Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Adriano (page 1 of 6)

Adriano não renova e deve sair. Assunção e Nenê estão mais perto

O volante Adriano, representado por seus dois agentes (sim, ele tem dois!), não chegou a um acordo com o Santos e deverá cumprir contrato com o clube até agosto, quando deverá pegar o seu boné e ir cantar em outra freguesia (isso se não surgir nenhum clube interessado antes).

O Santos chegou a oferecer luvas de R$ 500 mil e um contrato de quatro anos que começaria com o salário de R$ 120 e chegaria, no quarto ano, a R$ 160 mil por mês. Mas os agentes do jogador ainda queriam comissão… Não houve acordo. Assim, está no mercado um jogador-carrapato que marca o adversário como ninguém. Quem se interessar, é só procurar o departamento de futebol do Santos.

O técnico Muricy Ramalho não ficou chateado, pois acha que o Santos já tem bons volantes, como Arouca, Alan Santos, Renê Junior e Cícero. Por outro lado, o técnico deve ficar mais feliz ainda até esta sexta-feira à tarde, pois as conversações com Marcos Assunção e Nenê caminham para um desfecho feliz.

Os dois jogadores diminuíram suas exigências de lá, o Santos melhorou sua oferta daqui e é bem provável que o melhor cobrador de faltas do Brasil e o artilheiro da última temporada do Campeonato Francês venham engrossar as fileiras do Glorioso Alvinegro Praiano em 2013. É claro que nessas negociações tudo pode mudar da noite para o dia, mas por enquanto eu diria que tudo indica que teremos gente muito boa chegando na Vila estes dias.

Garotada da Copinha deu sono!

Torcida a favor, calor amenizado pela chuva, adversário já eliminado da Copa São Paulo de Futebol Junior, Santos com o mesmo time que foi campeão paulista Sub-20 – com exceção do zagueiro Jubal, poupado por já ter dois cartões amarelos – é claro que imaginei uma goleada contra o Corinthians de lagoas. E com essa expectativa aboletei-me na poltrona.

Mas o Santos deu a saída e ficou um minuto trocando bola no seu campo antes de atravessar a linha central, em uma amostra do que seria o jogo. Se tivesse contagem de tempo de bola, creio que o Santos tenha chegado a quase 80%, mas se eu lhe disser que o goleiro Alexandre, do adversário, só foi fazer uma defesa aos 44 minutos do segundo tempo, em um chute longo de Lucas Otávio?

Enquanto isso, o goleiro Gabriel Gasparotto, que assistiu ao jogo durante todo o primeiro tempo, na segunda etapa teve de salvar o time em duas ocasiões, Vai entender! O certo é que o time de Claudinei Oliveira, apesar de ter se classificado para a próxima fase com este empate de 0 a 0, foi uma decepção.

Lento, dispersivo, esse Santos não mostrou qualidades que o credenciem a ir muito mais longe nessa Copa. Dos jogadores, nenhum se destacou. Novamente deram a impressão de ingênuos, imaturos demais para ao menos conseguirem um lugar no banco de reservas do time profissional.

Se você insistir muito para eu citar alguns nomes, eu diria que os que têm mais intimidade com a gorduchinha são Lucas Otávio e Leandrinho (que saiu de campo com uma torção no pé). Pelo tamanho e aparente inteligência, eu diria ainda que Gustavo Henrique, mesmo muito lento, talvez ainda se torne um zagueiro profissional. Léo Cittadini bate bem na bola, mas parece já entrar em campo cansado. O goleiro Gabriel Gasparotto sai mal do gol e repõe mal a bola, mas fez duas ótimas defesas. Pedro Castro é um veterano de Sub alguma coisa, mas, indeciso, não se firma no time. Nenhum outro fez por merecer qualquer comentário.

Porém, se de uma equipe júnior surgem um ou dois jogadores com potencial para serem bons profissionais, já está ótimo. E deste time, pra mim, só Lucas Otávio e Leandrinho podem ser convidados para treinar com os profissionais.

E você, acha que o Santos deveria fazer um esforço para manter Adriano?


Mesmo sem Neymar e Ganso, Santos deve afogar o Sport

Mesmo sem Neymar e Ganso, o Santos é franco favorito contra o Sport, hoje, às 16 horas, na Vila Belmiro. Assim como a ausência dos dois não pode servir de desculpa para um mau resultado contra o time pernambucano, está mais do que na hora de surgirem outros destaques ofensivos no Santos.

