Tudo bem, o futebol feminino perdeu a final para o Canadá, o basquete das mulheres foi surpreendido por Porto Rico e o handebol masculino foi derrotado na final para a Argentina. Mas uma competição poliesportiva como os Jogos Pan-americanos tem de ser olhada como um todo, e por isso eu digo que esta edição de Guadalajara tem mostrado que o esporte brasileiro evoluiu muito.

A três dias para o final, o Brasil ainda se mantém à frente de Cuba na segunda posição, com duas medalhas de ouro a mais. E também já ultrapassou a Argentina na soma de todos os Pans, desde o primeiro, o de Buenos Aires, em 1951. São façanhas que devem ser comemoradas.

Para se ter uma idéia da proeza, basta lembrar que o Brasil só conseguiu a segunda posição em uma edição dos Pan-americanos em 1963, quando a competição foi realizada em São Paulo.

Mesmo que não supere a Ilha de Fidel, o Brasil já terá realizado uma participação histórica em Guadalajara. O triunfo em modalidades e provas nas quais antes nem se classificava entre os primeiros, demonstra que o esporte brasileiro não depende mais de raros foras-de-série.

A medalha de ouro de Fernando reis no levantamento de peso – antes território intocado dos cubanos – é algo extraordinário. E o que dizer da bela Ana Cláudia Lemos, vencedora dos 200 metros? Que maravilha!

Estar tão bem no quadro de medalhas, apesar de perder em esportes nos quais era favorito, é ótimo sinal. Isso quer dizer que se ginástica feminina, futebol, handebol masculino e basquete feminino tivessem feito sua parte, não só o segundo lugar estaria no papo, como seria possível sonhar com uma vitória sobre os norte-americanos no futuro.

A boa cobertura da TV Record

A Record tem feito uma cobertura para o público que não está acostumado a acompanhar várias modalidades mostradas no Pan, e por isso acho que tem se saindo bem. Se não está dando muitos detalhes técnicos, ao menos tem se colocado ao lado dos atletas e sendo mais uma parceira dos brasileiros nos Jogos.

É claro que há falhas, visto que muitos profissionais da emissora estão começando agora a se envolver com esse tipo de competição, mas não acho que devam ser supervalorizadas. O esforço para mostrar o Pan tem valido a pena e abre novas perspectivas ao esporte nacional, que não ficará dependendo apenas dos humores da TV Globo.

Como já comprou os direitos para os próximos dois Jogos Pan-americanos e as duas próximas Olimpíadas, tenho certeza de que a Record aprimorará sua cobertura e ganhará muitos pontos no Ibope e prestígio com essas empreitadas.

Meus livros lembrados

O amigo Álvaro José, que vocês ouvirão muito nos próximos dias, pois é o especialista em atletismo na cobertura da Record, elogiou-me ontem por ter escrito o livro “Heróis da América”, segundo ele o melhor já produzido sobre os Jogos Pan-americanos.

Só mesmo alguém que acompanha o esporte para se lembrar deste livro confeccionado com tanto carinho pela Editora Planeta e lançado há quatro anos, pouco antes dos Pan-americanos do Rio de Janeiro. Que ele seja útil na sua transmissão, Alvinho.

Também fiquei particularmente feliz com a medalha de ouro do judoca Luciano Correa. Na última Olimpíada, a de Pequim, ele escreveu no seu blog que estava lendo o livro “Sonhos mais que possíveis” para se inspirar antes de suas lutas. Como fui o autor do livro, publicado também pela Editora Planeta, passei a torcer mais ainda pelo sucesso de Luciano em Pequim. Infelizmente, porém, ele não conseguiu realizar o seu sonho.

Mas, em Guadalajara, com uma exibição impecável, Luciano Correa venceu adversários poderosos, passou por um cubano na final, e finalmente ganhou a medalha de ouro pan-americana. Que Luciano – e nem ninguém – desista de seus sonhos. Todos são possíveis, desde que trabalhemos por eles.

Veja a vitória de Ana Cláudia Lemos nos 200 metros. Que delícia de ouro!

Agora veja Fernando Reis desbancando os cubanos e entrando para a história do levantamento de peso, com a primeira medalha de ouro do Brasil nesta categoria e o recorde dos Jogos Pan-americanos:

http://youtu.be/14bbuWQq5XA

E você, o que está achando do Brasil nesses Jogos Pan-americanos?