Nada menos do que 38% dos que opinaram na enquete acertaram, dizendo que o Santos ganharia os dois jogos em casa, diante de Coritiba e Vasco, e empataria os dois fora, contra Flamengo e Atlético Paranaense. Para mim, o rendimento foi acima do esperado. Com esses resultados o time tem 24 pontos e está cinco acima da zona de rebaixamento. Vamos ver, agora, como a gente se sai prevendo os próximos quatro jogos do Santos pelo Campeonato Brasileiro…

O primeiro será contra o Avaí, no próximo sábado, às 18h30m, com mando de campo do Santos. Um jogo bom, aliás, para ser marcado para o Pacaembu, pois não haverá outro jogo em São Paulo. Com todo o respeito ao Avaí, é jogo para três pontos.

Depois, no dia 30 de agosto, domingo, às 18h30, o Santos enfrentará o Cruzeiro, em Minas. Bem, aí, apesar de o time mineiro não estar tão bem este ano, deve ser considerado favorito. Um empate não será ruim para o Santos.

Em seguida, o Alvinegro Praiano terá pela frente a Chapecoense, dia 3 de setembro, quinta-feira, às 19h30, com mando de campo santista. Outro jogo, aliás, que poderá ser marcado para São Paulo se a diretoria conseguir se lembrar que a capital paulista tem um milhão de santistas. Esta partida é outra que só a vitória interessa.

Para encerrar a quadra, o time irá à Recife para enfrentar o Sport, dia 6 de setembro, domingo, às 18h30. Nessa partida, o favoritismo será do adversário, mas um empate não estaria fora de cogitação.

Não crucifique Ricardo Oliveira

Sei que depois de perder dois gols feitos diante do Atlético Paranaense, Ricardo Oliveira perdeu a confiança de muitos santistas. Esses querem que o Santos experimente outro atacante, ou que ao menos escale outro cobrador de penalidades. Acho que quanto às penalidades, realmente seria possível testar outros batedores. Oliveira tem cobrado mal, sem força. Porém, não dá para deixá-lo no banco desse time.

Os jovens Gabriel e Geuvânio ainda são bastante irregulares. Tanto, que têm sido substituídos em todos os jogos, com razão. Rafael Longuine, Nilson, Leandro, Diego Cardoso ou Neto Berola não têm condições de ser o homem-gol do Santos. O jeito é torcer para Ricardo Oliveira acertar o pé novamente.

Na verdade, o torcedor do Santos precisa ter paciência não só com Oliveira, Gabriel e Geuvânio. Além deles, David Braz, Zeca, Thiago Maia e Paulo Ricardo ainda alternam boas e más jogadas. Mas é o que se tem pra hoje.

Outra coisa que os torcedores e os jogadores do Santos precisam deixar de fazer é esperar que Deus vá entrar em campo e ganhar o jogo para eles. Na hora do pênalti, vi Vanderlei ajoelhado e sabia ainda que, se saísse o gol, Oliveira comandaria a prece ao lado da bandeirinha de escanteio. Pô, mas será que se Deus fosse se meter no futebol, ele preferiria o Santos ao Atlético Paranaense, que tem só um título brasileiro?

2005 voltou?

Esta é uma tese sugerida por alguns leitores deste blog. Como se sabe, em 2005 uma série de coincidências envolvendo arbitragens acabaram favorecendo o time que seria campeão brasileiro naquela temporada. Por suspeita de fraude, 11 partidas foram realizadas novamente e isso alterou substancialmente a classificação do campeonato. A cereja do bolo foi o jogo entre o campeão e o Internacional, em que Márcio Rezende de Freitas, aquele, transformou um pênalti para o time gaúcho em falta pró campeão e expulsão de Tinga.

O que estamos vendo nessas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro sugere que aquelas coincidências voltaram. Primeiro, uma sequência de três pênaltis em que a bola na mão foi interpretada sempre de forma a favorecer o mesmo time e a prejudicar o seu concorrente direto ao título. Ainda coincidentemente, o Atlético Mineiro foi presidido até 2014 por Alexandre Kalil, um dirigente que já se colocou publicamente contra a divisão de cotas de tevê pela Globo e a favor da criação de uma liga de clubes, o que contraria os interesses da CBF e da Globo.

Neste domingo, justamente nos dois jogos em que a liderança estava em jogo, o Avaí teve um gol legal anulado quando a sua partida contra o líder estava 1 a 1 e já no segundo tempo. Depois, em Chapecó, o Atlético teve um jogador expulso em lance discutível e no fim, quando empatava em 1 a 1, mesmo com um jogador a menos, sofreu o segundo gol em jogada na qual Apodi levou a bola, escandalosamente, com a mão. Veja os dois lances e diga se não é mesmo muita coincidência que todos os erros da arbitragem sejam a favor ou contra os mesmos times:

Posso garantir que esse Time dos Sonhos está melhor do que o original

Na sexta-feira repassei o texto integral de Time dos Sonhos, com os adendos necessários, e passei o texto para o diretor de arte Clero Junior. Também estamos pesquisando fotos especiais para a obra. Isso quer dizer que, contrariando até mesmo o que eu disse, esse Time dos Sonhos que será relançado nessa campanha de crowdfunding da Kickante, estará mais bonito e mais completo do que o original.

E você poderá adquirir este livro de mais de 530 páginas, muito bem editado e encadernado, por apenas 70 reais. Como presente, ainda terá o seu nome no último capítulo da obra. Estou insistindo para que você entre, porque sei que não irá se arrepender. Eu entraria. Conhecer a história do Santos já me ajudou muito e seu que o ajudará também. Não só nas discussões (civilizadas) sobre futebol, mas para que você tenha uma ideia mais completa do que o nosso Santos representou e representa para este que é o esporte mais popular da Terra.

Garanta o seu exemplar de Time dos Sonhos por um preço promocional. Saiba como clicando aqui.

E então, vamos pedir Santos e Avaí no Pacaembu?