Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Aniversário de Pelé

Vida longa ao Rei!

pele menino na vila
Pelé ao chegar à Vila Belmiro, aos 15 anos (Foto: José Dias Herrera)

Hoje o cidadão brasileiro Edison Arantes do Nascimento faz 73 anos. E deve comemorar a data justamente no México, onde está a trabalho e onde, aos 29 anos e oito meses se tornou o melhor jogador da Copa em 1970, provando que continuava insuperável. Quem tem a consciência do que ele representa para o Brasil e para o futebol, não pode deixar de reverenciá-lo.

Entre suas muitas façanhas, seus muitos milagres, Pelé transformou o jogador de futebol, antes um marginal, em celebridade; colocou o Brasil no mapa; fez mais pela valorização da raça negra no mundo do que mil manifestações violentas. Nasceu escolhido para reinar. E para trabalhar, pois aos 73 anos continua mantendo uma agenda cheíssima.

Só outro dia soube que o fotógrafo Sebastião Salgado deve a sua vida a Pelé. Preso por guerrilheiros na África, o grande fotógrafo brasileiro seria executado quando revelou que era do mesmo país de Pelé. Pelé, palavra mágica, primeiro deus universal para os povos negros! E Salgado pôde viver.

Fico aqui imaginando quantos brasileiros já viveram momentos de extremo orgulho por serem compatriotas de Pelé, aquele que transformou futebol em arte, que encantou desde o homem simples aos soberanos mais poderosos. Todos, na sua época, se renderam ao insuperável atleta.

Tenho a fortuna e a felicidade de ser o editor de conteúdo do Museu Pelé, a ser inaugurado no ano que vem, no antigo Casarão do Valongo, em Santos, e estou passando a limpo a linha de tempo de Pelé. Por mais que saibamos sobre ele, sempre há detalhes a serem conferidos, a serem confirmados ou revelados.

Para este rápido post destaco o dia em que Pelé chegou à Vila Belmiro, trazido de Bauru por Waldemar de Brito. Ninguém nunca bateu o martelo sobre esse dia, pois havia muita dúvida a respeito. Minha pesquisa me dá a certeza de que se trata de 22 de julho de 1956, um domingo, em que, ainda menino usando calças compridas pela primeira vez, o futuro Rei do Futebol conheceu o clube pelo qual marcaria mais de mil gols e defenderia por nada menos do que 19 anos!

Primeiro dia na Vila – 22 de julho de 1956, domingo. No livro “Eu sou Pelé”, de 1961, Pelé diz que chegou a Santos em um domingo em que o time venceu o Comercial. Na verdade, em 1956 o Comercial Futebol Clube – fundado em 3 de abril de 1939, na capital paulista –, time que revelou jogadores de renome, como Dino Sani e Gino Orlando, fundiu-se em 1953 com o São Caetano Esporte Clube, dando origem à Associação Atlética São Bento. Foi esse time que o Santos enfrentava quando Pelé chegou à Vila Belmiro. Naquela tarde, diante de um público aproximado de 5.300 pessoas, o Santos venceu por 3 a 1. Bota abriu o marcador para o São Bento aos 12 minutos e Tite empatou aos 35 do primeiro tempo. Na segunda etapa Vasconcelos marcou aos 2 e aos 43 minutos. O Santos jogou com Manga, Hélvio e Ivan; Ramiro, Formiga e Zito; Tite, Jair Rosa Pinto, Pagão, Vasconcelos e Pepe (a Associação Atlética São Bento durou até 1957. Depois, o Comercial voltou em 1958, caiu para a Segunda Divisão em 1960 e para a terceira em 1961, quando a equipe foi desativada). Na noite do domingo em que chegou à Vila, Pelé foi levado por Dorval para jantar na casa do jogador Fiotti, que morava perto do estádio. No dia seguinte foi à praia de Santos e viu o mar pela primeira vez, realizando um sonho de infância.

Em 2010, quando Pelé fez 70 anos, pedi para o amigo e parceiro deste blog, Vítor Queiroz de Abreu, editar vídeos reunindo as proezas técnicas de Pelé, como sua matada no peito, seus gols de cabeça e com o pé esquerdo… Reproduzo-os aqui, em mais uma pequena homenagem ao melhor jogador de todos os tempos, aquele que sintetizou, em seu talento e personalidade, todos os grandes craques que já passaram e passarão pelo futebol:

E você, o que tem a dizer ao aniversariante Pelé?


Santos joga pra ganhar. Ou… ganhar

Na Vila, Neymar vestirá a camisa 70, em homenagem a Pelé.

Hoje deve ser um dia importante para o Santos na caminhada em busca da tríplice coroa. Uma vitória simples sobre o lanterna Grêmio Prudente, às 18h30m, na Vila Belmiro – jogo em que Neymar vestirá a camisa 70, em homenagem a Pelé – e uma não vitória do Corinthians sobre o Palmeiras, no Pacaembu, e o Santos pulará para a terceira posição do Brasileiro.

Um empate entre Corinthians e Palmeiras e o Santos passará para a terceira posição com uma vitória na Vila, pois ficará empatado com o alvinegro da capital em pontos ganhos (51), mas levará vantagem no número de vitórias.

