Milan cede Robinho, mas em troca quer Rafael, Arouca e Felipe Anderson. Vale a pena?

O Milan quer trocar Robinho por Rafael, Arouca e Felipe Anderson. Minha boa mãe, nestas situações, costuma dizer: “De que adianta cobrir a cabeça e descobrir os pés?”. Meus amigos de adolescência, lá na Cidade Dutra, bem menos filosóficos, exclamariam: “E na bunada, dinha?”.

Em fase ruim, o clube italiano está com sérios problemas para montar um time competitivo, e por isso quer empurrar Robinho em troca de dois jogadores de Seleção Brasileira – Rafael e Arouca – e ainda um promissor Menino da Vila, o único que tem cacoete de meia.

Acredito que um comitê gestor com sete pessoas escolhidas a dedo não tomará decisão tão prejudicial ao Santos. Robinho vale pelo marketing, pelo ídolo que é para os santistas, mas não se trata de um jogador que organiza ou dá padrão ao time, tampouco é artilheiro. Será ótimo que venha, mas não às custas da desintegração do já precário elenco santista.

Os xingados decidiram

Não há jogadores mais xingados no Santos – pelo técnico e pelos próprios colegas – do que Felipe Anderson e Patito. Às vezes eles bem que merecem uns puxões de orelha, mas em outras é pura implicância. Contra o Figueirense, eles já tinham ouvido muitas e boas quando decidiram o jogo.

Ao final de um primeiro tempo monótono, Felipe Anderson – que Muricy resolveu escalar grudado na ponta-direita –, conseguiu se livrar de três adversários e cruzou para Patito marcar, de letra.

Na etapa final, provavelmente despertado pelas broncas de Muricy no intervalo, o time cresceu, criou oportunidades, e o mesmo Felipe Anderson – após chutar duas vezes – marcou o segundo, recebendo um passe de Patito pela extrema esquerda. Palmas para os perseguidos!

Confira os gols e preste atenção no que o narrador diz:

http://youtu.be/nn4mXA8A3ts

Árbitro tira Neymar do clássico

Se há algum interesse neste final de Brasileiro é a rivalidade dos times do mesmo Estado, que se encontrarão nas duas rodadas finais. Pois o árbitro Cláudio Francisco Lima e Silva, em uma decisão esdrúxula, tirou Neymar do jogo contra o Corinthians, no próximo sábado, no Pacaembu.

Após um belo chapéu, comemorado como um gol pelo bom público que compareceu à Vila Belmiro (mais de 10 mil pagantes), Neymar correu para a área, enroscou-se com o zagueiro e caiu. Falta? Pênalti? Choque normal? Para o árbitro, nenhuma das alternativas anteriores. O homem viu simulação de Neymar e aplicou-lhe o cartão amarelo, o que tira o principal jogador brasileiro do jogo contra o alvinegro de Itaquera. Apenas coincidência? O que você acha?

Os fatos são esses. A palavra é sua…