O salário de um mês de Robinho dá para manter todo o time do Naviraiense por um ano e meio. Porém, como o futebol tem regras próprias, o Santos penou, ontem, para ganhar por apenas um gol de diferença do humilde campeão do Mato Grosso do Sul (cujo único estímulo era um “bicho” de mil reais para cada jogador). O resultado, comemorado como uma conquista de título pelos torcedores do Naviraiense, serve de alerta aos Meninos da Vila, que parecem mais preocupados em jogar bonito do que em fazer gols.

Com todos os seus titulares, o Santos até que começou bem e até os 17 minutos já tinha perdido boas oportunidades. Mas aos poucos entregou-se à marcação do bravo Naviraiense, que bateu à vontade, sob a complacência do caseiro árbitro Heber Roberto Lopes.

No final, a vitória por 1 a 0, gol de Marquinhos, aos 36 minutos do segundo tempo, não impediu o desgaste do jogo de volta, na noite de 10 de março, na Vila Belmiro, e mostrou que o este jovem Santos ainda não tem maturidade para controlar jogos em que os adversários correm e marcam o tempo todo.

O campo esburacado e a maneira mais estabanada com que os adversários se entregavam às jogadas parece ter inibido os melhores jogadores do Santos, que depois de um início arrasador, foram sumindo. Robinho, Neymar, Paulo Henrique Ganso e André não jogaram bem. Perderam gols, não conseguiram acertar o chamado último passe e mereciam ser substituídos.

No segundo tempo, Dorival Junior tirou Robinho e André e colocou Madson e Zé Eduardo em campo. O time melhorou, principalmente devido à participação ativa e inesgotável do pequeno Madson, que sempre dá a impressão de estar em todas as partes do campo.

Pouco depois Maranhão saiu para dar lugar a Marquinhos, que acertou a cabeçada responsável pelo gol solitário do Santos. O lance todo, na veredade, foi construido pelos substitutos: Zé Eduardo sofreu a falta e Madson cobrou com curva para a entrada de Marquinhos.

A vitória, magra, obrigará o Santos a receber o orgulhoso Naviraiense na Vila Belmiro dia 10 de março, uma quarta-feira, à noite. Nunca é demais lembrar que no ano passado o Santos foi eliminado da Copa do Brasil ao ser derrotado em casa pelo CSA, que estava entre os últimos colocados do Campeonato Alagoano.

O que é preciso corrigir

O Santos é um time que toca bem a bola, mas conclui mal a gol. Perdem-se muitas oportunidades, e isso acaba motivando o adversário.

Neymar, Robinho e André precisam treinar mais conclusões (chutes e cabeçadas). Todos perderam gols ontem. Robinho deu um chute tão torto e alto que o narrador da Band, que estava enchendo sua bola, ficou sem palavras. Em jogos mais difíceis e decisivos, não se poderá desperdiçar tantas chances.

Paulo Henrique precisa ser mais participativo. Tem tudo para se tornar um craque, mas não pode se ausentar tanto da partida. Às vezes parece apático, indiferente à sorte do time. Precisa ser mais rápido, colocar-se melhor.

É preciso que atacantes encostem nos laterais para fazer a ultrapassagem. Léo e Maranhão muitas vezes não tiveram com quem fazer o um-dois.

Finalmente, o time todo precisa ser mais humilde e solidário. Contra o São Paulo, que era considerado favorito, o Santos mostrou uma determinação admirável, que no entanto parece perder contra adversários mais fracos. Dorival Junior tem alertado os jogadores para isso, mas ontem eles voltaram a dar umas reboladas.

Naviraiense 0, Santos 1

Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Estádio Morenão

Naviraiense: Aldo; Giordan, Jaime, Junior Camaçari, Adriano Lajes; Buru, Maílson, Jean (Marcelo), Fábio; Biro e Cristiano (Célio Lima). Técnico: Paulo de Rezende.

Santos: Felipe; Maranhão (Marquinhos), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley e Paulo Henrique; Neymar, Robinho (Madson) e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Júnior.

Gol: Marquinhos (de cabeça), aos 36 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR), auxiliado por Gilson Bento Coutinho (PR) e Luiz Souza Santos Renesto (PR).

Público estimado: 15 mil pessoas.

Cartões amarelos: Adriano Lajes (Naviraiense) e Maranhão (Santos).

Dois ganhadores do Bolão

Os leitores deste blog e amigos santistas Sylvio Novelli e Cheeco foram os ganhadores do Bolão. Ambos acertaram o marcador final e a parcial do primeiro tempo. Prometi um livro “Na Raça!” ao vencedor. Como foram dois, cada um receberá um exemplar. Parabéns a ambos.

Um aviso aos frequentadores desse blog: Haverá um bolão especial para o clássico de Domingo, entre Santos e Corinthians. Comecem a analisar os times e aguçar seus sentidos.

E você, caro leitor, que conclusões tirou do jogo de ontem?

Acha que há motivos para se preocupar?

Se jogar assim domingo, contra o Corinthians, o Santos perderá de novo na Vila para o rival?

Os garotos estão meio mascarados?

O que Dorival Junior deve fazer e como deve montar o time para o clássico?

Aguardo sua opinião!