Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Anderson Carvalho (page 1 of 2)

Meninos para Sempre ou Meninos Nunca Mais?


Anderson Carvalho vai para o Japão; Geuvânio não vai mais para Portugal…

A notícia de que o volante Anderson Carvalho, de 22 anos, está sendo emprestado até o final do ano para o Vissel Kobe, do Japão, por 150 mil dólares (cerca de 305 mil reais), pegou o torcedor santista de surpresa. Dos garotos vindos da base, Carvalho era dos mais confiáveis, a ponto de muitos o considerarem futuro titular da posição. Porém, o técnico Muricy Ramalho decidiu que ele é descartável no momento, já que o elenco conta com outros seis jogadores para a posição, quais sejam: Adriano, Henrique, Arouca, Ewerton Páscoa, Alyson e Alan Santos.

Ironias do futebol. Há um ano, ao entrar na partida contra o Cruzeiro – vencida pelo Santos por 2 a 0 – Anderson Carvalho encantou o mesmo Muricy e deixou ótima impressão entre os torcedores. Mas, se ele vai embora, ao menos o misto de lateral-esquerdo e atacante Geuvânio deve ficar.

Ao receber a documentação para liberar o jogador para o Acadêmica de Coimbra, de Portugal, o presidente Luis Álvaro decidiu abortar a liberação do jovem criado na Vila Belmiro.

“O presidente disse que a rescisão havia chegado até a mesa dele e ele resolveu não dar a liberação. Agora vamos rediscutir o contrato”, disse Cristiano Santana, empresário do jogador.

Mesmo criado no Santos, Geuvânio tem o seu passe dividido entre o Jabaquara (60%) e empresários (40%). Estranhamente o Alvinegro Praiano não possui sequer 1% dos direitos do jogador, que está emprestado ao Santos até o final do ano. Porém, o Santos tem a opção de exercer o direito de compra de 70% de Geuvânio, que atuou em apenas três partidas no time profissional.

O que o Santos quer com seus jovens?

O torcedor se pergunta: será que se Anderson Carvalho fosse mais utilizado, depois de sua ótima atuação contra o Cruzeiro, em setembro do ano passado, ele já não teria se firmado no time? O mesmo não poderia ter ocorrido com Geuvânio, que se saiu bem na última vez que atuou entre os profissionais?

É claro que jovens não estarão totalmente prontos antes de poderem adquirir alguma experiência. Mas se não forem escalados, como poderão se aprimorar? Essas respostas nunca foram um problema para o Santos, que sempre viu nos jogadores de base uma saída para a renovação de seu elenco.

Agora, porém, dirigido por um técnico que está longe de ser perfeito, mas cobra a perfeição de garotos imberbes, o Santos patina em busca de uma política de aproveitamento e valorização de seus Meninos.

Será que foi feita uma análise apurada antes de se permitir a liberação de Anderson Carvalho? Ou ele está indo para o Japão pelo dinheiro, ou realmente para ganhar experiência? E por que a saída de Geuvânio só foi impedida em um arroubo do presidente, quando todos os departamentos responsáveis já tinham decidido pela liberação?

Mais do que diálogo entre os profissionais da área, será que não está faltando organização e planejamento ao Santos com relação a seus Meninos?

Como estão em fase de amadurecimento físico e psicológico, não nos surpreenderemos se alguns desses garotos formados pelo Santos não brilharem em outros clubes grandes do Brasil, como o lateral-esquerdo Carlinhos, hoje um dos destaques do Fluminense.

Porém, se esta geração é realmente fraca, não há o que fazer. Será que este é o caso? Estes Meninos da Vila não merecem mesmo maiores oportunidades no time profissional?

Como você vê a relação dessa diretoria com os Meninos da base?


Logo mais, Elano comanda os reservas do Santos contra o Mogi

O leitor desse blog sabe que eu ando pregando que o meio-campo ideal do Santos é Arouca e Anderson Carvalho, Paulo Henrique Ganso e Felipe Anderson. Com a melhora de rendimento dos titulares Henrique e Íbson, muitos podem ter esquecido dos dois Meninos Andersons, mas eu não. Hoje, às 18h30m, contra o Mogi Mirim (com transmissão pelo Sportv), ambos terão ao seu lado o abnegado Adriano, que volta ao time após séria contusão, e o titular Elano, que se tornou mais lento e previsível depois que esqueceu que um jogador de futebol é um atleta e deve levar a vida como tal.