E o bom é que são dois resultados lógicos. O Grêmio Prudente tem apenas 21 pontos e é um virtual rebaixado para a Série B. Só se salva com vitórias nos oito jogos que faltam. E no Pacaembu, apesar de contar com o apoio de sua fanática torcida, o Corinthians vem de sete jogos sem vencer, enquanto o Palmeiras vem de sete partidas sem perder.

Além de assumir a terceira posição, o Santos pode reduzir sua distância para Fluminense e Cruzeiro. O time do Rio, que fará uma homenagem a Pelé, jogará em Curitiba contra o Atlético Paranaense e, desfalcado de Deco, Fred e Emerson, deverá jogar com o mesmo time que empatou sem gols no clássico contra o Botafogo, com Washington e Rodriguinho no ataque.

O favoritismo em Curitiba, no entanto, é do Atlético do técnico Sérgio Soares, que com uma vitória diminuirá para três pontos a diferença para o Fluminense. O time do Paraná deverá jogar com Neto, Elder Granja, Manoel, Rhodolfo e Paulinho; Chico, Vitor, Branquinho e Paulo Baier; Guerrón e Bruno Mineiro.

Por falar em diferença de três pontos, ela também poderá separar o Santos do líder Cruzeiro depois desta rodada, desde que o time de Minas perca o clássico para o Atlético, de Dorival Junior, às 18h30m, no Parque do Sabiá, em Uberlândia. Mas este resultado é menos provável.

O estádio terá apenas uma torcida, a do Cruzeiro, que mantém um retrospecto amplamente favorável no clássico mineiro, já que nas últimas 15 partidas contra o rival venceu 12, empatou duas e perdeu só uma. De qualquer forma, Dorival Junior tem motivado o Atlético e se conseguir ao menos um empate hoje, estará ajudando o Santos a buscar um título que também já foi a sua meta neste ano.

Keirrrison no ataque, com Neymar e Zé Eduardo

O lateral-esquerdo Léo volta ao time, no lugar de Alex Sandro. Com a suspensão de Pará, Marcelo Martelotte resolveu colocar Danilo na lateral-direita e escalar Keirrison no ataque, ao lado de Zé Eduardo e Neymar. O meio-campo continuará com Roberto Brum, Arouca e Alan Patrick.

Escolhido pelos torcedores, com 73% dos votos (contra 11% de Arouca e 7% de Léo), Neymar vestirá hoje a camisa número 70, em homenagem a Pelé. Obviamente o Rei foi convidado para a festa, mas recusou, assim como a outras quase 500 solenidades, e preferiu passar o dia com a família, no interior paulista.

“Infelizmente eu não vi o Pelé jogar. Só que as imagens que vi são espetaculares. A postura e humildade dele também levo em consideração. Sou um fã. Que Deus continue abençoando a vida dele, e ele abençoando o futebol”, disse Neymar sobre um de seus mentores no Santos.

Por mais que se respeite o desespero do Grêmio Prudente, é inegável que o Santos é franco favorito e, se tudo correr conforme a lógica, poderá até golear. Pois além de jogar com o time completo, o Santos enfrentará um time com três desfalques na defesa: os zagueiros Anderson Luís e Diego, suspensos, e o lateral-esquerdo Marcelo Oliveira, machucado.

Confira os times: Santos – Rafael; Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Roberto Brum e Alan Patrick; Zé Eduardo, Keirrison e Neymar. Grêmio Prudente – Giovanni; Bruno Ribeiro, Leonardo, Flávio Boaventura e Cleidson; Anderson Pedra, João Vitor, Sasha e Adriano Pimenta; Wesley e Wanderley. Arbitragem: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP), auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Herman Brumel Vani (SP).

A homenagem do Fluminense

Em um gesto nobre, o que é de se esperar do clube de futebol mais elegante do Rio de Janeiro, o Fluminense também fará uma pequena homenagem a Pelé. O técnico Muricy Ramalho dirigirá a partida contra o Atlético vestindo uma camisa número 10 com o nome do Rei do Futebol nas costas.

“Quem viu Pelé jogar, e eu vi, tem de ter um respeito muito grande por ele. Temos mesmo de prestar homenagens, porque Pelé representa o Brasil. No meu tempo, o país mais conhecido (da América do Sul) era a Argentina. O Brasil era conhecido por causa de Pelé. Temos de fazer tudo para tê-lo na lembrança porque ele é o Rei”, disse o técnico do Flu.

Pelé chegou a jogar pelo Fluminense em 1978, durante uma excursão à Nigéria. Usando uma camisa branca, o time carioca venceu o Racca Rovers por 2 a 1, mas Pelé não marcou.

Espera-se que no Pacaembu o Corinthians também faça alguma homenagem a Pelé, pois foi graças ao número 10 do Santos que o time do parque São Jorge teve alguma visibilidade durante os 21 anos que permaneceu sem ganhar títulos importantes.

Uma sugestão de homenagem corintiana a Pelé seria Ronaldo usar a camisa número 50, lembrando os 50 gols marcados pelo Rei do Futebol contra o Corinthians, um recorde mundial de gols assinalados por um jogador contra um único adversário.

No primeiro turno, recheado por reservas, o Santos foi a Presidente Prudente e ganhou do Grêmio por 2 a 1. Reveja os gols

O que você espera de Santos x Grêmio Prudente? E dos outros jogos importantes para o Alvinegro Praiano nesta rodada?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