Alan Kardec? Pode ser. É um sujeito legal e está jogando melhor a cada dia. Rentería? Tomara que dê a louca no rapaz e que ele perceba que está tendo uma de suas últimas chances em um clube grande do Brasil. Ou joga como se estivesse em uma final de Copa do Mundo, ou logo será esquecido. Dimba? Acho que está machucado, não? Felipe Anderson? Este tem técnica e algum talento, mas precisa usar mais a cabeça, estar sempre mais disposto. Tomara que seja hoje.

O Santos tem bons jogadores de defesa, talvez um pouco acima da média, como Edu Dracena, Juan, Arouca e Adriano. E ainda há Elano, que ainda está devendo, mas tenta se recuperar depois de viver um inferno astral. Porém, não há dúvida de que faltam referências ofensivas quando Ganso e Neymar estão fora. O primeiro ficará um mês parado, devido a outra artroscopia, e o Menino de Ouro vai conviver com o ambiente complicado da Seleção do corintiano Mano Menezes. Que Neymar sobreviva e volte inteiro…

Léo ganhou folga para visitar a família em Campos. O zagueiro David Braz se machucou na estreia. Comos erá o time de hoje? Vamos especular juntos? No gol, não há dúvida. Sem Rafael, que também servirá a Seleção, só pode ser Aranha, que para muitos é até melhor do que o titular.

Na lateral-direita há Maranhão, mas também pode ser Galhardo, um jogador que tem potencial para brigar pela posição. Na zaga, se quiser poupar Edu Dracena e Durval, acho que Muricy Ramalho pode escalar Bruno Rodrigo e Vinicius Simon sem maiores problemas. Talvez até Ewerton Páscoa, que deixou boa impressão no jogo contra o Bahia, possa ser utilizado. Gostei do rapaz. Parece ter personalidade.

No meio, Arouca e Adriano são indiscutíveis. Até porque Henrique sentiu dores musculares e deverá descansar. Porém, se quiser escalar Ewerton Páscoa como volante, creio que Muricy não se arrependerá.

Como meias, há Elano, que deve jogar o mais que puder, para adquitir ritmo. Ele tem melhorado, mas precisa calibrar as cobranças de falta. Quem sabe não é isso que falta para lhe dar moral… Ao seu lado deve jogar Bernardo, contratado para ser o substituto de Paulo Henrique Ganso.

O garoto Felipe Anderson teve as suas chances, mas fez menos do que se espera de um legítimo Menino da Vila. Quem sabe ainda nos prove que um dia poderá ser titular do Santos.

Outro que terá de fazer muito para ser mais aproveitado é Gérson Magrão. O rapaz mostrou que é participativo, tem boa mobilidade, mas teve um desempenho irregular na Bahia.

Bem, mas acho que estou especulando até com jogadores que não deverão ser aproveitados hoje. Na verdade, o time que Muricy deve colocar em campo é: Aranha, Maranhão (ou Galhardo), Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano e Bernardo; Rentería e Alan Kardec.

Do Sport não tenho muito a dizer, mas é um time perigoso, com história e personalidade. Porém, não é uma equipe equilibrada, regular. Se aperatr, e precisa faze-lo, o Santos leva os três pontos.

Ouça isto!

Antes do retrospecto de Santos e Sport, ouça essa bela produção do Wesley Miranda, usando a narração de Deva Pascovicci, da Rádio CBN. Quem disse que na imprensa não tem quem respeite o Santos?

http://globoradio.globo.com/hotsites/cbn/noticia-hotsite-santos-cbn/2012/05/24/240512-OUCA-O-CLIPE-ESPECIAL-DA-CLASSIFICACAO-DO-SANTOS-AS-SEMIFINAIS-DA-LIBERTADOR.htm#.T8If6Jg2dg1

Retrospecto de Santos e Sport

Por Wesley Miranda

Santos e Sport Recife já se enfrentaram 32 vezes ao longo da história, sendo 17 vitórias do Peixe, 10 empates e 6 vitórias do Leão. O Santos marcou 54 gols e sofreu 31.

Em Brasileiros, desde o primeiro confronto, válido pela Taça Brasil de 1962, são 28 jogos com 15 vitórias do Santos contra 7 empates e 6 derrotas.

Artilheiros
Há grandes camisas 9 da história santista no topo da tábua de artilheiros do Santos no confronto.
O gênio Coutinho com os 5 gols nas semifinais da Taça Brasil/1962 é o artilheiro isolado do Santos no confronto. O centroavante Guga com 4 gols é o vice artilheiro.
Viola artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1998 e Kléber Pereira, artilheiro do Brasileiro de 2008, ambos com 21 gols, figuram bem entre os maiores artilheiros do Santos no confronto com 3 gols cada.

