Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

Tag: Aranha (page 1 of 6)

Uma noite no Conselho

Logo mais, todo santista deve se ligar no Esporte Interativo!
santos bahia esporte interativo
Clique aqui para saber como acessar o Esporte Interativo

UMA NOITE NO CONSELHO

O Conselho Deliberativo do Santos aprovou que um escritório de advocacia comece as investigações para saber se Odílio Rodrigues será processado pelo clube por gestão temerária.

Creio que tenha sido mesmo temerária, principalmente no que se refere à contratação de Leandro Damião, mas temos de ser justos. O grande prejuízo que Damião deve causar ao Santos não é responsabilidade apenas de Odílio Rodrigues.

Eu pedi a palavra e lembrei, embasado em opiniões de conselheiros advogados, como a do amigo Marcello Pagliuso, que se Modesto Roma tivesse pagado os salários atrasados logo que assumiu o cargo, Leandro Damião não teria como ganhar a causa trabalhista que poderá tirar do clube cerca de 160 milhões de reais.

Além de Damião, na passagem de uma gestão a outra o Santos perdeu Arouca, Mena e Aranha.

Portanto, concordo que a gestão de Odílio Rodrigues foi temerária, assim como foi a de Luis Álvaro Ribeiro, a de Marcelo Teixeira e está sendo a de Modesto Roma. Ou seja, nosso pobre Santos tem vivido de gestão temerária em gestão temerária. Torcemos para um time administrado temerariamente há décadas, essa é a verdade.

Abaixo-assinado contra o Santos na areninha

Além do abaixo assinado deste blog – que pode ser assinado simplesmente deixando um comentário, com número de RG, ou de sócio do Santos – um outro abaixo-assinado com o mesmo teor foi passado entre os conselheiros. A maioria dos conselheiros é contra o time jogar em tal estádio e esquecer a capital.

Robinho

Para gente que viveu bem de perto a última passagem de Robinho pelo Santos, o clube não deveria contratá-lo mais. Segundo um ex-diretor, depois de ser reserva do time da China, sem a mesma vontade de treinar dos seus companheiros, ele não está em boa forma e é um mau exemplo para os mais jovens. E 600 mil por mês, nem pensar.

Geuvânio

Houve quem lembrasse a participação de Luis Álvaro Ribeiro na recuperação de Geuvânio, que seria mandado embora do Santos pelo técnico Muricy Ramalho. O ex-presidente resolveu ficar com o jogador e hoje a venda do seu passe é que dará algum respiro às combalidas finanças do clube.

A ditadura dos jogadores

Fonte confiável garante que o time não se esforçou como devia para ganhar do Flamengo pois já havia o interesse de alguns jogadores de pressionar o técnico Dorival Junior para escalar reservas nos jogos finais do Campeonato Brasileiro. A esta fonte Dorival se justificou, dizendo que teria escalado os titulares contra o Coritiba, mas os jogadores o pressionaram para não jogar.

Cabidaço de empregos

Ao assumir, a gestão atual criticava o cabide de empregos em que o clube tinha se transformado desde o presidente Luis Álvaro Ribeiro, com cerca de 360 funcionários. Realmente, era demais para um clube que não oferece nada, além de meia entrada para se assistir ao futebol. Bem, pois hoje, após apenas um ano de gestão de Modesto Roma, o quadro de funcionários do Santos está em 450!

Crise reduzirá ainda mais o público na Vila

Empresário de Santos previu que os jogos do time na Vila Belmiro terão públicos menores do que costumam ter. Ocorre que a crise tem desempregado muita gente na cidade e o poder aquisitivo, que nunca foi alto, está ainda menor. Aí eu acrescento: e por que não marcar a estreia do Santos para o Pacaembu, que teria um público de cerca de 30 mil pessoas?

Três cargos mais importantes

Frase de um santista influente, de cabeça aberta e morador de Santos: os três cargos mais importantes em Santos, são: prefeito da cidade, presidente do Santos e provedor da Santa Casa. Eu concluo: cargos que, além de poder e bom salário, permite empregar os amigos sem exigir qualificação.

