O santista vive dias ansiosos. Vê o Santos na Copa São Paulo com a esperança de testemunhar o surgimento de novos Pitas, Juarys, Robinhos, Diegos… E ao mesmo tempo faz as contas para que o clube não fique inadimplente. A primeira parte é com os Meninos e só nos resta torcer. A segunda depende de agilidade, criatividade e trabalho, mas parece que a diretoria está optando pelo caminho mais fácil: o de empurrar com a barriga, ou seja, antecipar cotas de tevê.

No campo, mesmo com um jogador a mais durante a maior parte do tempo, o Santos chegou a estar perdendo por 1 a 0, virou para 3 a 1, sofreu mais um gol, e só no final fechou a vitória em 4 a 2 sobre o voluntarioso, mas limitado, Babaçu.

Alguns jogadores santistas têm habilidade, mas o time se embanana quando se aproxima da meta adversária. Falta decisão e uma finalização melhor. Um time treinado por Pepinho, filho do “Canhão da Vila”, tem a obrigação de ter uma melhor aproveitamento nos arremates.

Infelizmente, tive a impressão de que nenhum desses garotos parece pronto para o profissionalismo, se bem que para alguns parece faltar pouco – casos de Serginho, Caio, Matheus Augusto, Fernando… Talvez seja mais uma questão psicológica, uma falta de orientação, o certo é que dificilmente fazem uma jogada perfeita.

Mas alguns não parecem merecer a camisa de titular do Santos. Esperarei os próximos jogos para ter uma ideia melhor antes de descer a lenha. Na sexta-feira o Santos enfrenta o Linense, o time da casa, e se não vencer com folga poderá perder o primeiro lugar do grupo e talvez até ser eliminado. Não me surpreenderia esse desfecho triste, pois este time é bem mais imaturo do que os que deram o bicampeonato da Copa ao Santos.

Como fazer dinheiro em pouco tempo?

Com as contas se amontoando na mesa do presidente, o Santos está fatiando os passes de seus principais jogadores e tentando antecipar cotas de tevê. Isso condenará o time também nas próximas temporadas. Será que não há outro jeito de fazer dinheiro?

As arrecadações, as ações de marketing e uma nova campanha de sócios podem remediar a situação, mas não dá tempo para esperar. Os credores querem os pagamentos para ontem. Os últimos milhões emprestados pela Doyen pagaram só um dos quatro meses de atrasos.

O que não se entende é o clube falando em contratar jogadores. Ora, se não tem nem como pagar os jogadores atuais, por que não dar uma boa enxugada no elenco e experimentar uma equipe mais jovem e barata no Campeonato Paulista?

E você, sabe como o Santos deve fazer dinheiro em pouco tempo?