Confira a previsão do Ibope um dia antes das eleições

No sábado, o Ibope divulgou pesquisa – encomendada pela Rede Globo e o jornal O Estado de São Paulo – em que Aécio Neves aparecia em segundo lugar no primeiro turno, com 24% dos votos válidos. A nota explicava que a pesquisa tinha margem de erro de dois pontos percentuais. Pois bem. Acaba de sair o resultado das eleições e Aécio teve 33,62% dos votos, mais do que nove pontos percentuais acima do previsto pelo Ibope!

Se esse instituto de pesquisas pode cometer erro tão grosseiro no caso de uma eleição presidencial em que apenas três candidatos se destam, é fácil supor o tamanho de seus buracos quando se atreve a pesquisar a preferência dos torcedores de futebol do Brasil – um universo heterogêneo composto de infindáveis grupos de aficionados divididos entre mais de uma centena de clubes grandes, médios e pequenos.

Se, no caso das eleições presidenciais, esses erros são gravíssimos, pois induzem o eleitor até a mudar o seu voto, adotando o chamado “voto útil”, e com isso alterando o rumo natural do pleito que define o presidente do País; no caso das pesquisas com torcedores eles são também importantes, pois essas pesquisas servem como base para a distribuição de cotas de tevê aos clubes e são usadas por estes na busca de patrocinadores.

No caso das eleições do domingo, o Ibope também errou redondamente em várias eleições estaduais, destacando-se as da Bahia e Rio Grande do Sul. Ficou mais uma vez provado que seus métodos de pesquisa não são cem por cento confiáveis e mesmo as “margens de erro” não são respeitadas.

E você, até que ponto acredita nas pesquisas do Ibope?