Descansados, já que não viajaram para Catalão no meio da semana, Edu Dracena, Léo, Arouca, Cícero e Montillo voltaram a ser titulares contra a Ponte Preta e com eles o tempo todo o Santos perdeu por 1 a 0, resultado que o impediu de entrar para o G4 e tirou o time de Campinas da zona de rebaixamento. Se o time reserva, recheado de Meninos, tem jogado melhor do que o titular, cabe a pergunta: qual deve ser o time titular do Santos?

Antes que digam que é perseguição aos veteranos, eu argumento com fatos: esses mesmos titulares só empataram com o Crac na Vila, cederam o empate para o Coritiba também na Vila e agora perdem da Ponte. Será que os Meninos, que foram tão bem contra o Crac, não teriam feito melhor?

Gustavo Henrique teria tomado aquele drible infantil que Edu Dracena tomou de Rildo, aos quatro minutos do segundo tempo, no único gol do jogo? Creio que não. Mas Dracena é o capitão do time e acaba ganhando a posição no grito. É óbvio que ele e Durval formam a pior dupla de zagueiros do Santos. Não passam uma partida sem tomar gol. Mas o jovem técnico Claudinei Oliveira não tem peito para mexer na defesa, que continua dependendo do trio centenário formado por Dracena, Durval e Léo.

No meio de campo, depois do jogo contra o Crac, Léo Cittadini tinha de entrar contra a Ponte. Ele mostrou mais categoria e visão de jogo do que Cícero e Montillo. Hoje uma afirmação dessas parece heresia. É preciso enxergar futebol para fazer. Mas com o tempo vocês me darão razão.

Essas substituições feitas por Claudinei – Galhardo por Gabriel, Leandrinho por Cicinho e Giva por Willian José – são as clássicas seis por meia dúzia. Por que não tirou Cícero e colocou Alisson, ou Alan Santos, e trocou também Montillo por Léo Cittadini? Por que os “titulares” têm mais nome e ganham salários maiores? Ora, o que importa é o futebol. Se está jogando bem, fica; se não, sai.

E o pior é que nem dá para o santista reclamar. O Alvinegro Praiano perdeu para um time na zona do rebaixamento e poderia ter sofrido mais gols, caso o árbito tivesse marcado um pênalti cometido por Léo e não tivesse anulado um gol de Willian em que o jogador da Ponte estava na mesma linha de Edu Dracena. Ou seja: a defesa do Santos voltou a ser uma peneira, o meio-campo não marcou e nem armou e o ataque foi inoperante. O Santos mereceu perder de mais.

Essa foi a terceira derrota consecutiva do Santos para a Ponte Preta. Para mim, a de hoje era anunciada. Não engoli o descanso dos experientes no meio da semana. Descansaram pra quê? Pra voltar ao joguinho modorrento de sempre? Acho que o Claudinei está comendo mosca ao manter Dracena e Durval como titulares na zaga e não substituir Léo no segundo tempo. Arouca, Cícero e Montillo também não podem ser titulares absolutos nesse time.

Estabelecer essa reserva de mercado só vai acomodar os cinco protegidos e desanimar os Meninos, que sabem que estão jogando melhor e ficam de fora só pela falta de pulso do técnico. Se Claudinei não perceber que sua única chance de se firmar como técnico do Santos é dar mais oportunidades aos Meninos, acabará voltando às divisões de base ou será demitido. Neste sábado ele teve uma amostra do que os veteranos podem fazer por ele.

O que esperar, agora, do jogo contra o Barcelona, dia 2 de agosto, próxima sexta-feira, no Camp Nou? Como não terá coragem de colocar quem está jogando melhor, Claudinei deverá repetir o time que perdeu da Ponte. É óbvio que o Santos sofrerá gols e dificilmente fará algum – até porque do outro lado estarão Neymar e Messi. Só nos resta torcer para que a derrota não seja vergonhosa.

Reveja os melhores momentos de Ponte Preta 1 x 0 Santos:
http://youtu.be/5_Ug6pR20_Y

E você, o que achou do desempenho do Santos “titular” contra a Ponte?