Quando Zé Eduardo foi expulso, aos 20 minutos do segundo tempo, depois de receber o cartão amarelo por reclamação e, minutos depois, deixar a mão no rosto do adversário, imaginei que a matéria sobre o jogo deveria começar analisando o comportamento irresponsável do jogador santista, que parecia pôr a perder uma grande vitória. Mas o Santos, que vencia por 1 a 0 quando Zé Eduardo foi expulso, não só se defendeu bem, como caprichou nos contra-ataques e, liderado por Neymar, chegou a uma vitória magnífica, que faz renascer o sonho da tríplice coroa.

Golear o Cruzeiro por 4 a 1 não é para qualquer equipe. Os santistas demonstraram uma determinação e um entusiasmo que poucas vezes se viu neste ano. Jogadores que vinham sendo criticados pela torcida, como Marquinhos, Marcel e Roberto Brum, jogaram bem; Léo reviveu seus bons tempos; Arouca voltou a ser um gigante pelo meio; Danilo teve algumas falhas,mas mostrou decisão para avançar pela lateral-direita; Durval e Edu Dracena formaram uma dupla sólida, que segurou o ótimo ataque de Minas. Dracena ainda fez o gol de cabeça que tornou a vitória mais palpável.

O técnico Marcelo Martelotte não inventou e aí esteve o seu grande mérito. Escalou Danilo na sua posição de origem; apostou na experiência de Léo na lateral-esquerda; fez Roberto Brum dividir a função de volante com Arouca, além de marcar em cima Montillo, o grande jogador do Cruzeiro; liberou um pouco mais Marquinhos; Marcel como centroavante e deu liberdade para as deslocações de Neymar e Zé Eduardo, o primeiro mais pela esquerda e Zé Love pela direita.

Aqui abro parênteses para falar de Zé Eduardo, um atacante que tem qualidades, pode ser muito útil ao Santos, mas preciso ser mais inteligente. Sua expulsão, hoje, foi absurda. Que ela siga o exemplo de Neymar e cale a boca enquanto joga. Que não reclame do juiz e bem discuta com adversários. Ele está se perdendo sozinho e com isso prejudicando a si mesmo e ao clube.

Quanto ao Menino de Ouro Neymar, novamente jogou sério, sem cavar faltas, sem reclamar do árbitro e nem bater boca com os adversários. Com a bola nos pés, foi o gênio de sempre. Participou dos quatro gols. Passe perfeito para o primeiro e sofreu a falta que originou o segundo. Marquinhos cobrou no chamado primeiro pau e Edu Dracena marcou de cabeça. No terceiro, o Menino de Ouro segurou a bola, deu o tempo suficiente e a deixou, de calcanhar, para a arrancada de Alex Sandro, que aplicou uma meia-lua no zagueiro e, na corrida, tocou por cima do goleiro Fábio. Uma obra-prima que certamente será lembrada como um dos gols mais bonitos do campeonato.

Mas, confesso, gostei mais do quarto gol santista. Porque neste se viu a explosão do craque. Neymar pegou e bola e de repente cismou que faria o gol. Estava sozinho no ataque do Santos, mas não se intimidou. Meteu-se entre três zagueiros do Cruzeiro e foi pra área, seguido por Caçapa. Aí tocou a bola por entre as pernas do cruzeirense, pegando o goleiro desprevenido. Depois, comemorou sentado na grama, fingindo reclar e fez um gesto girando os dedos em torno dos ouvidos, como que dizendo: strong>PAREM DE ESCREVER SANDICES SOBRE MIM!.

Como conseqüência desta exibição, creio que nos próximos dias não se falará tanto do Neymar malcriado, e sim do craque Neymar. Acho também que o técnico Marcelo Martelotte será observado com mais carinho antes de ser substituído. Até porque ele conhece bem a base do Santos, e é previsível que logo jogadores como Felipe Anderson e Tiago Alves tenham oportunidade no time profissional.

Mais animado por esta grande vitória, o Santos voltará a jogar na próxima terça-feira, contra o Vasco da Gama, às 21 horas, em São Januário. Outro bom resultado e aquilo que parecia impossível renascerá no coração dos santistas: o sonho da tríplice coroa.

Antes de iniciar esta matéria eu li os comentários de Luiz Tomaz, Guilherme, Jaime Guimarães, Pedro, Sandro Campos, Marco, Ricardo Ferrari, Maurício, Renato Murakawa, Márcio Ramos, Paulo, Jorge Yonamine, Paulo e Edson. Agradeço a todos e prometo responder um a um. Percebi como a bela vitória fez muitos mudarem de opinião sobre a “ruindade irreversível” de Roberto Brum, Marquinhos e Marcel. Hoje, realmente, apesar da expulsão de Zé Eduardo, tudo pareceu dar certo para o Santos. Por que será?

Quer dar nota para os santistas? Manda ver:

1. Rafael
4. Danilo
6. Durval
2. Edu Dracena
3. Léo
17. Zezinho
5. Arouca
10. Marquinhos
15. Adriano
8. Roberto Brum
7. Zé Eduardo
9. Marcel
13. Alex Sandro
11. Neymar