Blog do Odir Cunha

O ombudsman do Santos FC

film izle

Tag: Basílio

Jogos que faltam para completar 7 vitórias seguidas, como em 2004

No Brasileiro de 2004 o Santos, dirigido por Vanderley Luxemburgo, estava quase na zona de rebaixamento, mas empreendeu uma arrancada com sete vitórias consecutivas e acabou chegando ao título. Desta vez também há santistas que acreditam nos sete triunfos seguidos como o antídoto para anular todos os percalços e a má sorte que a equipe teve até agora na competição.

Como venceu ontem ao Cruzeiro, na Vila, apesar de tremendamente desfalcado, não é exagero imaginar que, com a volta de alguns titulares, possa continuar vencendo os próximos jogos. Sim, mas quais são os adversários que o Alvinegro Praiano terá pela frente?

Bem, os seis a seguir, pela ordem, são: Corinthians (Pacaembu), América/MG (Minas), Figueirense (Vila Belmiro), Fluminense (Engenhão), Palmeiras (Vila Belmiro) e Atlético/MG (Minas). E aí, o que você acha? Dá para vencer todos?

Se o Santos se sair bem nesses jogos, poderá realmente brigar pelo título, pois terá uma tabela favorável até o final da competição. Nas suas nove partidas restantes, terá o mando de jogo em cinco delas: Grêmio, Atlético/PR, Vasco, Atlético/GO e Bahia. Os quatro jogos que fará no campo do adversário serão contra Flamengo, Ceará, Coritiba e São Paulo.

Um detalhe: sete era o número de sorte do ex-presidente Marcelo Teixeira. Espero que o número de sorte de Luis Álvaro Ribeiro seja oito, nove, dez, onze, doze, treze, quatorze…

Jogos que faltam ao Santos

Analise os jogos do Santos até o final do Campeonato Brasileiro. Além destes citados abaixo, haverá os dois atrasados, contra o Grêmio, no Estádio Olímpico, e contra o Botafogo, na Vila Belmiro, a serem jogados em outubro.

18/09 – Corinthians, às 16 horas, no Pacaembu
21/09 – América/MG, às 20h30m, em Minas Gerais
24/09 – Figueirense, às 18 horas, no Pacaembu (ou será na Vila?)
01/10 – Fluminense, às 18 horas, no Engenhão
09/10 – Palmeiras, às 16 horas, na Vila Belmiro
12/10 – Atlético/MG, às 21h50, na Arena do Jacaré
15/10 – Grêmio, às 16 horas, na Vila Belmiro
22/10 – Flamengo, às 16 horas, no Engenhão
29/10 – Atlético/PR, às 16 horas, na Vila Belmiro
05/11 – Vasco, às 16 horas, na Vila Belmiro
12/11 – Ceará, às 16 horas, no Presidente Vargas
16/11 – Atlético/GO, às 21h50m, na Vila Belmiro
19/11 – Coritiba, às 16 horas, no Couto Pereira
26/11 – Bahia, às 16 horas, na Vila Belmiro
03/12 – São Paulo, às 16 horas, no Morumbi

As sete vitórias de 2004

No Brasileiro de 2004 as sete vitórias consecutivas ocorreram da nona à décima-quinta rodada. Começou com a partida contra o Vitória, em Salvador, em 16 de junho, vencida por 2 a 1, e terminou com o triunfo sobre o Flamengo, em 13 de julho, na Vila Belmiro, por 2 a 0.

Confira os sete jogos: Vitória/BA, Salvador, em 16/06, 2 a 1; Internacional, Vila Belmiro, 20/06, 3 a 0; Guarani, Pacaembu, 26/06, 2 a 1; Corinthians, 04/07, Pacaembu, 3 a 2; Ponte Preta, Campinas, 07/07, 4 a 0; São Paulo, Vila Belmiro, 10/07, 2 a 1, e Flamengo, Vila Belmiro, 13/07, 2 a 0.

Reveja os gols da vitória sobre o Flamengo, a sétima consecutiva em 2004. Perceba como o time era ofensivo. Nos dois gols havia pelo menos quatro santistas na área do adversário. Não foi à toa que em 2004 o Santos bateu o recorde de gols em um Brasileiro, com 103.