É difícil prever se o meio-campo se sairá bem, pois os quatro jogarão juntos pela primeira vez, mas acho que Elano fará tudo para mostrar que merece ser titular do time e os dois Andersons, se forem devidamente motivados, poderão jogar muito bem, já que têm técnica e disposição para isso. Quanto a Adriano, se voltar a ser o carrapato que sempre foi, estará ótimo.

Porém, o Santos terá improvisações em todos os seus setores, já que Muricy resolveu poupar os titulares para o jogo de quinta-feira, pela Copa Libertadores, contra o Juan Aurich, no Peru. E a defesa tem tudo para ser o setor mais problemático do time, já que o indefectível Maranhão volta à lateral direita, enquanto a lateral esquerda será ocupada pelo Menino Paulo Henrique.

Aranha, Bruno Rodrigo e Vinícius Simon não preocupam muito o torcedor, mas os laterais são uma incógnita. Assim como é uma incógnita o nível de entrosamento que terão os atacantes Dimba e Alan Kardec. Eu já tinha feito o texto baseado na informação de que o companheiro de Alan Kardec seria o individualista Tiago Alves, mas fui alertado para o fato de que Dimba será o companheiro de Kardec.

Fico mais feliz com a escalação de Dimba, pois ele pode não ter a mesma habilidade ou velocidade de Tiago Alves, mas é muito mais inteligente para jogar futebol. Estou certo de que procurará se aproximar de Kardec, fazer tabelas, e isso será bem mais útil do que as arrancadas egoistas de Tiago. Dimba, enfim, já aprendeu que os neurônios devem correr bem mais rápido do que as pernas.

Creio que Felipe Anderson e mesmo Elano e Anderson Carvalho devam, sempre que possível, apoiar o ataque, pois será difícil que Dimba e Alan Kardec possam, sozinhos, vencer a boa defesa do Mogi. Bom Mogi Mirim, aliás, pois se o Santos vem de sete vitórias consecutivas, o time do Interior está invicto há cinco jogos, com quatro vitórias.

Em casa, o time orientado pelo técnico Guto Ferreira só perdeu uma partida no campeonato, para a Ponte Preta. Hoje, Ferreira terá a volta dos volantes Baraka e Val, que cumpriram suspensão. Por outro lado, o Mogi estará desfalcado de uma de suas revelações, o também volante Renê Junior.

Enfim, espero um jogo difícil, em que a vitória, mesmo magrinha, será muito útil para manter o Santos em busca da liderança. Particularmente, torcerei por ótimas atuações de Anderson Carvalho e Felipe Anderson, pois aposto nesses dois Meninos (e também porque sei que se não jogarem bem, muitos leitores do blog pegarão no meu pé).

Times Prováveis

Mogi Mirim: Anderson, Edson Ratinho, Tiago Alves, Lucas Fonseca; Piauí, Val, Baraka, Gil, Felipe; Roni e Hernane. Técnico: Guto Ferreira.

Santos: Aranha, Maranhão, Bruno Rodrigo, Vinicius Simon, Paulo Henrique; Adriano, Anderson Carvalho, Elano, Felipe Anderson; Dimba e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

Arbitragem: Vinicius Furlan, auxiliado por David Botelho Barbosa e Bruno Salgado Rizo.

Local: Estádio Romildo Ferreira, Mogi Mirim (SP), às 18h30m.

Confrontos entre Santos e Mogi Mirim

Por Wesley Miranda

São poucos os confrontos entre Santos e Mogi Mirim: apenas 33, sendo 32 pelo Campeonato Paulista! O Peixe venceu 17, contra 6 vitórias do Sapo e 10 empates. O time alvinegro marcou 55 gols e o time alvirrubro 28!
O Santos nunca perdeu para o Mogi Mirim jogando na Vila Belmiro. Em 15 jogos foram 11 vitórias.

“Tabelou” com o juiz
O primeiro confronto aconteceu pelo Paulistão de 1986 no estádio Vail Chaves. E o primeiro gol foi da equipe da Vila Belmiro em um lance estranho e polêmico! Lembra do gol do Aragão contra o Santos? Digamos que foi algo parecido! Aos 13 minutos do primeiro tempo, Antonio Carlos, do Mogi, chutou e a bola bateu nas costas do árbitro Ílton José da Costa e sobrou para Serginho tabelar com o seu xará Serginho Carioca, que finalizou fraco para as redes. Apesar do infortúnio, o Mogi virou o jogo com um petardo de Antonio Carlos, que se redimiu e de Roberto de cabeça.

