Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Atlético-GO

O Santos só treinou. O Atlético-GO guerreou

Será que vale a pena usar jogos oficiais para treinar o time para o Mundial do Japão? Essa dúvida assaltou muitos santistas ontem, que ficaram preocupados com a contusão de Adriano – eventual marcador de Messi – e a violência dos jogadores do Atlético Goianiense, que lutavam por uma melhor posição na tabela. Mesmo com o time titular, o Santos só não perdeu porque Paulo Henrique Ganso, que voltou a jogar bem, fez um golaço aos 50 minutos da segunda etapa.

O Santos encontrou ontem, no Pacaembu com 20 mil pessoas, uma situação com a qual certamente se deparará na semifinal do Mundial da Fifa. O Atlético se fechou na defesa, bateu à vontade, achou um gol no primeiro tempo (Leonardo) e se tornou ainda mais defensivo quando perdeu Agenor, expulso aos 17 minutos do primeiro tempo. Para completar, o goleiro Márcio fechou o gol do time de Goiás.

Com Neymar super marcado, Arouca em noite ruim (substituído por Felipe Anderson) e com a perda de Adriano (substituído por Alan Kardec), o Santos fez o que pôde diante da super retranca do adversário. O técnico Muricy Ramalho chegou a substituir Edu Dracena por Léo, trazendo Durval para o miolo da zaga.

Por falar em Muricy, teve torcedor que sentiu a falta do auxiliar Tata, que prefere esquemas mais ofensivos e tem obtido resultados melhores do que o titular. Não se pode esquecer que o Santos venceu o Ceará, fora de casa, com um time só de reservas.

Mas a verdade é que os adversários jogam muito retrancados quando Neymar e Ganso estão no time. E o jogo amarrado e às vezes violento acaba prejudicando a atuação de todos os santistas – principalmente agora, às portas do Mundial, quando nenhum quer se machucar e ficar fora de um momento que pode ser o mais importante de sua carreira.

Reveja os gols do jogo, com destaque, é claro, para o golaço de Paulo Henrique Ganso, em cima da hora, que fez o Pacaembu explodir:

http://youtu.be/aHiIBZTjCqc

Santos 1 x 1 Atlético/GO
Santos: Rafael; Danilo, Edu Dracena (Léo), Bruno Rodrigo e Durval; Adriano (Alan Kardec), Henrique, Arouca (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges
Técnico: Muricy Ramalho.
Atlético/GO: Márcio; Rafael Cruz, Leonardo, Anderson e Thiago Feltri; Agenor, Ernandes, Bida e Joílson; Juninho (Dodó) e Anselmo (Marcão)
Técnico: Hélio dos Anjos.
Gols: Leonardo, aos 36 minutos do primeiro tempo, e Paulo Henrique Ganso, aos 50 do segundo.
Arbitragem: Alicio Pena Júnior (Especial-MG), auxiliado por Janette Mara Arcanjo (Asp.Fifa-MG) e Helberth Costa Andrade (MG).
Cartão Vermelho: Agenor, aos 17 minutos do segundo tempo.
Cartões Amarelos: Edu Dracena, Adriano e Neymar (Santos); Joilson, Agenor, Leonardo, Rafael Cruz, Dodó, Anselmo e Bida.

Santos deverá enfrentar o Monterrey na santista Toyota

Ontem o sorteio da Fifa definiu as chaves do Mundial. O Santos jogará dia 14 de dezembro, em Toyota, contra o vencedor da partida entre o Monterrey, do México, e o vencedor do jogo entre o Auckland, da Nova Zelândia, e o representante do Japão,o país-sede. O time mexicano é favorito para chegar à semifinal.

A diretoria do Santos ficou feliz por saber que o time jogará em Toyota, onde há uma grande comunidade de brasileiros, que será engrossada por cerca de cinco mil santistas que viajarão para empurrar o time em busca de sua terceira estrela.

O Barcelona estreará na competição um dia depois do Santos contra o vencedor da partida entre o Al Sadd, do Catar, e o Esperance, da Tunísia. Se vencerem, o que o mundo todo espera, Santos e Barcelona decidirão o título mundial dia 18 de dezembro, em Yokohama, outra cidade com muitos brasileiros.

Mande sua história de santista para o TCC do Danilo
O Danilo Georgete, que está se formando em Jornalismo pela Universidade Positivo, de Curitiba, precisa de boas histórias de santistas para o seu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Quem tiver boas histórias para contar e euiasr colaborar com nosso amigo Danilo, é só enviar a história para o e-mail dele. Junte também seu nome completo e a cidade em que vive.

