Lá se vão Jonathan, Alan Patrick, Alex Sandro e, provavelmente, Danilo. Ao mesmo tempo chegam Ibson, Henrique, Alan Kardec e Leandro Silva. O que o Santos ganha e perde com essas mudanças?

Bem, é evidente que perde na lateral-direita. Jonathan passa mais tempo na enfermaria do que no campo, mas, quando joga, é um lateral excelente. Creio que tenha sido o melhor que passou pelo Santos na última década, melhor mesmo do que Maurinho, o campeão brasileiro de 2002.

Pena, porém, que Jonathan tenha tantos e seguidos problemas físicos. Creio que Leandro Silva, o jovem que chega do Atlético de Sorocaba, será mais consistente. Confesso que nunca o vi jogar, mas me causou boa impressão na entrevista. Creio que será o titular, pois se marcar e apoiar mais ou menos já será melhor do que o eternamente problemático Pará.

A saída de Alex Sandro terá de ser reposta, pois Léo não consegue jogar partidas seguidas e precisa de um bom substituto. Mas não creio que o Santos perderá muito com a ausência de Alex, que deu a impressão de que poderia ganhar a posição de Léo – principalmente depois daquele gol de cobertura contra o Cruzeiro, no Brasileiro do ano passado –, mas nunca se firmou.

Errático na defesa e no ataque, sem muita personalidade, Alex Sandro não fará falta. O Menino da Vila Alan Patrick era um pouco melhor, mas só um pouco. Habilidade Alan tem e creio que ainda crescerá como jogador, mas sua morosidade e falta de ânimo em alguns jogos fizeram com que o torcedor perdesse o entusiasmo com ele.

Mesmo Danilo, autor de dois gols importantes na Libertadores, que atuou tanto na lateral, como no meio, não fará tanta falta. Sua disposição foi importante em alguns jogos, mas em outros se mostrou inseguro, principalmente quando lhe cabia fazer o chamado último passe.

Com as contratações de Ibson e Henrique o meio-campo estará mais bem servido e certamente ficará mais forte, desde que o clube consiga manter Adriano, Arouca, Paulo Henrique Ganso e Elano. A perda de Ganso, por exemplo, enfraqueceria bastante o setor.

Parece que Henrique já vem machucado e muitos santistas se arrepiaram com a notícia, pois logo se lembraram de Charles, o ex-cruzeirense que passou meses em tratamento e nunca mais ficou bom. Quanto a Ibson, joga bem, tem habilidade e algo me diz que poderá se encaixar bem no time.

Com relação a Alan Kardec, o único contratado para o ataque, confesso que nunca gostei de seu futebol. Considero-o atrapalhado, o tipo de “artilheiro” que mais perde gols do que faz. Porém, sou obrigado a admitir que ainda assim é melhor opção do que Keirrison, a pior contratação santista dos últimos anos.

Por enquanto, o que se pode dizer é que dessas perdas e ganhos o Santos voltou a ficar com um buraco na lateral-direita e um buraquinho na lateral-esquerda, melhorou no meio e está na mesma no ataque.

Com o Real Madrid em crise, Florentino Pérez colocará dinheiro do bolso

O engraçado desse encontro, em Paris, entre Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, e Luis Álvaro Ribeiro, presidente do Santos, é que em que pese toda a fama de bem estruturado do clube espanhol, Pérez está agindo como Marcelo Teixeira agia no Santos, ou seja, colocando dinheiro do próprio bolso para reforçar o elenco, já que a dívida do clube é enorme.

Acho engraçado porque o modelo pessoal de administração de Marcelo Teixeira foi e é muito criticado por Luis Álvaro Ribeiro e hoje o presidente do Santos negocia com um dirigente que usa os mesmos métodos de Teixeira. Seria irônico se o personalista Pérez contratasse Neymar, a esperança santista de fazer o Alvinegro Praiano voltar a ser um dos melhores do mundo.

Engenheiro, empresário e bilionário, Florentino Pérez, de 64 anos, cuja fortuna está avaliada em um bilhão e 800 milhões de dólares, assumiu a presidência do Real Madrid com a determinação de novamente dar ao clube ao menos um grande jogador por ano.

Foi ele quem contratou Kaká, em 2009, por 65 milhões de euros. Mas Kaká, que sofre de um problema crônico nos quadris, não está correspondendo ao investimento. Pérez sabe que Neymar causaria um impacto maior no Real, mas não tem mais os 65 milhões de euros que deu por Kaká, por isso está oferecendo bem menos pelo craque santista e usando todas as formas de pressão para fechar o negócio.

A perspectiva para o futebol espanhol, para o Real Madrid e a Espanha não é nada animadora. Um dos países mais endividados da Europa, a Espanha pode mergulhar em uma crise econômica sem precedentes a qualquer momento. Se isso acontecer, contratos e pagamentos não serão cumpridos e muito jogador ficará sem receber salários em dia. Se receber…

A tentativa de Florentino Pérez de contratar Neymar – jogador que a imprensa mundial já dá como o único capaz de destronar Messi –, beira o desespero. Pérez sabe que o rival Barcelona alcançou um nível que dificilmente será igualado, a não ser que o Real se torne uma autêntica seleção do mundo e que tenha um ídolo capaz de rivalizar com Lionel Messi.

A estratégia de Pérez é negociar Kaká, talvez o devolvendo ao Milan pela metade do que pagou por ele, e com esse dinheiro contratar Neymar. Mas é pouco. Seria um crime abominável o Santos vender Neymar por 40 milhões de euros, dois terços do que o Real pagou pelo decadente Kaká.

Hoje tem garotada em campo

Hoje o Santos volta à sua casa e às 21 horas enfrenta o Atlético Mineiro na Vila famosa. Espero que os santistas de Santos estejam com saudades do time campeão da Libertadores e compareçam ao Urbano Caldeira para este importante compromisso. Mesmo no início da competição e apesar dos desfalques, a vitória é essencial.

Como, infelizmente, se esperava, o Alvinegro Praiano, que tem jogado sem seus titulares mais importantes, beira a zona de rebaixamento. Sua única vantagem são os dois jogos que tem a menos. Porém, se não vence-los, não adiantará nada. Hoje é dia de buscar os três pontos.

Mas não será fácil. O Atlético causou boa impressão na vitória sobre o América Mineiro e Muricy Ramalho talvez não posso escalar os melhores que sobraram. Léo está se tratando de um resfriado com sinusite; Edu Dracena e Borges também não estão cem por cento.

Mas, como crise é sinônimo de oportunidade, é hora de as individualidades sobressaírem. Eu continuo com o sonho de ver, um dia, Tiago Alves e Felipe Anderson arrebentarem. Um pela velocidade e outro pela categoria e visão de jogo. Algo me diz que esse Roger Gaúcho também desencantará, assim como o Richely. Sem contar o experiente Borges.

Sou um otimista, eu sei. Na verdade, todo santista é. Temos a esperança de que em um sábado pacato, em um jogo qualquer na Vila de tantas histórias, testemunhemos o surgimento de mais um craque, um ídolo, um jogador repentina e eternamente tomado pelos poderes dos deuses do futebol. Com este espírito é que verei o jogo de hoje.

O que você achou das trocas do Santos? Somando quem vai embora e quem chega, o time ganhou ou perdeu? E o que você espera do jogo de hoje?