A primeira vitória
Depois do primeiro confronto, o Santos voltou a enfrentar o time do interior, na Vila Belmiro, mas não saiu do 0 a 0. Foi só em 1987 que o Santos conseguiu bater o time do Sapo, por 2 a 1, com duas bombas de Éder Aleixo em sua rápida passagem pelo Santos. Olhem esses chutes:

Carrossel Caipira
Os encontros com o famoso Carrossel Caipira de Vadão aconteceram pelo Paulistão de 1993. No primeiro, jogando na Vila Belmiro, o Santos, na condição de líder, mas com quatro desfalques, enfrentou o vice-líder, o famoso Mogi de Rivaldo, Válber e Leto! O lateral Marcelo Silva abriu o marcador aos 6 minutos da etapa inicial. No segundo tempo, o Mogi voltou com mais forças e fez uma virada relâmpago, com Sandro aos 21 e Válber aos 23. A derrota só não veio porque Zé Renato marcou aos 33, fazendo 2 a 2.
No segundo turno, no estádio Wilson José de Barros, as equipes ainda duelavam pelas primeiras posições. E o Santos saiu na frente depois de bela jogada de Neizinho que centrou para o ponta Almir. Mas o árbitro da partida, o mineiro Marcio Resende de Freitas, anulou o tento. Não seria a última vez que ele faria isso. O gol que valeu mesmo foi do Mogi Mirim. Depois de uma saída errada do goleiro Mauricio Assolini, Rivaldo não perdoou e marcou aos 33 minutos do segundo tempo,dando a vitória ao Mogi por 1 a 0.

Pescaram um peixe e engoliram sapos
Na dura disputa do Paulistão 96, as duas equipes protagonizaram um jogo de gols e provocações! Se o primeiro tempo passou em branco, o segundo guardou boas emoções! Marcos Adriano fez falta dura e foi expulso e o juiz deu um pênalti para o time visitante aos 19 minutos. Aí Dirceu marcou e teve a ousadia de comemorar frente às sociais da Vila Belmiro fisgando um peixe. Dentro da Vila! O finado Orlando Lelê mexeu no time, trocou Robert por Camanducaia. E aquele que poderia ter sido o autor do gol do título Brasileiro de 1995, entrou bem e aos 31 minutos colocou G10vanni na cara do gol para empatar! Na comemoração, G10vanni desabafou, mostrou a camisa e a beijou.
Aos 38 minutos, Marcelo Passos bateu falta frontal e virou para o Santos. Na comemoração foi a vez do Santos provocar o time do Sapo! Ainda sobrou tempo para o grande nome da partida, o mineiro Camanducaia, marcar o terceiro aos 44. Na comemoração, mais sapo! Santos 3×1 Mogi Mirim. Veja:

O primeiro dos 90
O jogo em que marcou Neymar marcou seu primeiro gol como profissional teve outro grande atrativo: o primeiro jogo do ídolo G10vanni contra o Santos. O Messias atendeu a um pedido de Rivaldo, amigo e presidente do Mogi. Mas a gratidão da torcida santista com o Messias foi tão grande que até a vaia, normal em casos de ex-jogadores em times rivais, não aconteceu. Ao contrário, o torcedor ovacionou Giovanni mais do que qualquer outro jogador santista!
Com a bola rolando, o Santos não deu chances. Ganso, que foi trazido pelo ídolo do Pará, abriu o marcador aos 12 minutos do segundo tempo. Aos 23, Roni ampliou. Aos 27 minutos surgiu o gol que fez o jogo entrar definitivamente para a História Peixeira: Roni cruzou da esquerda e Neymar mergulhou para marcar o primeiro dos seus 90 gols com a camisa do Santos! Com o resultado, o Alvinegro Praiano chegou à quarta colocação e o Mogi amargou a lanterna, mas não caiu.
Vale a pena ver, todos já sentiam que Neymar seria o que é:

Ganshow na Vila
No último confronto, pelo Paulistão de 2011, existia uma grande expectativa da torcida comparecer em peso para vaiar o camisa 10 santista, tudo por conta de um “disacordo” com a diretoria. Mas a torcida, que chegou a protestar nas redes sociais, não compareceu em bom número (pouco menos de 4 mil pessoas). Perderam uma grande oportunidade de ver o “vilão” virar herói e jogar o fino da bola, participando diretamente e indiretamente dos três gols santistas(Zé Eduardo, Keirrison e Edu Dracena). Cristiano fez o único gol do Mogi. Reveja o dia do Ganshow:

E você, o que espera de Santos e Mogi, hoje? Dá pra vencer?