E-mail do Danilo: danilo_georgete@hotmail.com

Vale a pena usar os titulares no Campeonato Brasileiro?


Dorival, ufa, enxergou o óbvio. Neymar, ainda não

Terminar o primeiro tempo perdendo por 1 a 0 para o Atlético Goianiense ligou a chavinha do óbvio no cérebro do técnico Dorival Junior e o Santos conseguiu uma empolgante virada por 4 a 2 em uma Vila Belmiro com apenas 3.873 pagantes (1/4 do público que foi ver Botafogo e Santos no Pacaembu).

É óbvio que jogando em casa, contra um time que está na zona de rebaixamento, o Santos não precisaria ter começado a partida com quatro jogadores no meio-campo. Também é elementar que a melhor posição para um lateral-direito jogar é na lateral-direita, onde Pará não tem se saído muito bem.

Assim, nada mais previsível do que tirar Pará, deslocar Danilo para esta posição e colocar o garoto Alan Patrick no meio – que ainda está longe de ser um Paulo Henrique Ganso, ou mesmo Wesley, mas ao menos vai com a bola pra cima do adversário, e não vive de toquinhos de lado.

É óbvio também que Marquinhos, que se cansa muito no segundo tempo, diminui o ritmo do ritmo do time, o que é muito ruim, principalmente quando se precisa virar um marcador. Assim, a entrada de Madson, mesmo com uns quilinhos a mais, deu mais velocidade à equipe e foi decisiva para a reação (o pequeno marcou o gol de empate driblando pra dentro e batendo de fora da área).

Quando Keirrison sentiu a coxa, o esperado era fazer entrar Zé Eduardo, mas Dorival adora Marcel e não poderia deixar de colocar o seu preferido em campo. Desta vez, até que deu certo. Chegou a sobrar um pênalti para Marcel cobrar, que marcou o quarto gol com uma bomba.

Recapitulando: após terminar o primeiro tempo perdendo por 2 a 0 e sofrer o segundo gol no início da segunda etapa, o Santos virou com gols de Edu Dracena, um dos poucos do time que ainda parece acreditar no título, e dos três jogadores que entraram na segunda etapa: Alan Patrick, Madson e Marcel.

É de uma clareza gritante que o time só joga bem quando vai pra cima e tem jogadores habilidosos, rápidos e ofensivos em campo. Alan Patrick pode ainda ser muito jovem, Madson não é um craque, mas diante das circunstâncias foi um grande erro passar o primeiro tempo inteiro sem os dois em campo.

Espero que Dorival Junior tenha coragem de manter um time ofensivo e de conservar Pará e Marquinhos na reserva, ao menos até que melhorem e recuperem o futebol e a confiança do primeiro semestre.

O caso Neymar

Há algum tempo já escrevi sobre a necessidade de um psicólogo em times profissionais, principalmente para lidar com situações de estresse e com jovens com problemas. O caso de Neymar é único no Brasil, pois aos 18 anos ficou milionário sem sair do País e sem ao menos ser titular absoluto da Seleção Brasileira.

Ontem mesmo defendi o garoto neste blog e comprei briga com meio mundo que o está criticando, chamando-o de mimado, entre outras coisas. Hoje ele bateu boca com o capitão Edu Dracena e com o técnico Dorival Junior. Tenho algo a dizer sobre isso.

Bater boca em campo e reclamar do técnico é feio, não é aconselhável, mas, infelizmente, é normal no nosso futebol. Quem fingir que está escandalizado, está forçando a barra. Aliás, o técnico René Simões vir dar lições de moral ao final da partida foi, no mínimo, anti-ético. Ele que se preocupe com o seu time e deixe o Dorival cuidar do Santos.

O que eu diria para o Neymar, se ele me ouvisse, é que ele está se preocupando demais em justificar a fortuna que ganha no Santos, como se quisesse driblar todo mundo e entrar com bola e tudo. Calma! Um passe bem dado, um drible na hora certa, um pênalti sofrido, aliás como aconteceu, já são suficientes para definir uma partida.

Jogue mais para o time, garoto. Creio que é isso que todos estão querendo dizer pra você. Pedalar é legal, pode ser produtivo, mas perto da área. E quando tiver a oportunidade de concluir a gol, conclua. O Santos precisa de gols, vitórias, e não de show. Show é secundário. Se puder vir depois que as vitórias estiverem consumadas, ótimo. Do contrário, primeiro a vitória.

