Houve um tempo em que “novo jornalismo” era uma denominação para um estilo de redação jornalística que incorporava técnicas do texto de ficção. Hoje, para muitos veículos, parece que inovar é criar novidades sensacionalistas para atrair audiência. As previsões da astróloga Mari de Moraes, publicadas no UOL em 12 de janeiro, são um bom exemplo dessa “criatividade” que burla não só as regras do bom jornalismo, mas também a legislação e a ética.

Todos sabem que calúnia e difamação são crimes. Matérias mentirosas, que prejudicam a imagem de alguém, podem resultar em processos com sérias consequências para o jornalista e para seu veículo.

Porém, o UOL parece ter descoberto uma saída genial para o caso: ao fazer com que as nefastas “previsões” partam da boca de uma vidente, o portal sente-se livre para divulgar os mais terríveis absurdos sobre a personalidade que lhe convier.

Assim, com a maior naturalidade do mundo, “a publicitária de formação e astróloga por vocação” Mari de Moraes previu que Neymar terá problemas com o álcool em 2011. Na verdade, o texto diz uma coisa e o sub-título outra, bem mais contundente. O texto: “E Neymar corre o risco de virar baladeiro e perder o foco da carreira, gerando novos problemas para o time da Vila Belmiro”. O sub-título: “Astróloga prevê lesão de Ronaldo, alcoolismo de Neymar e queda do Vasco”.

No seu site, Mari de Moraes diz que a Astrologia a faz feliz, pois com ela “consigo ajudar uma pessoa a se encontrar”. Não sei que tipo de ajuda ela está dando a Ronaldo ao dizer que ele passará por mais uma lesão; aos vascaínos, ao afirmar que seu time viverá mais uma vez o trauma do rebaixamento, e a Neymar ao garantir que ele terá problemas com o alcoolismo. Bem, para começar, ela terá de torcer para Neymar começar a beber, coisa que ele não faz.

Bem, sabe-se lá que poderes a mulher tem… Além de astróloga, a guru do UOL se diz especialista em feng-shui residencial e comercial, numerologia, radiestesia e técnicas de realinhamento energético. Ou seja, nas horas vagas ela deve ser consultora de Deus…

Flamengo campeão da Libertadores, acidente grave de Schumacher…

Consultada regularmente pelo UOL, em 30 de dezembro de 2009 a astróloga disse que o Flamengo seria o campeão da Copa Libertadores. Justificou, lembrando que “sete ou oito” planetas estavam alinhados na mesma casa e que por isso o rubro-negro tinha 60% de chances de ser campeão. E nem citou o Internacional, aquele que efetivamente levantou a taça.

Dona Mari também garantiu que Michael Schumacher sofreria um grave acidente na Fórmula-1, entre setembro e outubro, depois de sofrer um acidente menor em maio. O repórter quis saber se havia grandes chances de ele sofrer esse acidente, e ela corrigiu, reafirmando sua certeza de que o piloto alemão sofreria este acidente e que se arrependeria de não ter abandonado a carreira antes.

Você ficou sabendo de algum acidente grave de Schumacher em 2010? Pois acabo de ler que o espanhol Fernando Alonso elege Schumacher como um dos candidatos ao título de 2011. Ah, dona Mari também garantiu que Bruno Senna se estabilizaria na Fórmula-1 em 2010. E o rapaz foi demitido.

Dizer que alguém é ou será alcoólatra pode ser considerado difamação

Dar vazão a todas as profecias da astróloga Mari de Moraes pode causar sérios problemas ao UOL. Não é porque é uma “previsão”, que se está livre das leis de imprensa. Imagine as conseqüências, até diplomáticas, de se “prever” que altas autoridades estarão envolvidas em casos de corrupção, pedofilia, assassinato e quetais…

Há que se ter bom senso para se divulgar certas “previsões”, critério que deve partir da orientação jornalística do veículo. Alcoolismo, todos sabem, é uma das pragas do Brasil. Tornar-se alcoólatra é uma tragédia pessoal e familiar das mais graves. A simples afirmação de que Neymar, um garoto de 18 anos, feliz, bem-sucedido e que nem bebe, passará a faze-lo compulsivamente, já está prejudicando sua imagem. Por isso a tal profecia é um caso evidente de difamação.

Difamar é reputar a alguém um fato que seja ofensivo para sua honra, que ofende o seu crédito ou sua reputação em seu meio social. Pelo artigo 139 do Código Penal Brasileiro, difamar alguém prevê uma detenção de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.

O garoto Neymar é o melhor jogador e o maior ídolo do futebol brasileiro no momento. Falar dele dá audiência e visibilidade aos mais variados veículos de comunicação, portais inclusive. É compreensível, pela preferência ao sensacionalismo que se nota na imprensa, que seus problemas ganhem mais espaço do que seus méritos. Infelizmente, é uma tendência negativa que não se consegue evitar.

Entretanto, que este novo-velho jornalismo dedicado ao mundo cão, aos valores menos nobres do homem, ao menos saiba esperar que os fatos realmente aconteçam para depois divulgá-los. E não contrate videntes para construir informações maliciosas a partir da decantada conjunção dos astros.

Você não acha que essas “previsões” esotéricas também devem estar sujeitas às leis de imprensa sobre calúnia e difamação?