Coutinho é o jogador mais jovem a atuar nos profissionais do Santos, com 14 anos, 11 meses e 6 dias. Pelo Santos, Coutinho também foi artilheiro do Rio-SP de 1961 e 64(campeão), em ambos com 9 gols.
O gênio da área Coutinho atuou no Santos de 1958 a 1967 e 1969 a 1970 em 457 partidas, marcando 370 gols. É o 3º maior artilheiro da história do Santos.

O primeiro encontro
O primeiro confronto aconteceu em um amistoso na Vila Belmiro no dia 30/12/1941 com vitória santista por 4 a 3, com gols de Carabina(2) Antoninho Fernandes e Ruy. O atacante Pirombá, que depois seria contratado pelo Santos, marcou os 3 gols do Sport.

Pelé no Sport Recife? Lenda ou verdade?
Reza a lenda que Pelé ainda promessa foi oferecido ao Sport em 57. Sem saber de quem se tratava, José Rosemblit, diretor do Sport, recusou. Sorte nossa!
Contra o time pernambucano, o rei do futebol jogou 6 vezes, vencendo 3 e empatando 3, tendo anotado 2 gols.

Semifinais da Taça Brasil 62
No primeiro jogo, empate em 1 a 1 na Ilha do Retiro no dia 12/01/1963 o jogo de ida das semifinais. Coutinho empatou para o Santos aos 36′ do segundo tempo.
Na partida da volta, no Pacaembu, em 16/01/1963, vitória santista por 4 a 0, com 4 gols de Coutinho, todos no primeiro tempo: aos 8′, 15′, 23′ e 40′.
O gênio Coutinho terminou como artilheiro do certame com 7 gols.

Guga sai do banco e resolve
Depois de dois empates na Vila, 1 a 1 com o Vasco pelo Brasileiro e 0 a 0 com o Nacional de Medellín pela Supercopa, o Santos entrou sobrecarregado para o jogo contra o Sport Recife no dia 09/10/1993. O clima era tão tenso que o grupo se dividiu. Parte do elenco defendia o técnico Antonio Lopes e a outra parte não. O artilheiro Guga declarou estar jogando isolado no ataque, e talvez por isso o treinador promoveu a entrada do jovem Neizinho em seu lugar.
Com a bola rolando, o time sentiu o clima e não saiu do zero no primeiro tempo. Na segunda etapa o técnico Antonio Lopes colocou Guga no time titular. Em 2 minutos(18′ e 19′) o atacante marcou dois gols, e ainda ampliou aos 32′, de pênalti.
Antonio Lopes caiu depois da eliminação do time na Supercopa e em seu lugar entrou José Macia, o Pepe. Guga terminou como artilheiro do certame com 14 gols. Se o título não veio, ao menos as duas vitórias em cima do Palmeiras no campeonato(3 a 1 e 1 a 0) evitaram o título invicto do time da Parmalat.

Quartas de Finais 1998
Nas quartas de finais do Brasileiro de 1998 foram 3 partidas decisivas. A primeira no dia 15/11/1998 na Ilha do Retiro, vitória do Sport por 3 a 1. O zagueiro Argel anotou o único tento santista. E o jogo foi marcado por uma confusão, quando o arbitro anotou uma penalidade máxima para o time da casa. Viola foi reclamar e acabou brigando com um fotógrafo. Acarretou em uma forte ação policial em que o técnico Leão e Viola foram agredidos. A partida ficou paralisada por mais de 20 minutos!

Na segunda partida, na Vila Belmiro no dia 21/11/1998 o Santos venceu por 2 a 1 com gols dos meias Eduardo Marques e Róbson Luis. Com a vitória santista, devido ao regulamento uma nova partida foi realizada, e pela melhor campanha, novamente na Vila Belmiro.

E na terceira e decisiva partida,em 25/11/1998, nova vitória santista, 3 a 0 com gols de Viola(2) e Alessandro Cambalhota. Na comemoração do 3º gol Viola revidou a provocação do 1º jogo quando os jogadores do Sport em alusão ao mascote do Santos, fisgaram um peixe. Viola, conhecido pelas suas comemorações polêmicas, imitou um Leão sendo caçado.
http://www.youtube.com/watch?v=MH70L_04m2M

Ganso x Durval
Na última partida realizada entre os dois times na Vila Belmiro no dia 04/07/2009 o Santos de Léo, Ganso e Neymar venceu o Sport Recife do zagueiro Durval. O único gol do jogo saiu aos 43 minutos do segundo tempo, após cobrança de Mádson, Neymar acabou servindo para Ganso marcar!