Seja humilde por enquanto Neymar. Depois que ganhar três títulos mundiais com a Seleção Brasileira e dois com o Santos, mais seis brasileiros e duas Libertadores, além de uma dezena de Paulistas, aí pode botar alguma banca. Se bem que o Pelé ganhou tudo isso e muito mais e nunca esnobou ninguém.

Acho que chegou a hora de o Luís Álvaro Ribeiro dar o ar de sua graça e chamar Dorival Junior, Edu Dracena e Neymar para um papo. O Santos não perder o chamado foco justamente agora, na reta final da competição mais importante do ano.

Este segundo semestre, com o perdão da palavra, está uma merda para o santista. O público ridículo da Vila dá bem a noção de como o torcedor está decepcionado com o time. O Laor tem o dom de animar os torcedores, por passar muita credibilidade. Que use este seu dom agora. Na hora difícil, é que o líder precisa aparecer, não no momento de subir ao pódio.

E você, o que achou da virada do Santos e da discussão entre ele e Dorival Junior?


Hoje, 1 a 0 é goleada

Do time que jogava com três atacantes, o Santos virou uma equipe com três volantes. O medo de uma nova derrota fez o técnico Dorival Junior povoar o meio-campo e escalar apenas Neymar e Keirrison à frente, no jogo desta noite, às 18h30m, contra o Atlético Goianiense, na Vila Belmiro.

O Alvinegro entrará em campo com Felipe, Pará, Edu Dracena, Bruno Aguiar e Léo; Roberto Brum, Danilo, Marquinhos e Alex Sandro; Neymar e Keirrison.

Como se vê, Dorival preferiu improvisar Alex Sandro no meio do que escalar Alan Patrick, Zé Eduardo ou Madson no setor, o que tornaria o time mais ofensivo. Ele diz que Alex Sandro, rápido, pode fazer este papel. Vejamos.

Aqui entre nós, aposto que se o Santos não estiver vencendo até o início do segundo tempo, Alan Patrick, Madson e Zé Eduardo entrarão na equipe. Mas Dorival tem sido tão imprevisível, que só para me contrariar ele pode colocar o Marcel, Jefferson e Breitner. Não, não falei sério…

Assisti à partida inicial do Campeonato Brasileiro Sub-23, entre Santos e Avaí e confesso que, além de Felipe Anderson, não vi nenhum santista com potencial para um dia ser chamado de craque. Breitner, Serginho, Adriano, Tiago Luís… Ninguém ainda está pronto para ao menos ficar no banco de reservas dos profissionais. O tal do Possebon pode ser bom, um dia, mas por enquanto é mais ou menos.

Está certo que o Sub-23 não teve tempo para treinar, enquanto o Avaí estava se preparando há dois meses para a competição e nesta partida usou quatro jogadores do seu elenco profissional. Mas nem individualmente deu para perceber algo de especial neste Santos.

A não ser, repito, Felipe Anderson, o único que numa jogada poderia definir a partida. Pena que o técnico Marcelo Martellote tenha substituído o rapaz justamente quando ele se apresentava mais para o jogo. Martelotte o tirou para colocar Choco. Uma lástima.

Bem, mas falando do jogo dos profissionais, o Atlético Goianiense, que vem fazendo ótima campanha de recuperação e pode sair da zona de rebaixamento se vencer, terá o mesmo ataque que acabou com o Palmeiras no Pacaembu, e o técnico René Simões promete ir pra cima do Santos com Márcio; Victor Ferraz, Daniel Marques, Jairo e Thiago Feltri; Pituca, Ramalho, Diguinho e Róbston; Elias e Josiel.

Jogo perigoso

O jogo é perigoso não só pela equivalência técnica das duas equipes – com exceção de Neymar, o único craque em campo –, mas também pelo momento delicado que o Santos atravessa. O time vem de duas derrotas, jogando mal, e está a meio caminho entre o líder e a zona de rebaixamento.

O elenco está se mostrando bem limitado e Dorival Junior tem errado continuamente na escalação e nas substituições. Hoje a paciência do torcedor não deverá durar muito. É bom que o time termine o primeiro tempo na frente, ou o clima poderá ficar ruim e se voltar contra os jogadores.

Outro detalhe a se analisar é o público na Vila Belmiro. Os santistas de Santos reclamaram muito de o clube andar jogos no Pacaembu, alegando que a casa do Santos é a Vila Belmiro. Hoje, portanto, se espera que ao menos os 15 mil lugares da Vila estejam tomados, se bem que eu duvide disso.