Campanha de sócios? Espere sentado

Fontes próximas ao presidente e ao Conselho Gestor confirmam que não há o menor interesse do clube de atrair mais sócios, principalmente de fora da cidade de Santos. Deixar de fazer algo óbvio para melhorar as finanças do Santos não é sinal evidente de gestão temerária?

Visitei a sub-sede de São Paulo, muito bem instalada na avenida Higienópolis, deslumbrei-me, mais uma vez, com o sorriso da Juliana, só que o telefone e o sistema para aceitar novos associados ainda não estão funcionando. Aguardemos…

Fragmentação das chapas

Os grupos de conselheiros estão se fragmentando em subgrupos e já surgem prováveis nomes para a próxima eleição. Uma coisa é certa: se os conselheiros que enxergam o óbvio e querem realmente o bem do Santos não se unirem em torno de um único candidato, a visão oportunista dos que anseiam o poder apenas para sugar o clube prevalecerá novamente.

Falastrão

A opinião de muitos conselheiros é de que o Modesto Roma fala muito e adora um holofote. Anunciar publicamente, dois anos antes de terminar o atual contrato com a Rede Globo, que o Santos assinará com o Esporte Interativo, para muitos foi um tiro no pé. Agora o Santos será ainda mais boicotado pela rede que manda no futebol brasileiro e, se não tiver o apoio de outros clubes, ficará sozinho na parada, arcando com o ônus de tal ato. Agora que o estrago foi feito, creio que não haja volta. O Santos tem de assumir o futuro contrato com o Esporte Interativo, contatar outros clubes para fazer o mesmo e trabalhar muito para não cair no ostracismo em 2016 e 2017.

Homenagem a Gilberto Mendes

Sugeri que, em sua estreia no Campeonato Paulista, o time faça um minuto de silêncio em respeito à norte de Gilberto Mendes, compositor pós-moderno de renome mundial, morador na cidade e autor da obra “Santos Football Music”.

Reserve seu lugar no Encontro do 6º aniversário do Blog do Odir
Dia 2 de fevereiro, terça-feira, das 18 às 23 horas
Murymarelo Bar – Rua Fernandes Moreira, 387, Chácara Santo Antonio, São Paulo, SP, telefone (11) 5181-3104.
Haverá venda de livros a preços promocionais, e com direito a dedicatória do autor.
Sorteio de brindes
Para confirmar sua presença apenas envie e-mail para blogdoodir@blogdoodir.com.br

E você, o que acha disso tudo?


Vende-se. Tratar no Santos

Santos e Pacaembu, tudo a ver – Clique aqui para ler e comentar minha coluna no jornal Metro

Leandro Damiãoaroucathiago ribeiro -1aranha - 1

Amigos, quando o cristal trinca, não há mais conserto. Três jogadores que entraram na Justiça contra o Santos não terão mais ambiente para continuar na Vila Belmiro. E, aproveitando a semana de ofertas, que tal incluir um atacante querido, simpático e de grande potencial nesse pacote?

Leandro Damião: Atacante sempre cogitado para a Seleção Brasileira. Excelente estado atlético, tem apenas 25 anos 1,87m de altura. Medalha de prata nos Jogos Olímpícos de 2012, titular da Seleção Brasileira em 2011, só não jogou a Copa de 2014 porque se machucou na fase de preparação. Ídolo do Internacional, onde jogou de 2010 e 2013 e marcou 89 gols em 181 jogos, média de 0,5 por partida. Contratado por empréstimo para ser o titular do Cruzeiro, melhor time do Brasil no momento. Um dos únicos atacantes do mundo que se sente à vontade dando bicicletas. Um dia vai explodir. É caro, mas vale cada centavo.

Arouca: Considerado pela imprensa esportiva brasileira como um dos melhores volantes surgidos no Brasil nos últimos anos. Aplicado, valente, disciplinado, é o tipo de jogador que se firma como titular e tem um desempenho constante. Forte e de grande resistência física, tem 1,72m e 28 anos. Como se cuida, tem futebol para mais oito anos, no mínimo. Ídolo no Santos, defendeu o time em 267 partidas. Em 11 anos de profissionalismo, já atuou em 488 partidas. É um investimento que não dá chabu, tipo: “Satisfação garantida, ou seu dinheiro de volta.”

