Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: A volta do filho pródigo

A volta do filho pródigo

Sem Lucas Lima, que deve ir para o Porto, e talvez sem Robinho, que tem ofertas mais tentadoras do que a do Santos, a volta de Paulo Henrique Ganso pode ser a grande atração para o segundo semestre do Alvinegro Praiano. Essa possibilidade tem dividido os santistas.

O Menino da Vila que foi embora dizendo que ia para um clube mais profissional, organizado, maior, pode voltar ao Santos com o rabinho entre as pernas. Paulo Henrique Ganso fracassou no São Paulo e agora pode tentar salvar sua carreira no Santos, a exemplo de tantos outros. O assunto é polêmico. Há quem acredite que na Vila ele reencontrará o seu “belo futebol”, outras acham que só virá engrossar seu pé-de-meia antes de encerrar sua precoce carreira em um time de um país distante e endinheirado. Acho que tudo é uma questão de custo-benefício.

Que o Ganso, com um pé só, ainda é um dos melhores meias do Brasil, não há dúvida. Mas que ele não vinha jogando nada no São Paulo, sem vontade alguma de entrar em campo, também era evidente. Que o Santos tem pecado por ter dirigentes incompetentes e amadores, é incontestável, mas que o ambiente dos treinos e do vestiário é um dos mais leves e divertidos, não resta dúvida. E hoje há um detalhe que pode seduzir Ganso: não há mais Neymar para chamar toda a atenção da mídia e da direção do clube.

O presidente Luis Álvaro Ribeiro só faltou babar em cima de Neymar, a quem definiu como “um filho”. Enquanto isso, Ganso era esquecido, sem um tratamento digno de sua qualidade como jogador. Hoje as coisas seriam diferentes e talvez ele ganhasse o respeito e a visibilidade que ainda não teve, o que poderia fazer dele o líder que pode ser.

Mas tudo pode esbarrar no dinheiro. Se Ganso, a exemplo de Ricardo Oliveira, admitir que precisa fazer um sacrifício e baixar sua bola para voltar a ter oportunidades e reconquistar seu espaço, acho que o negócio seria viável e bom para as duas partes. Porém, se insistir em ganhar um salário ao qual já não faz mais jus, creio que o negócio empacará, ou se revelará mais uma temeridade da direção santista.

A realidade é que o Santos deveria estar promovendo jovens e garimpando jogadores perdidos nos buracos negros do mercado, jogadores bons mas, por motivos diversos, esquecidos dos clubes e da mídia. Mas alguém pode responder: “Ué, mas o Ganso não é um deles?”. Não, verdadeiramente. No São Paulo teve mais nome e salário do que futebol. Para retomar sua carreira também terá de dar sua cota de sacrifício. Ou então ir para a Índia, China ou Estados Unidos, mercados que pagam bem para quem ainda joga apenas com o nome.

E você, como receberia Paulo Henrique Ganso de volta ao Santos?


Que alegria! Hoje é dia de ver Elano no Pacaembu!


Elano volta ao Santos para jogar ao lado de Léo, companheiro nos títulos brasileiros de 2002 e 2004.

Para o santista, futebol tem sido sinônimo de alegria. O dia em que não tem título, tem vitória, e quando não tem vitória do time principal ou dos juniores, tem jogador do Santos se destacando na Seleção Brasileira. Mas, de todas as alegrias dos últimos tempos, hoje o torcedor do Santos viverá uma das mais fortes e autênticas: o reencontro com o ídolo discreto e utilíssimo que é Elano.

Inteligente, versátil, Elano é um dos jogadores que melhor bate na bola – para fazer um passe ou para chutar a gol. Conhece todos os efeitos, todos os ângulos, todas as curvas. Titular da Seleção Brasileira da última Copa, Elano é o tipo de jogador que não exige grandes operações de marketing para justificar sua contratação. Ele vale cada centavo que recebe apenas pelo que joga de futebol.

Hoje é dia de vê-lo no Pacaembu, onde nunca perdeu. Sim, em cinco jogos que fez no estádio municipal de São Paulo, Elano venceu todos e em 80% deles deixou o seu gol. Confira a listinha:

2002 – Brasileiro – Santos 4 x 2 Corinthians – gols de Elano (2) e Alberto (2)
2003 – Paulista – Santos 1 x 0 Juventus – gol de Elano
2004 – Brasileiro – Santos 3 x 2 Corinthians – gols Elano, Deivid e Basílio
2004 – Brasileiro – Santos 2 x 1 Palmeiras – gols de Elano e Deivid
2004 – Brasileiro – Santos 2 x 1 Guarani – gols de Deivid e Paulo César

Se eu estarei lá? É claro. Nos lugares reservados aos sócios do Santos, com a Suzana, alguém que se emociona com os exemplos de abnegação, garra e nobreza que o esporte nos proporciona.

O adversário é bom. O certinho Mirassol, em que se destaca Xuxa, um jogador que talvez já merecesse estar em um time grande. Na estréia, o Mirassol ganhou da Ponte Preta, de virada, por 2 a 1, com dois gols de Xuxa, a quem os santistas devem reservar uma atenção especial.

Algo me diz que, apesar das constantes ameaças de chuva, teremos no mínimo 12 mil pessoas no Pacaembu para saudar o filho pródigo que volta ao lar. Diante de tantos dinheiristas por aí, o exemplo de Elano, que fez questão de voltar ao Santos, seu time do coração, deve ser aplaudido de pé.

E você, vai ao Pacaembu prestigiar o retorno de Elano?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