Por fim, algo que espero não se torne um problema, mas não se pode deixar de lembrar que o árbitro escalado para a partida é o gaúcho Leandro Pedro Vuade, o mesmo que não validou o gol legal de Danilo contra o Flamengo, o que tirou dois preciosos pontos do time quando ele estava no encalço dos líderes. Vuade será auxiliado por Alexandre A. P. Kleiniche e Carlos Henrique Selbach, ambos do Rio Grande do Sul.

Bem, vamos ao jogo que pode ser um divisor de águas: ou empurrar o Santos para a parte de baixo da tabela, ou fortalecê-lo na busca por um título improvável, mas ainda possível. E depois do jogo, volte aqui para dar sua opinião, tá?


Deuses do futebol querem compensar o Santos

Eu sabia que perder para o Botafogo no Pacaembu, com um gol no último minuto do Loco Abreu era um castigo muito grande. Algum deus do futebol novato estava de plantão na quinta-feira.

Mas, para compensar, hoje o Corinthians perdeu do Grêmio no Pacaembu lotado, e em Goiânia o Atlético Goianiense venceu o Fluminense. Detalhes: Douglas, ex-ídolo da Fiel, fez o gol dos gremistas, e o Corinthians teve mais um pênalti mandrake a seu favor, batido por Iarley e defendido por Victor.

Em Goiânia o Fluminense tinha um jogador a mais e ainda perdeu pode 2 a 1, com um gol no finzinho.

Bem, agora só falta os Meninos da Vila vencerem o Ceará em Fortaleza, amanhã, e tudo voltará a ser como antes de quinta-feira. A esperança santista está mais viva do que nunca.

Você acha que depois dessa mão gigantesca de hoje, os deuses do futebol colocarão o Santos novamente no rumo da tríplice coroa, ou é sonhar demais? (Deixe o comentário que libero mais tarde, tá? Abraço).


Brasileiro: o que esperar desta primeira rodada

Neymar e André: armas do Santos contra o Botafogo

Hoje, 18h30m

Botafogo x Santos
Os campeões de Rio e São Paulo se encontram logo de cara. O primeiro, completo, o segundo, sem cinco titulares. Mas Neymar, André, Marquinhos e Wesley jogarão, o que pode manter alto o padrão de jogo dos santistas. O matreiro Joel Santana promete apagar o brilho dos Meninos. Mas o empate deixaria todo mundo mais ou menos satisfeito.

Atlético-GO x Grêmio
Empolgado pela ótima fase, o campeão goiano, semifinalista da Copa do Brasil, sabe, entretanto, que desde o início deverá jogar para ficar longe das últimas posições. Portanto, para o Grêmio pode ser apenas uma estreia, mas para o time de Goiás é muito mais do que isso. E vontade, a gente sabe, decide partidas.

Palmeiras x Vitória
Se o Vitória, semifinalista da Copa do Brasil, poupar titulares, aumentarão as chances de Antonio Carlos Zago segurar-se no cargo. Do contrário, um Palmeiras à beira da crise viverá mais alguns momentos de muita tensão no Parque Antártica.

Amanhã, 16 horas

Flamengo x São Paulo
O São Paulo tem jogado mal. O Flamengo também. Mas passar pelo Corinthians na Libertadores deu novo ânimo ao time carioca, que estará mais motivado do que o tricolor.

Atlético-MG x Vasco
No Mineirão, com Diego Tardelli e Muriqui em grande fase, o Atlético é franco favorito.

Internacional x Cruzeiro
Dois brasileiros que podem vencer a Libertadores, Inter e Cruzeiro fazem um jogo em que só mesmo o local pode fazer o favoritismo pender para o time gaúcho.

Corinthians x Atlético-PR
O Atlético-PR não é mais o mesmo da primeira metade da década, mas pode aproveitar a quase-crise do Corinthians para ao menos segurar o empate, o que já seria desastroso para o time do quase-demissionário Mano Menezes.

Amanhã, às 18h30m

Ceará x Fluminense
Não sei como o Ceará tem jogado. Mas o Fluminense não inspira confiança e não deve estrear com vitória em Fortaleza.

Guarani x Goiás
O Guarani já estreia tentando fugir da zona de rebaixamento. O time é um dos mais fracos do campeonato e não pode perder chances de fazer pontos em casa.

Avai x Prudente
Dois times emergentes. Mesmo jogando em casa, o Avaí não é muito favorito contra o Grêmio Prudente, que sempre monta times competitivos no Brasileiro.

E você, o que acha que acontecerá nesta primeira rodada do Brasileiro?


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