Fez as contas? Analisou as possibilidades? Ainda dá para ser campeão?


O maior adversário do Santos tem sido o olho gordo

Era julho. Estávamos jantando no Shopping Pátio Iporanga, em Santos, esperando a abertura da exposição 100 anos de futebol arte, do artista Paulo Consentino, quando a Suzana sorriu ao ver um daqueles vídeos com os Meninos da Vila brincando na concentração e disse: “Eles nunca vão esquecer desse momento de suas vidas”.

Na verdade, as pessoas que amam o futebol e têm o coração puro, jamais esquecerão o primeiro semestre de 2010, quando o esporte se misturou com a arte e um grupo de rapazes reverteu a ordem das coisas e provou que os bons tempos sempre podem voltar, que é possível trabalhar com alegria e ser muito bem recompensado por isso, que a amizade pode prevalecer mesmo entre competitivos jogadores de futebol.

Mas nem todos ficaram felizes com as exibições espetaculares do Santosno Campeonato Paulista e na Copa do Brasil. É que os seres humanos, ao menos a maioria, têm uma atração irresistível para a mediocridade. O novo incomoda, pois traz parâmetros desconhecidos, tira as pessoas de uma zona de segurança. Por isso, só os jovens, ou de espírito jovem apoiaram os Meninos, quanto os tradicionalistas e hipócritas implicaram tanto com as “dancinhas” dos garotos, com o cabelo do Neymar, com o que faziam fora do campo…

Uma parte da imprensa, a boa, ressaltava o futebol, os gols, as grandes jogadas e o ambiente alegre do Santos. Aí vocêr pode incluir Tiago Leifet, Jô Soares, Cléber Machado… Outra parte, a invejosa, fuçava e divulgava os “problemas” fora de campo, chamava o Neymar de cai-cai e batizava o futebol santista de “bailarino”.

É claro que esta ala negra da imprensa era apoiada com entusiasmo por boa parte da população. Infelizmente o sentimento mais comum no ser humano é a inveja. E o pior é que as pessoas que a sentem são conscientes disso. E como a piedade é um sentimento mais nobre, o invejoso primeiro torce pela desgraça alheia, para depois ter o prazer de ficar com dó.

Muitos do que agora se dizem pesarosos com a situação do Ganso, passaram a maior parte do tempo torcendo para que o Quarteto Santástico se desmanchasse. Vibraram com a volta de Robinho para a o medíocre Manchester City, ficaram aliviados com a ida de André para o obscuro Dínamo de Kiev, com a de Wesley para o gelado Werder Bremen e agora, no fundo, estão felizes com a longa ausência de Ganso dos campos.

Bem que eu escrevi, há cerca de um mês, que a o Santos deveria vencer camisas com um raminho de arruda, pois o olho gordo dos adversários há estava pesando sobre o ombro dos santistas. Sair com a camisa do satos na rua passou a ser olhado como mania de grandeza.

Céticos, lembrem-se de 2004

As saídas de Robinho, André e Wesley e a contusão de Ganso não podem ter sido por acaso. Os deuses do futebol não podem permitir que a arte e a beleza sejam punidas. Alguma coisa muito boa deve vir por aí para compensar tanta tristeza.

Lembro que em 2004 o Santos teve de superar obstáculos magníficos para chegar ao título. Só de gols legítimos anulados teve 11, além de várias perdas de mandos de campo e, para culminar, o seqüestro da mãe de Robinho, que obrigou o craque a ficar várias partidas fora do time.

Naquele ano, aliás, o Santos viveu um momento crítico. Já se estava na reta final do segundo turno e o time, tentando perseguir o líder Atlético Paranaense, teve de jogar contra o Goiás no interior paulista e ainda com muitos reservas.

O pior é que o Goiás vencia por 1 a 0 até os 38 minutos do segundo tempo, quando os reservas Basílio e William fizeram os gols de uma vitória dramática que mantiveram o Santos na briga pelo título – que, finalmente, veio em São José do Rio Preto.

Reveja agora os gols de uma das vitórias mais importantes do Santos em 2004. Com reservas e contra o mesmo Goiás que enfrentará amanhã no Pacaembu.


© 2017 Blog do Odir Cunha

Theme by Anders NorenUp ↑