Durval foi autor de um dos gols da última vitória do Sport sobre o Santos. O jogo aconteceu na Ilha do Retiro no dia 13/05/2007 e o placar foi de 4 a 1 para os donos da casa.

Vila Belmiro
O Santos jamais perdeu para o Sport na Vila Belmiro. Foram 12 jogos com 10 vitórias santistas e 2 empates. O Peixe marcou 27 gols e sofreu 8.

E você, o que acha que ocorrerá no jogo Santos x Sport?


A que horas o Santos vai jogar contra o Vélez?

O que? Já jogou? Era aquele time de branco? Ah, sim… Que coisa… Não me lembro de o Santos ter sido tão anulado desde o fatídico jogo contra o Barcelona. Teve jogador que tirou o pé, outros entraram com o pé mole, e como consequência disso o aguerrido Vélez Sarsfield dominou o jogo do começo ao fim. 1 a 0 acabou sendo um ótimo resultado para o time de Muricy Ramalho, que merecia perder de mais.

E não se pode dizer que o Vélez tenha tido apenas garra. O time argentino também tocou melhor a bola, teve mais consciência e disciplina tática, foi mais agressivo e poderia ter vencido por 2 ou 3 a 0, o que já teria definido o confronto nessa primeira partida.

O Santos, que sobreviveu graças à luta de seus defensores e da ótima atuação de Adriano, só se lembrou de que prometeu fazer um gol fora de casa quando Óbolo marcou, de cabeça, aos 35 minutos do primeiro tempo, penetrando entre Edu Dracena, Durval e Rafael e cabeceando um centro de Papa que Elano não conseguiu cortar.

A rigor, o Santos não teve uma única boa chance de gol em toda a partida. Neymar foi bem marcado e fez pouquíssimo, assim como Ganso. Elano se cansou e no segundo tempo foi substituído por Felipe Anderson, que entrou apenas para ajudar na marcação e tentar os contra-ataques, o que não conseguiu.

Borges também entrou no segundo tempo, no lugar de Alan Kardec, e o time piorou, pois Kardec ao menos conseguia pegar na bola de vez em quando.

O goleiro Rafael dormiu no gol – só faltou se ajoelhar, à lá Rogério Ceni –, mas depois fez algumas boas defesas. Henrique se limitou a defender e mesmo Juan foi poucas vezes ao ataque. Edu Dracena e Durval estavam mais inseguros do que de costume, já que o Vélez marcou a saída de bola do Santos. Como sempre, o Santos saiu da defesa para o ataque com os chutões do Durval.

Na frente, Neymar, Alan Kardec (depois Borges) e Elano perderam todas as bolas lançadas. No meio, Ganso aceitou a marcação e pareceu se esconder em algumas jogadas. Nem lembrou o maestro que às vezes comanda o time. No meio, os argentinos só deram um pouco de espaço para Arouca e Adriano, pois sabiam que deles dificilmente sai uma boa jogada ofensiva.

Enfim, foi uma derrota técnica, tática e psicológica do Santos, que pareceu displicente, talvez imaginando que o adversário não fosse tão bom. Mais uma lição para o caderninho do Muricy, que hoje tomou outra aula, desta vez de determinação, do treinador do Vélez, o ex-jogador Gareca.

Uma lição também para todo santista que já estava contando com uma goleada em Buenos Aires, como se os times argentinos tivessem o mesmo nível de outros sul-americanos e como se o Santos tivesse fórmulas vencedoras para enfrentar qualquer tipo de adversário. Não é bem assim…

Por sorte, ainda há o jogo de volta, em que não haverá outra alternativa a não ser fazer o que o Vélez fez nessa primeira partida: jogar com vontade e destemor do começo ao fim, como um jogo de Copa Libertadores, ainda mais contra um time argentino, exige.

E você, o que achou de Vélez 1, Santos 0?


Torcedores não querem Ibson e Henrique no Santos em 2012. E tem mais…

A enquete que permaneceu neste blog por quatro dias chegou à conclusão de que o torcedor do Santos não está nada satisfeito com o rendimento de muitos jogadores do elenco e preferiria que alguns deles não vestissem mais a camisa do Alvinegro Praiano. Diogo, Rodrigo Possebon, Leandro Silva e Eder Lima, por exemplo, têm rejeição total ou quase total por parte dos santistas.

