Crédito da foto: Agiesbrecht

Michel Laurence e sua criação: a Bola de Prata da Placar

Quando só Peirão de Castro brigava pelo Santos nas mesas redondas da tevê, ele era o que melhor retratava o Time dos Sonhos nos jornais. Seu nome é Michel Laurence, jornalista esportivo que por mais de uma década acompanhou o time de Pelé.

Ontem pela manhã tive a honra de participar da gravação de um programa especial sobre o Pelé na TV Assembléia (produzido pelo amigo Adalberto e apresentado por João Rehder), que irá ao ar logo mais, às 21 horas desta quinta-feira – canal 66 para quem tem TVA e canal 7 para a Net.

Nascido em Marselha, França, em 5 de setembro de 1938 (virginiano como eu), Michel Laurence se destacou pelo texto refinado e poético, que conseguia enxergar muito além dos lugares-comuns. Ele foi o inspirado profeta do deus Pelé.

Como nenhum repórter do Jornal da Tarde queria cobria o Santos, Michel se ofereceu, e acabou iniciando ali uma série de matérias memoráveis sobre o melhor time de todos os tempos. Depois, na revista Placar, foi o criador, ao lado do fotógrafo Manoel Motta, do troféu Bola de Prata, dado anualmente pela revista aos melhores jogadores do Campeonato Nacional desde 1970.

Trabalhou ainda nos jornais Última Hora, onde começou a carreira, e Jornal do Brasil. Em 1969, trabalhando na Edição de Esportes, suplemento semanal esportivo d’O Estado, conquistou um Prêmio Esso de jornalismo, concedido a ele e a José Maria de Aquino, com o artigo “O jogador é um escravo”. Na televisão, teve passagens marcantes na Globo, Record, Bandeirantes, Manchete e Cultura, para onde voltou. Nesta última foi um dos idealizadores dos programas Cartão Verde e Grandes Momentos do Esporte.

Seu texto, harmonioso e tocante, embalou grandes matérias na tevê, como a que apresento abaixo, sobre a morte do herói Ayrton Senna. Pai do repórter Bruno Laurence, do Sportv e da TV Globo, Michel é casado com uma jornalista e tem mais uma filha que seguiu a profissão.

Como eu disse, logo mais, às 21 horas, na TV Assembléia, você poderá vê-lo falando sobre Pelé e o Santos. Também estarei lá, ansioso para lembrar fatos históricos do Rei. Você é meu convidado.