Aranha (Mário Lúcio Duarte Costa): Goleiro de grande experiência e muita personalidade. Não se assusta com torcida contrária e foi responsável por várias vitórias do Santos, entre elas aquela emblemática em que, mesmo ofendido por racistas, e manteve o sangue-frio e segurou o triunfo de 2 a 0 sobre o Grêmio, no Sul. Com 1,93m e corpo avantajado, tem grande presença em bolas altas e sabe passar tranquilidade para a defesa. Como se cuida, poderá estender sua carreira para muito além dos 40 anos (tem 34 e fará 35 apenas em novembro). Titular absoluto no Santos desde a saída de Rafael, fez 125 partidas pelo Alvinegro Praiano. Investimento garantido.

Thiago Ribeiro: Atacante rápido, insinuante e de chute forte, tem 28 anos e bom porte, de 1,83m de altura. Surgiu como grande revelação do futebol brasileiro em 2005, no São Paulo, que defendeu até 2007, marcando 23 gols em 68 jogos. Teve outra grande passagem pelo Cruzeiro, de 2008 a 2011, em que fez 140 partidas e marcou 46 gols. No Santos, mesmo atrapalhado por algumas contusões (todas já superadas), fez 18 gols desde 2013. É outro jogador que pode atingir o seu auge a qualquer momento. Ideal para mercados nascentes do futebol, como China, Oriente Médio, índia, Oceania e América do Norte.

Os interessados devem ligar para o Santos Futebol Clube, telefone (13) 3257-4000, e pedir para falar com o CEO Dagoberto Fernando dos Santos.

Você não acha que o Santos deve vender os quatro?


Dos males, o mínimo

Mesmo com um time remendado na defesa, no meio de campo e no ataque, o Santos perdeu pela contagem mínima no Itaquerão. Aliás, mesmo resultado do primeiro turno, quando enfrentou o Corinthians na Vila e não merecia perder. Meno male. Para um time que agora vai jogar apenas pela honra até o final do Brasileiro, não foi uma grande decepção, apesar de frustrante, como toda derrota.

A defesa falhou de novo, desta vez com Bruno Uvini, que tentou sair jogando, perdeu a bola, levou o drible em seguida e permitiu o cruzamento para Guerrero marcar, logo aos 7 minutos de partida.

Agora restará ao Santos ser o fiel da balança neste Brasileiro, já enfrentará, em casa, Cruzeiro e São paulo, os dois times que lutam pelo título. Como o jogo na Vila não atrairá ninguém, esperamos que o clube saiba usar o interesse dos adversários, e da tevê, nessas partidas, para jogar em estádios maiores e ao menos arrecadar um bom dinheiro para aliviar as dívidas.

Curiosamente, o jogo teve 58 pagantes a mais do que o primeiro clássico entre Corinthians e Palmeiras no Itaquerão – 31.089 pagantes hoje, contra 31.031 no jogo que os corintianos dizem ser contra o seu maior rival. Engraçado…

Victor Ferraz foi testado mais uma vez no lugar de Cicinho, mas não foi bem e acabou substituído pelo titular. Algo me diz que Daniel Guedes, do sub-20, poderá ganhar a vaga em 2015.

Caju jogou na lateral esquerda e falhou menos do que Menas, ou melhor, Mena. O garoto Serginho entrou no meio, mas acabou substituído por Leandro Damião, que nada fez. Gabriel também fez pouco. O ataque do Santos inexistiu.

O melhor do time foi o goleiro Aranha, desta fez autor de grandes defesas – duas delas na mesma jogada. No meio de campo, Alison, Arouca e Lucas Lima se esforçaram para evitar o pior.