Finalmente o Santos estreou em 2012. Palmas para Ganso e Juan

Com exceção dos últimos 15 minutos do segundo tempo, em que recuou e deu espaço ao Mirassol, o Santos dominou completamente o jogo deste sábado e mereceu a vitória por 3 a 1, em Mirassol. O estreante lateral-esquerdo Juan foi tão bem que acabou marcando o primeiro gol do jogo, aos 12 minutos de partida. O melhor em campo, porém, foi Paulo Henrique Ganso, que voltou a ser o maestro de sempre.

Neymar continuou sendo o atacante mais perigoso, mas perdeu um gol diante do bom goleiro Fernando Leal, quando o placar já estava 3 a 1. Borges, que não foi bem, mas marcou o segundo gol, de pênalti, também perdeu boa chance de ampliar a vantagem.

Deu para perceber grandes melhoras na equipe, que até os 30 minmutos de jogo nada permitiu ao Mirassol. O Santos adiantou a marcação, optou por sair jogando, ao invés de rifar a bola, e envolveu completamente o adversário. 1 a 0 foi pouco para o primeiro tempo.

Logo no início da segunda etapa, Ganso ia dar um chapéu em Acleisson quando o jogador usou as mãos para evitar o drible. Pênalti claro, que Borges cobrou aos dois minutos para fazer 2 a 0.

Neste momento, juro que pensei ser quase impossível ao Mirassol chegar ao menos ao seu gol de honra. Porém, cinco minutos depois, Íbson perdeu a bola e caiu sentado, propiciando um contra-taque fatal ao adversário, que marcou com um belo chute de Preto, bem no ângulo.

A vitória poderia correr riscos, mas Elano entrou bem, no lugar de Íbson, e ao cobrar uma falta, próxima à linha de fundo, serviu com precisão para Edu Dracena fazer, de cabeça, o terceiro do Santos. Depois é que vieram as chances desperdiçadas por Neymar e Borges.

Tudo indica que habemos lateral-esquerdo

Se jogar sempre como o fez hoje, principalmente na primeira meia hora de jogo, o estreante Juan não deixará nos santistas nenhuma saudade do ídolo Léo. Seguro na defesa e, principalmente, bom no apoio, Juan se tornou uma arma importante do time pela esquerda. Cansou no segundo tempo, mas deixou em todos a certeza de que o problema da lateral esquerda do Santos finalmente foi solucionado.

Do outro lado, ainda não se pode falar o mesmo do uruguaio Fucile, mas ao menos o rapaz é um marcador bem mais firme do que Pará, Maranhão e Crystian. Portanto, também deverá prosseguir titular.

Ainda prefiro Anderson Carvalho e Felipe Anderson

Suspenso, Anderson Carvalho não podia ser escalado. Quando a Felipe Anderson, Muricy Carvalho teimou em não colocá-lo novamente ao lado de Ganso, o que daria e dará ao ataque do Santos um poder extraordinário. O rapaz só entrou quando faltavam quatro minutos para terminar o jogo. Mesmo assim, ainda teve tempo de deixar Dimba na cara do gol. Será que é tão difícil ver o talento de Felipe?

Tudo bem que Íbson e Elano são mais experientes, mas nada supera o talento. E Felipe Anderson tem o dom da enfiada de bola fatal, como só jogadores especiais – tipo Ganso – conseguem. Os dois juntos no meio-campo serão um tormento para os adversários.

Porém, reconheço, Elano desta vez entrou com mais vontade. Precisa ver quanto tempo ele consegue se manter jogando bem, pois costuma cansar fácil. De qualquer forma, entre Elano e Íbson, fico com Elano. E se ele melhorar ainda mais, eu arriscaria um meio-campo com Arouca, Elano, Felipe Anderson e Paulo Henrique Ganso. Queria ver como a defesa adversária iria se virar.

