, Marquinhos (Rodrigo Mancha) (Rodriguinho), Wesley e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André. Técnico: Dorival Junior. Gols: André aos 15 e 20 minutos do primeiro tempo; Borges aos 12, 18 e 30, Jonas aos 22 e Robinho aos 38 do segundo. Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF). Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Enio Pereira de Carvalho (DF). Cartões amarelos: Rodrigo, Ozeia, Hugo, Adílson, Edílson (Grêmio); Durval, Robinho, Marquinhos, Léo, Arouca (Santos).

O jogo
O Santos parecia caminhar para uma goleada quando chegou a 2 a 0 aos 20 minutos de partida. Mas no segundo tempo o Grêmio reagiu e virou para 4 a 2 em 30 minutos. Outro passe genial de Ganso no final deu a Robinho a oportunidade de reduzir para 3 a 4. Mesmo assim, um narrador gaúcho disse que o Santos já estava eliminado, a torcida cantou “o Santos acabou” e Silas afirmou que o seu time era melhor do que os Meninos da Vila.

Santos 3 x 1 Grêmio
Local: Vila Belmiro, Santos (SP). Data: 19/05/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 592.975,00, 13.896 pagantes. Santos: Felipe; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Rodriguinho, Wesley e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Madson), Robinho (Bruno Aguiar) e André (Marcel). Técnico: Dorival Junior. Grêmio: Victor; Edílson, Ozeia, Rafael Marques e Joílson; Adílson, Willian Magrão (William), Hugo (Leandro) e Douglas; Jonas e Borges. Técnico: Silas. Gols: Ganso aos 6, Robinho aos 24, Rafael Marques aos 29 e Wesley aos 40 minutos do segundo tempo. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ). Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-RJ) e Dibert Pedrosa Moisés (Fifa-RJ). Cartões amarelos: Léo, Rodriguinho (Santos); Ozéia, Hugo, Rafael Marques, Victor, Edílson, Willian Magrão, Willian (Grêmio). Cartões vermelhos: Jonas e Rafael Marques (Grêmio); Edu Dracena (Santos).


Três golaços que enterraram um imortal vivo na Vila Belmiro

O jogo
O Santos só abriu o marcador no início do segundo tempo, com um belo chute de Ganso fora da área. Robinho ampliou com uma linda cobertura no goleiro Victor. Rafael Marques diminuiu, aprovetiando rebote de Felipe, mas Wesley matou o jogo com uma arrancada espetacular pela esquerda e um chute quase sem ângulo. Como os gremistas chamam seu time de “imortal”, os santistas disseram que na Vila imortal se enterra vivo.

Final

Santos 2 x 0 Vitória
Local: Vila Belmiro, Santos (SP). Data: 28/07/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 1.151.380,00, 14.060 pagantes. Santos: Rafael; Pará, Bruno Aguiar, Durval e Alex Sandro; Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso (Marquinhos); Neymar, Robinho (Zé Eduardo) e André (Marcel). Técnico: Dorival Junior. Vitória: Lee, Rafael Cruz (Bida), Wallace, Anderson Martins e Egídio; Vanderson, Neto Coruja, Fernando e Ramon (Renato); Elkeson e Schwenck. Técnico: Ricardo Silva. Gols: Neymar aos 14 min do primeiro tempo e Marquinhos aos 38 do segundo. Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa-RS). Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Roberto Braatz (PR). Cartões amarelos: Durval, Pará, Zé Eduardo e Bruno Aguiar (SAN) Schwenck, Anderson Martins, Ramon, Vanderson (VIT).

O jogo
Como o Santos não voltou jogando bem depois das férias da Copa do Mundo, a torcida esperava este jogo com desconfiança. Mas bastou a bola rolar para o time mostrar que era o mesmo. Dominou completamente o Vitória e poderia ter goleado. Neymar chegou a perder um pênalti, que bateu com “cavadinha”. No final, Marquinhos entrou no lugar de Ganso e fez um importante gol de falta. 2 a 0 foi pouco, mas não foi um resultado ruim.

Vitória 2 x 1 Santos
Local: Estádio Barradão, Salvador (BA). Data: 04/08/2010, quarta-feira. Renda e público: R$ 1.531.252,90, 35.000 pagantes. Vitória: Viáfara, Nino(Gabriel), Wallace, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja, Bida e Ramom; Elkeson, Schwenck e Júnior. Técnico: Ricardo Silva. Santos: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Marcel), Robinho e André (Marquinhos). Técnico: Dorival Junior. Gols: Edu Dracena aos 44 minutos do primeiro tempo; Walace aos 12 e Júnior aos 32 minutos do segundo. Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS). Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Erich Bandeira (PE). Cartões amarelos: Rafael, Robinho, Edu Dracena, Pará, André (SAN); Bida, Anderson Martins, Walace e Elkson (VIT).

O jogo
A torcida do Vitória apostava que os Meninos iriam “tremer” no Barradão, onde o time da casa vencera seus jogos com facilidade, sem sofrer gols. O campo pesado e ruim também prejudicava o Santos. Mas o Alvinegro não se intimidou, e o gol de Dracena, no fim do primeiro tempo, definiu o título. Depois, foi só tocar a bola, esperar o tempo passar e comemorar a primeira Copa do Brasil e o nono título nacional da rica história santista.

Classificações do Santos na Taça Libertadores da América
1962: campeão
1963: campeão
1964: semifinal
1965: semifinal
1966: ganhou a vaga, mas não participou
1967: ganhou a vaga, mas não participou
1969: ganhou a vaga, mas não participou
1984: primeira fase
2003: vice-campeão
2004: quartas-de-final
2005: quartas-de-final
2007: semifinal
2008: quartas-de-final

Reveja agora como o Santos ganhou, de virada, do Boca Juniors em La Bombonera, e se sagrou bicampeão da Copa Libertadores (1962-63)

Deixe um Comentário

4 Comentários.

  1. Poxa Odir, está na hora de atualizar esses números.

    Farei isso.

    • Odir é verdade que as taças dos mudiais conquistados pelo santos foram inexplicavelmente perdidas? e as que se observa aos dias de hoje no memorial são replicas?

      Tudo indica que sim.

  2. Odir com relação a nossa recopa mundial conquistada em 1968. será que poderia ser reconhecida como mundial? qual a pespectiva para que isso aconteça, creio que seria bem justa vencemos um torneio sulamericano e depois esse torneio contra a internazionale. será que possibilidades de um reconhecimento desses?

    A Recopa foi uma competição mundial, mas não foi o Mundial de 1968. Foi, digamos, como a Copa do Brasil, comparada ao Campeonato Brasileiro.

  3. Santos Futebol Clube Maior Clube do Século XX nas américas – FIFA. Caro amigo Odir, se é que posso chama-lo assim esse reconhecimento é o meu maior orgulho como santista! gostaria de saber qual seu? sei que temos inumeros mais esse quando estou em discursões com rivais é o primeiro que coloco em pauta deixando os rivais sem argumentos para combater. axo esse o maior reconhecimento da história do santos, isso se deve ao time de 60 ou a toda história? fico intrigado se é pelo esquadrão ou por todo o século afinal. axo que deve ser pelo esquadrão talvez você saiba responder…

Deixe um Comentário


NOTA - Você pode usar estesHTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>