Corinthians 1 x 0 Santos
09/11/2014 (domingo), 19h30, Itaquerão
Público pagante: 31.089 (31.357 total. Renda: R$ 1.886.861,00.
Corinthians: Cássio, Fagner, Gil, Felipe e Fábio Santos; Elias (Bruno Henrique) e Ralf; Renato Augusto (Danilo) e Petros; Malcon (Luciano) e Guerrero. Treinador: Mano Menezes.
Santos: Aranha, Victor Ferraz (Cicinho), Edu Dracena, Bruno Uvini e Caju; Alison, Arouca, Lucas Lima e Serginho (Damião); Gabriel e Rildo.Treinador: Enderson Moreira.
Gol: Guerrero, aos 7 minutos do primeiro tempo.
Arbitragem: Vinícius Furlan (CBF-SP), auxiliado por Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP).
Cartões amarelos: Victor Ferraz, Edu Dracena e Elias.

http://youtu.be/_qXALJTl-HE

Nesta segunda-feira, vamos ao Tatu Bola ouvir o Peres

Você que está acompanhando as campanhas dos candidatos a presidente do Santos e quer conhecer de perto as propostas de José Carlos Peres, candidato da Ong Santos Vivo, está convidado a comparecer ao evento desta segunda-feira, a partir das 19 horas, no bar Tatu Bola, na esquina das ruas Joaquim Floriano e Clodomiro Amazonas, no Itaim Bibi, São Paulo.

Vista sua camisa do Santos, leve bandeira, se tiver e ouça as propostas daquele que tem tudo para ser o novo presidente do Santos e liderar o clube a caminho de uma nova era de trabalho, competência, transparência e prosperidade.

convite tatu bola

O que achou do Santos no clássico? E você, vai ao Tatu Bola?


Outra derrota na Vila. E outro Brasileiro decepcionante

http://youtu.be/l8GUMkFKg9Q

Como já tinha acontecido contra o Fluminense, o Santos voltou a perder na Vila Belmiro, desta vez para o Internacional, por 2 a 1, e caminha para a sua sétima atuação decepcionante seguida em um Campeonato Brasileiro. Desde 2008 o time não consegue ficar sequer entre os seis mais bem classificados e em algumas temporadas correu até risco de rebaixamento.

Neste jogo, que, na verdade, o Santos não merecia perder, pois só foi derrotado por uma falha infantil de Aranha – que pegou com as mãos uma bola recuada por Mena, provocando o “dois toques” que resultou em gol –, destaque-se o antimarketing do clube, protagonizado pelo técnico Enderson Moreira. Primeiro Enderson anunciou que escalaria um time misto. Depois, voltou atrás e colocou o time titular em campo, o que reduziu ainda mais o público da Vila Belmiro.

Se em condições normais esse jogo poderia atrair até oito mil pessoas ao Urbano Caldeira, a indecisão sobre que time jogaria fez o público cair para 5.907 pagantes, com renda bruta de R$ 170.950,00, que mantém o Santos na liderança absoluta dos 20 clubes da Série A como aquele que possui a menor média de público do campeonato. Sim, a velha, histórica e amada Vila Belmiro é o estádio que atrai menos pessoas na Série A deste Brasileiro.

O lado bom desse público tão limitado que acompanha os jogos do Santos na Vila Belmiro é que, caso o estádio tenha algum problema, será possível transferir os jogos para outros dois estádios da cidade, sem obrigar os jogadores e os torcedores a cansativas deslocações. Isso porque o estádio do Jabaquara, o Espanha, comporta 8.031 pessoas, e o Ulrico Mursa, da Portuguesa Santista, 12 mil pessoas, suficientes para receber a torcida santista.

Com a derrota, o Santos continua em oitavo lugar, com 46 pontos. No meio da tabela, o time está a oito pontos do G4 e a 12 acima da zona de rebaixamento. Os quatro da zona da Libertadores são, pela ordem Cruzeiro (64 pontos), São Paulo (59), Internacional (56) e Fluminense (54).

Na quarta-feira, o Santos volta a jogar na Vila Belmiro, esta vez contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Precisará vencer por dois gols de diferença para chegar à final, ou por 1 a 0 para tentar ganhar nos pênaltis. Pelo Brasileiro, o próximo jogo será contra o Corinthians, domingo, às 19h30, no Itaquerão.