Hoje era dia para golear, caso Neymar e Borges estivessem mais inspirados. Dimba entrou no lugar do centroavante e matou uma bola de canela que fez Pagão se virar no túmulo. O rapaz estava no meio-campo e ao tentar dominar a gorducinha fez com que ela voltasse à intermediária…

Arouca melhorou, Henrique melhorou um pouco, mas Anderson Carvalho joga igual ao volante que veio do Cruzeiro, com a vantagem de ser mais jovem e ter mais vontade. E de ser Menino da Vila.

Aranha não teve culpa no gol. Durval foi o de sempre. Continua dando seus chutões pra frente. O árbitro Philippe Lombard, de levasse as regras a sério, teria de expulsar meio time do Mirassol – quase todos vítimas dos dribles de Neymar, que também levou o amarelo, assim como Ganso.

Com a vitória, o Santos subiu para quinto lugar e mostrou que tem time para lutar pelo tricampeonato paulista. Gostei de ver jovens santistas no estádio, principalmente garotinhos com cabelos coloridos, em homenagem ao ídolo Neymar. Vamos para o Carmaval mais alegres! Há esperança!

E você, o que achou do Santos contra o Mirassol?


E agora, Muricy? Quem é titular e quem é reserva?

A boa vitória de ontem, sobre o Linense – por indiscutíveis 4 a 1 – deixou no santista dúvidas atrozes: esses jogadores são mesmo os reservas, ou, ao menos muitos deles, devem ser guindados a titulares?

Eu diria que na zaga tanto faz Vinícius Simon e Bruno Rodrigo como Edu Dracena ou Durval. Aliás, por estarem sem o chamado ritmo de jogo, eu não escalaria Dracena e Durval no início da partida contra o Strongest, da Bolívia. Dupla de zagueiros depende de entrosamento.

Nas laterais, Crystian e Paulo Henrique são melhores de que Pará e Maranhão e, no meio, Anderson Carvalho e Felipe Anderson estão sendo mais eficientes do que Íbson, Elano ou Henrique.

No ataque, se Borges estiver recuperado, tem de jogar ao lado de Neymar. Mas, se o número nove continuar machucado, Alan Kardec ou mesmo Dimba, devem ter uma chance.

Assim, se eu fosse o técnico do Santos, o time que escalaria para estrear na Libertadores, em busca do inédito quatro título sul-americano, teria Rafael ou Aranha no gol (sinceramente, é uma posição em que tanto faz um ou outro); Fucile ou Crystian na lateral-direita (só não pode é inventar o Pará ou o Maranhão); Bruno Rodrigo e Vinícius Simon na zaga (seria um erro escalar Dracena ou Durval) e Léo ou Paulo Henrique na lateral esquerda (novamente Pará e Maranhão não servem).

No meio, sem Adriano, machucado, eu escalaria, de olhos fechados, Anderson Carvalho, Arouca, Felipe Anderson e Paulo Henrique Ganso. Tanto Elano, como Íbson e Henrique são jogadores que podem ter nome e ganhar altos salários, mas NÃO ESTÃO JOGANDO NADA. Só mesmo um técnico medroso, conservador ao extremo, continuaria mantendo um dos três no time. Mas Muricy pode manter, eu sei.

No ataque, não dá para fugir de Borges e Neymar. E se Borges não puder, que entre Alan kardec. E se este estiver mal, Dimba tem entrado bem, principalmente quando joga caído pela direita. Acho até que dá para escalar um time mais ofensivo, com três no meio campo e três no ataque.

Enfim, o jogo de ontem mostrou que nem todos que Muricy considera reservas são piores do que os titulares. Resta saber se o técnico terá coragem de escalar os melhores, sem levar em conta a fama.

E para você, qual o time do Santos para as Libertadores?


Quais reservas do Santos se destacaram na vitória sobre o Ceará?

Confesso que não vi o jogo, por isso peço a ajuda dos companheiros do blog que assistiram a bela vitória contra o Ceará. Pelos melhores momentos e pelos comentários de alguns portais, deu para perceber que Aranha, Bruno Aguiar e Felipe Anderson foram alguns dos destaques santistas. Quem mais?

Como se saiu Vinicius Simon? E Diogo, jogou bem mesmo, ou só fez aquele golaço? E Alan Kardec? E o garoto Anderson Carvalho? Escreva que eu só quero ler os comentários e aprender com vocês.

Reveja os gols de Ceará 2 x 3 Santos:

Quais dos santistas que venceram o Ceará você levaria para o Mundial?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