Kayke: tomara que essa contratação seja confirmada. Ao menos este vídeo mostra que o rapaz é versátil e sabe fazer gols.


Quase que o tal de Wesley Bolinha elimina o Santos da Copa São Paulo, mas o time reagiu e passou para a próxima fase.

frete-gratis

Sei que às vezes é frustrante querer comprar um livro aqui no blog e perceber que com a taxa do frete o dinheiro não dá.

Bem, acho que resolvi isso. Reduzi o preço e incluí o frete em todos esses cinco livros anunciados abaixo.

E para todos eles eu farei uma dedicatória exclusiva, com carinho e gratidão, claro, pois sem leitores não há livros, nem cultura.

Para quem comprar os livros “Time dos Sonhos”, ou “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, o blog ainda enviará, gratuitamente, as versões eletrônicas dos livros Donos da Terra, Ser Santista e Na Raça!

E se você adquirir o “Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959” e também quiser os três livros eletrônicos de presente, é só escrever e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br que nós lhe enviamos.

Escolha o seu livro e pague só o valor em promoção. Sem frete.

Pelé dormindo com os livros Time dos Sonhos
Time dos Sonhos – A história completa do Santos até o título brasileiro de 2002.
Apenas R$ 49,00
Clique aqui para comprar um exemplar de “Time dos Sonhos” com frete grátis, dedicatória exclusiva do autor e os ebooks de Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time por apenas 49 reais.

dossie - livro
Dossiê Unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959.
Apenas R$ 49,00
Clique aqui para comprar um exemplar do “Dossiê” por apenas 49 reais, com frete grátis, dedicatória exclusiva ao autor e, se quiser, os três ebooks de livros sobre o Santos.

segundotlat
Segundo Tempo, de Ídolo a Mito.
Apenas R$ 69,00
Clique aqui para adquirir um exemplar de “Segundo Tempo, de Ídolo a Mito”, com frete grátis, dedicatória exclusiva do autor e três ebooks de presente (Donos da Terra, Ser Santista e Pedrinho escolheu um time) por apenas 69 reais.

Sonhos mais que possiveis - capa
Sonhos mais que possíveis – 60 histórias de superação de atletas olímpicos.
Apenas R$ 17,00
Clique aqui para comprar o livro de bolso “Sonhos mais que possíveis”, com frete grátis e dedicatória exclusiva do autor por apenas 17 reais.

Dinheiro
Dinheiro, é possível ser feliz sem ele
Apenas R$ 26,00
Clique aqui para comprar o livro “Dinheiro, é possível ser feliz sem ele”, com frete grátis e dedicatória exclusiva do autor por apenas 26 reais.

Clique aqui para entrar na livraria do blog e fazer a festa

Sem coerência não dá

Os torcedores santistas estão loucos com o presidente Modesto Roma porque ele já anunciou mais de uma dezena de jogadores que acabou não contratando. O tempo para montar o time para a Copa Libertadores da América vai passando e ainda há várias posições em aberto. Se o técnico Dorival Junior já chora quando as condições são favoráveis, imagine agora em que terá de armar um exército brancaleone para a competição mais importante do continente.

Na verdade, sem dinheiro em caixa, não há mesmo muito a se fazer. Mas não entendemos a estratégia suicida do presidente, que parece aquele garoto deslumbrado que primeiro anuncia que vai conquistar uma menina bonita e depois fica chupando o dedo enquanto um colega vai lá e fica com a gatinha. Se uma frustração dessas já dói, quanto mais uma dúzia…

A impressão é a de que estão fazendo bullying com o Santos, ou com o presidente Modesto. O estilão do comandante alvinegro é aquele mesmo dos 60, em que o próprio presidente viaja e vai fechar o negócio, como se o clube não tivesse nenhum especialista em futebol, ou como se o presidente não confiasse neles. Porém, diante de tantos fracassos, o santista pergunta: dá para confiar no presidente?

