Hoje é dia de luta, dia de energia, dia de fé, dia de Santos!

O técnico Dorival Junior relacionou todo o elenco para o jogo, assim como o técnico Marcelo Fernandes fez na final do Campeonato Paulista. Mas isso mais pelo efeito psicológico. Todos sabem que o time que deve jogar hoje será escalado com Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato e Lucas Lima; Gabriel, Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel. É uma equipe equilibrada e muito forte do meio-campo para a frente. Hoje todo santista está otimista.

SANTOS É LUTA. E HOJE É DIA!

Além da técnica, sempre valorizada na Vila Belmiro, tudo o que o Santos conseguiu na sua história foi com muita luta. Time de uma cidade menor, teve de buscar seus títulos mais importantes longe de casa, e assim conquistou milhões de torcedores pelo mundo afora.

Os dois hinos do Santos falam dessa luta eterna pela vitória. No “Alvinegro da Vila Belmiro”, de Carlos Henrique Roma, há uma clara referência a este que deve ser um mandamento sagrado de cada jogador do Santos: “Com técnica e disciplina, dando o sangue com amor, pela bandeira que ensina lutar com fé e com ardor”.

Em “Leão do Mar”, de Mangeri Neto e Mangeri Sobrinho, destaca-se o time valente dentro e fora de casa, pois, não fosse assim, jamais teria furado o cerco dos grandes da capital: “Santos!, Santos, sempre Santos, dentro ou fora do alçapão, jogue o que jogar, és o Leão do Mar, salve o nosso campeão!”.

E foi assim, superando grandes desafios, que o Santos chegou a esta final da Copa do Brasil, que começa a ser jogada nesta quarta-feira, às 22 horas, na sagrada Vila Belmiro, contra o Palmeiras. Trata-se de um jogo de 180 minutos, cujo primeiro tempo terá como palco o mítico e familiar Alçapão.

Todos os titulares estarão em campo e, qualquer que seja o estado do gramado, embaixo de tempestade, ou em uma noite morna e agradável de primavera, a certeza que todo santista tem é que o time dará tudo o que pode nessa partida, pois o grande momento chegou, e o Santos é, historicamente, um time que cresce nos jogos mais importantes.

Estou confiante e sei que os jogadores, a comissão técnica e os torcedores também estão. Sei que haverá um bom e histórico adversário pela frente, mas o Alvinegro Praiano fez um ano melhor do que o alviverde e superou oponentes mais difíceis para alcançar a final. Portanto, ser campeão também seria uma questão de justiça.

De qualquer forma, há 180 minutos a serem jogados, e o título só virá se cada um desses minutos forem disputados com garra, técnica, disciplina, talento e inteligência. Ser campeão exige tudo isso, e estou certo de que os jogadores do Santos estão dispostos a dar o que é preciso para levantar a taça.

Só para dar uma relaxada antes do jogão de hoje, o grande violonista Marinho de Oliveira oferece, com arte, o harmonioso hino popular do nosso Santos. Feche os olhos e curta:

E você, o que espera do Santos no primeiro jogo da final?