Outros jogadores que, segundo o torcedor, não deveriam fazer parte do elenco do Santos em 2012 são Ibson e Henrique (ambos com 75% de rejeição), Durval (72%), Pará (70%), Edu Dracena (64%) e Alan Kardec (55%).

Dos jogadores oriundos das categorias de base, os mais rejeitados foram Breitner (mais de 80%) e Tiago Alves (cerca de 70%). Dos que estavam emprestados e podem voltar ao time, nenhum foi aprovado, mas Maranhão (60% de rejeição) e Madson (65%), chegaram a ser lembrados como prováveis reforços.

Ganso, Elano e Léo na berlinda

Mesmo considerados três dos jogadores mais importantes do time, Paulo Henrique Ganso, Elano e Léo não tiveram boa avaliação dos torcedores. Cerca de 56% dos santistas acham que Ganso deve ser vendido; 50% acham que Elano também não pode continuar no Alvinegro Praiano em 2012 e 45% acreditam que Léo, apesar da longa folha de serviços prestados, não tem mais condição física para jogar no Santos.

Neymar, Borges, Arouca, Adriano e Rafael: aprovados com louvor

Por outro lado, Neymar e Borges tiveram aprovação absoluta e Arouca, Adriano e Rafael também chegaram perto dos 100%. Outros que obtiveram bons índices de aprovação foram Crystian (quase 100%), Aranha (cerca de 90%), Bruno Rodrigo e Anderson Carvalho (mais de 80%), Vladimir (mais de 80%), Vinícius Simon e Felipe Anderson (80%) e Bruno Aguiar (75%). Rentería teve 60%.

É importante destacar que a prioridade da enquete não era analisar o desempenho dos jogadores em 2011, mas sim pesquisar quais deles devem continuar no time em 2012. Os torcedores levaram também em conta a idade, a forma física e o comprometimento do atleta com o clube. Problemas pessoais, como os de Elano e Ganso, também influiram no julgamento.

Enquete busca ajudar na formação do elenco para 2012

Fico imaginando como deve ser difícil para um diretor de futebol descobrir o que os torcedores acham de determinado jogador. É o tipo de enquete que o clube não pode fazer. Mas um blog pode. E, ao fazê-la, ajuda este diretor a tomar decisões.

Para não interferir na opinião dos santistas, preferi não dar a minha. Julguei que seria bem mais democrático aceitar a vontade da maioria como a vontade do blog.

E você, o que achou do resultado da enquete? Alguma surpresa?


Se Adriano tem de marcar Messi, como será o Santos no Mundial?

Depois de mais uma ótima exibição, em que atrapalhou bastante o vascaíno Diego Souza, a voz do povo santista já decidiu que o operário Adriano é essencial para o time no Mundial do Japão, pois só ele terá paciência e know how para marcar Lionel Messi em uma provável decisão com o Barcelona.

A maioria dos santistas também está gostando de Durval na lateral-esquerda. Ele não apoia tão bem quanto Léo, mas é mais firme na marcação e, por ser bem mais alto do que Léo, é mais eficiente nas bolas altas. Ontem o Vasco cansou de bater escanteio, mas nada conseguiu.

Está certo que a eficiência defensiva do Santos nos cruzamentos pelo alto não se deveu apenas à presença de Durval, mas sim a de Bruno Rodrigo, que tem se destacado nesse fundamento e formado uma dupla de zaga bem mais firme com Edu Dracena. Assim, a defesa já está ganhando uma cara nova.

Rafael, Danilo, Edu Dracena, Bruno Rodrigo e Durval – a mesma defesa que atuou ontem é que parece ser a preferida dos torcedores para um hipotético confronto com o campeão europeu. Você concorda?

O carrapato Adriano virou fundamental

Ele não tem a mesma categoria de Elano e Paulo Henrique Ganso e nem apoia tão bem quanto Arouca e, talvez, Henrique, mas sua capacidade de fazer marcação individual sobre o melhor atacante adversário tornou Adriano um jogador importante no esquema a ser montado para barrar Lionel Messi.

Carrapato dos craques, Adriano, para o santista, deve ter a incumbência de perseguir o melhor do mundo pelo campo todo. Assim, como Arouca e Paulo Henrique Ganso são absolutos, o meio-campo do Santos deverá ter os três e mais Elano, que deverá assumir seu posto tão logo esteja em forma.

Henrique e Ibson serão opções no banco de reservas, assim como o bom Renteria, que, já provou, pode ser um bom substituto para Borges. Este é o Santos que Muricy Ramalho deve colocar em campo no Japão.

Você concorda, ou tem outras sugestões?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