Santos 1 x 2 Internacional
02/11/2014, domingo, Vila Belmiro.
Público: 5. 907 pagantes. Renda: R$ 170.950,00.
Santos: Aranha, Cicinho, Edu Dracena, Bruno Uvini e Mena; Alison (Renato), Arouca e Lucas Lima; Rildo (Jorge Eduardo), Gabriel (Leandro Damião) e Robinho. Técnico: Enderson Moreira.
Internacional: Alisson, Cláudio Winck, Alan Costa, Ernando e Fabrício; Willians, Aránguiz, D’Alessandro (Wellington Paulista), Jorge Henrique e Alan Patrick (Bertotto); Nilmar (Ygor). Técnico: Abel Braga.
Gols: Aránguiz aos 24 minutos do primeiro tempo; Gabriel aos 17 e Aránguiz aos 36 minutos do segundo.
Arbitragem: Jailson Macedo Freitas, auxiliado por Alessandro ª Rocha de Matos e Luiz Carlos Silva Teixeira (todos da Bahia).
Cartões amarelos: Fabrício, Jorge Henrique, Alan Patrick, Alisson e Aránguiz, do Internacional; Edu Dracena e Cicinho, do Santos.

E você, o que achou de mais esta derrota do Santos na Vila?


O não o Santos já tem. Por que não buscar o sim?

http://youtu.be/-9iTdl8v6EQ
Falhas da defesa mataram o Santos. Não era para perder. Grande jogo em Minas. Destaques para Lucas Lima e para Geuvânio, que substituiu Robinho muito bem.

Já ouvi muito esta frase, aplicada às mais variadas situações: desde paquerar uma garota bem mais bonita do que eu poderia naturalmente ambicionar, até enfrentar adversários teoricamente superiores no tênis, ou mesmo em questões profissionais, quando a empreitada parece impossível. Hoje esta filosofia se aplica ao Santos. Sem vencer fora de casa desde 29 de maio, quando superou o Bahia por 2 a 0, o Glorioso Alvinegro Praiano vai a Belo Horizonte enfrentar o Atlético Mineiro e muitos já dão a derrota como certa.

Porém, se analisarmos com cuidado, os jogos deste Brasileiro têm sido bem equilibrados. As surpresas são possíveis, desde que se acredite nelas. E os elencos, com algumas exceções, se equivalem. Hoje o Santos não contará com Mena e nem David Braz. Devem jogar o novato Caju e o experiente Neto. No mais, Enderson Moreira contará com aquilo que se condicionou chamar de “força máxima”.

Uma rápida pesquisa pela Internet e percebe-se que o técnico Levir Culpi terá muito mais problemas para escalar seu time. Jô continua fora da equipe, que tem dependido dos gols do quase anônimo Carlos. Rever continua machucado, Pierre é dúvida, Luan não joga. Enfim, por mais que mereça respeito, o Galo está longe de ser um time imbatível, mesmo diante de sua apaixonada torcida – que hoje prestará justa homenagem a Aranha, um símbolo da luta contra o racismo que ainda vive, dissimulado, mas forte, no Brasil.

Enderson Moreira disse que o Santos precisará suportar a pressão inicial, para depois impor seu ritmo. Bem, todos os técnicos de times visitantes falam isso. Na verdade, gostaria que ele surpreendesse, armando o Santos para buscar o gol logo no começo, aproveitando a volúpia do time local, como Lula fez contra o Benfica. Mas reconheço, os tempos e os jogadores são outros. Hoje o torcedor santista se prepara para o jogo desta noite como o boi que segue para o matadouro. Sim, o não já temos…

Mas também temos Robinho, Arouca e alguns outros bons jogadores; também temos uma história que merece muito respeito e uma camisa que ainda pesa no futebol. E temos um desafio que é sempre estimulante: o de vencer, ou ao menos não perder, quando todos esperam nossa derrota.

E você, o que espera do Santos esta noite contra o Atlético Mineiro?


Older posts

© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