As pedaladas de Neymar estão tirando o sono de Américo Rubén Gallegos, técnico do Colo Colo. Como ex-zagueiro, ele sabe que será difícil segurar o atacante santista e suas temíveis pedaladas. Porém, mesmo com Neymar e Ganso, e apesar de o Colo Colo não vencer um time brasileiro, no Chile, há 14 anos, o jogo de hoje, às 21h50m, no Estádio Monumental de Santiago, deverá ser bem difícil.

O Santos jogará para ganhar, mas não poderá perder. E o popular time chileno, que se sai muito bem do meio-campo pra frente, está animado, pois vem de quatro vitórias consecutivas (uma pela Libertadores, três pelo campeonato local).

Com dois pontos ganhos em dois jogos, o Santos é o terceiro colocado do grupo, atrás de Cerro Porteño, do Paraguai, com cinco pontos, e do Colo Colo, com dois. Assim como uma vitória de goleada pode elevar o time à primeira posição, uma derrota deixará o Alvinegro em situação desesperadora.

Não gosto de Adriano e Danilo no meio, pois não sabem sair jogando, mas devo reconhecer que o técnico Marcelo Martelotte não tem muitas opções, e o fato de Paulo Henrique Ganso começar a partida deve diminuir a pressão sobre os volantes.

Sem Jonathan, Charles e Arouca, machucados, creio que não daria para escalar um time muito melhor do que o que entrará em campo esta noite, com Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Danilo, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Zé Eduardo.

O Colo Colo, cuja última vitória, no Chile, contra um time brasileiro, ocorreu em 1997 (3 a 2 no Cruzeiro), está escalado por Américo Rubén Gallegos, numa estranha formação de 4-2-3-1, com Castillo; Cabión, Scotti, Cabrera e Jerez; Salcedo e Mena; Fuenzalida, Paredes e Jorquera.

Gallegos não poderá contar com os titulares Paulo Magalhães, meia, e Rodrigo Millar, lateral-direito da Seleção Chilena, substituídos por Fuenzalida e Cabión, respectivamente. Destes, Gallegos admite que o time deve sentir mais a falta de Millar, o que pode representar uma vantagem para o Santos nos avanços pela esquerda, com Neymar e Léo.

Nesta sua volta ao comando do time, o interino Martelotte está invicto, com três vitórias e um empate. E em 31 jogos contra times chilenos, o Santos mantém ampla vantagem, com 20 vitórias, três empates e oito derrotas. Diante do Colo Colo foram 14 jogos, com nove vitórias santistas, quatro derrotas e um empate. Mas esta será a primeira partida entre ambos pela Libertadores.

A arbitragem é de um trio de argentinos: Sérgio Pezzotta, auxiliado por Gustavo Esquivel e Diego Bonfa. Não os conheço, mas não gosto. Arbitragem argentina em jogo de time brasileiro nunca dá certo. Na dúvida, o time brasileiro é sempre prejudicado.

Você vão ver quem é o Ganso

O técnico Américo Rubén Gallegos disse que não conhecia Paulo Henrique Ganso, e isso provocou Neymar, que respondeu: “Vocês vão ver quem é o Ganso”.

Marcar Neymar só na bola

O mesmo Rubén Gallegos parece estar preocupado com o efeito hipnotizador das pedaladas de Neymar. Disse que foi um jogador de defesa e por isso sabe muito bem como marcar um atacante como o craque santista. Segundo ele, o segredo é se fixar na bola e não nas pernas do habilidoso atacante: “Neymar gambetea muy bien, por eso estuvimos trabajando en no verle las piernas, sino la pelota, porque todo su baile te desconcentra”, garantiu Gallegos.

E a Globo continua perdidinha

As informações são desencontradas. Ainda não se tem certeza se a TV Globo transmitirá o jogo para São Paulo. Além de ser o único time paulista na competição mais importante da América do Sul, o Santos tem Neymar e Ganso (capa da Veja), maiores expressões do futebol brasileiro no momento. Essa mania da emissora de tentar descobrir o jogo que dará mais audiência está ficando ridícula. Se eu fosse anunciante e me tirassem de um jogão desses, eu nunca mais anunciaria na Globo. De qualquer forma, a Band Sports garantiu que transmitirá a partida. Espero que escale a boa dupla formada pelo narrador Cacá Fernando e o comentarista Erich Beting.

Veja o Santos desembarcando no Chile:

E você, o que espera do Santos hoje à noite contra o Colo Colo?