Eu sou suspeito para falar porque, infelizmente, desde o início essa gestão não me passou a mínima confiança. Como jornalista, sempre gostei muito mais de elogiar do que de criticar. Porém, estamos no Brasil, escrevo sobre futebol, sobre o Santos, e é natural ter mais motivos para críticas do que elogios. De qualquer forma, gosto de sugerir caminhos corretos e foi isso que fiz logo na minha primeira assembleia no Conselho Deliberativo.

Comparei as semifinais da Copa do Brasil de 2014. O Santos preferiu enfrentar o Cruzeiro na Vila Belmiro, enquanto o Atlético Mineiro jogou contra o Flamengo no Mineirão. Pois bem: o Santos empatou em 3 a 3 e foi eliminado em uma partida com apenas 11.952 pagantes e renda de R$ 444.760,00. Enquanto isso, no Mineirão, o Atlético se classificou ao golear o rubro-negro por 4 a 1 diante de 41.325 pagantes e renda de R$ 4.615.660,00. Ou seja: a diferença da renda de um e de ouro foi de quatro milhões e duzentos mil reais as favor do alvinegro de Minas!

Enfatizei, no meu breve discurso – já que não podemos falar mais de três minutos no CD –, a importância de a direção do clube definir onde o time deve jogar, e não passar essa decisão aos jogadores. Lembrei que a responsabilidade pela sustentabilidade financeira do Santos é de sua presidência e de sua diretoria. Pois apenas me olharam com cara de paisagem e, apesar dos aplausos de alguns, nada mudou. Os planos já estavam traçados.

O Santos passou dois anos perdendo dinheiro nas arrecadações, na captação de sócios e em marketing e merchandising porque se recusou a seguir o seu destino universal traçado há tantos anos por um dirigente visionário como Athié Jorge Cury. Hoje, às portas de uma competição tão importante, como a Libertadores, o presidente sai, de chapéu na mão, buscando pechinchas e negócios de ocasião, para montar um grande time.

Não considero Barcos nenhum gênio da grande área, mas é vergonhoso o clube não contratá-lo por não ter um milhão de reais, menos do que ganharia em apenas um único jogo importante, bem promovido, no Pacaembu ou no Morumbi, onde já bateu tantos recordes de público.

A folha de pagamentos do clube duplicou, mas na hora de reforçar o time para a Libertadores, não há dinheiro. O que se pode falar mais sobre isso, além das duras críticas que já se lê na mídia social? O santista está revoltado, e com razão. Meia dúzia de pessoas estão mandando no Santos a seu bel prazer, indiferentes à opinião da maioria.

Esses Meninos não têm culpa

Na Copinha, a equipe sub-20 merecia ganhar, mas empatou com o Rio Branco, do Acre. Isso foi o bastante para choverem críticas aos Meninos. É evidente que o Santos deveria ter um time bem mais forte nessa idade que antecede o profissionalismo, mas por que isso não está acontecendo?

Se houvesse uma peneira do Santos em Rio Branco para selecionar garotos do Acre para treinar no CT Meninos da Vila, garanto que todos os melhores infanto-juvenis da cidade estariam presentes. Muitos dos garotos bons de bola do Brasil sonham jogar no mesmo time que revelou Pelé, Robinho, Neymar e tantos outros. Basta descobri-los e trazê-los.

Com olheiros espalhados pelo País e critérios sérios e imparciais para a escolha dos garotos, é impossível o Santos não ter um time sub-20 excelente, até porque ele é o resultado de todas divisões de menor idade que já vêm treinando no clube há alguns anos.

Bem, nesse segundo jogo já deu para perceber algumas individualidades se sobressaírem. Torço muito por esses garotos porque, além de defenderem o Santos, sei o que o sucesso no futebol poderá ajudá-los em suas vidas e nas vidas de seus familiares.

E você, o que acha disso?