Sei que é preciso ter paciência com adolescentes. Quando eles menos merecem, mais precisam de carinho. Então, dei um tempo, respirei fundo e só agora começo a analisar o jogo dos Meninos da Vila neste domingo, contra o Atlético Acreano, pela Copa São Paulo de Futebol Junior.

O técnico Narciso já disse que nesta fase títulos não importam, importa é revelar jogadores. Concordo. Por isso, estou meio conformado de que o Santos não vencerá esta Copa São Paulo. Mas ao menos queria ver algum novo Menino da Vila ser revelado – o que, reconheço, está difícil.

Do time que venceu o Atlético Acreano por 1 a 0, hoje, ninguém se salvou. A maior esperança, Tiago Alves, foi a maior decepção. Não vou dizer que o rapaz pensa que é o Pelé, pois o Pelé ao menos tabelava com o Coutinho. O garoto abaixa a cabeça e tenta se livrar de todas as pernas adversárias que vê à sua frente e, invariavelmente acaba perdendo a bola. Um dia talvez faça um gol de placa, mas até lá pode passar jogos e jogos sem produzir nada.

O que falta a Tiago Alves é inteligência para jogar futebol. E isso é grave, pois sem ela não existe craque. Garrincha podia ser um brincalhão fora de campo, mas era um Eisntein com a bola nos pés. Craques não são geniais apenas pela habilidade, mas pela antevisão da jogada, pela visão periférica, por saber usar tudo que um jogo de futebol lhe proporciona, e entre esses “acessórios” estão os companheiros, claro.

Outro que me decepcionou profundamente foi o lateral-direito Crystian. Contra o Confiança ele segurou demais a bola, mas perdeu-a muito pouco. Desta vez ele continuou querendo jogar sozinho, mas fez pouca coisa de útil e ainda proporcionou contra-ataques ao adversário que por pouco não resultaram no gol que eliminaria o Santos da Copa.

Dimba? Olha, um time que já teve os centroavantes que o Santos teve, não pode dar a 9 para um jogador tão ruim e dispersivo como este Dimba. Talvez um dia o rapaz melhore, o que acho difícil, mas por enquanto não entendo como a divisão de base do Santos aceitou um centroavante assim – e ainda lhe deu a camisa titular. O moço não é mais nenhum garotinho. Fará 19 anos daqui a dois meses. Quem puder, me explique melhor o caso desse Dimba.

Tinga é outro jogador inexplicável. Quando não dava para chutar a gol, forçava a jogada e mandava a bola para as nuvens; quando teve a melhor chance para chutar, na risca da área, cismou de passar para Dimba, em impedimento, e desperdiçou o lance. E ainda parecia nervoso. Ora, se você fica nervoso contra os garotos do Atlético Acreano, com torcida a favor, como se sairá em circunstâncias mais adversas? Enfim, não me parece que Tinga tenha a mínima possibilidade de se tornar profissional.

Da mesma forma que os zagueiros, o goleiro, o lateral-esquerdo, os atacantes, ninguém deste Santos dá pinta de que um dia jogará pelo time principal. Narciso pode ser um técnico fraco, que não sabe armar o time e nem tem a psicologia para tirar o máximo dos garotos, mas há coisas que não dependem do técnico. Chegar à linha de fundo e bater a gol é burrice; querer driblar quando há três ou quatro jogadores na área pedindo o cruzamento, também é.

O pior é que o único em que depositávamos alguma confiança, Tiago Alves, deve achar que a cabeça só serve para usar o mesmo corte moicano do Neymar. Não fez uma única jogada em que fosse possível vislumbrar um lampejo daquela clarividência que só os craques têm.

Bem, pra resumir, eu digo que pelo que vi nestes dois jogos de Copa São Paulo, o Santos não tem ninguém capaz de ser promovido a profissional em 2011. É prematuro dizer isso? Talvez. E torço para queimar a língua. Mas, infelizmente, temo estar certo.

Sereias, que luta!

Zapeei entre os dois jogos o tempo todo e posso assegurar que o jogo das Sereias da Vila, contra o Palmeiras, foi mais técnico do que o dos rapazes. E elas tiveram mais garra e foram mais inteligentes também. Um grande jogo, que o Santos venceu por 1 a 0, garantindo vaga na final do Torneio Internacional de Araraquara.

Mesmo contanto com Marta apenas no primeiro tempo – ela viajou para a Suíça, onde concorrerá ao título de melhor jogadora do mundo pela quinta vez –, o Santos, comandado pela craque Maurine, soube se defender do ótimo Palmeiras comandado por Formiga.

O resultado mais justo seria o empate, apesar de a arbitragem não ter marcado um pênalti em Suzana, a autora do único gol do jogo. O Palmeiras teve mais a posse de bola, mas as Sereias, ao contrário dos Meninos, souberam jogar com a cabeça, além de terem um controle emocional maior.

Bem, esta é só a minha opinião. Quero saber a sua. Será que desse time de juniores sairá ao menos um jogador para o profissional?