O norte-americano Tab Ramos está no chão, com o maxilar fraturado. Leonardo está sendo expulso e deixará o Brasil com um a menos em um jogo eliminatório da Copa. Este é o conselheiro do Ganso.

Copa de 1994. O Brasil enfrenta os Estados Unidos, os anfitriões, em um jogo eliminatório pelas oitavas-de-final. Os norte-americanos estão especialmente motivados porque a partida é realizada justamente no dia da independência do país.

O jogo está 0 a 0 quando, em jogada sem maiores consequências, pela lateral, o brasileiro Leonardo dá tremenda cotovelada no norte-americano Tab Ramos, fraturando-lhe o maxilar, e é expulso imediatamente, colocando em risco a vitória do Brasil e sua permanência na Copa – que só foram obtidas graças a um gol chorado de Bebeto.

Pela irresponsabilidade, Leonardo, mesmo ainda sendo convocado para a Seleção Brasileira (eu tinha dito neste post que ele nunca fora convocado, mas me enganei, tanto que puxou o tapete de Giovanni na Copa de 1998), mas nunca mais se destacou, nunca mais teve a confiança do torcedor brasileiro.

Do Milan ele passou para o rival Inter sem a menor cerimônia. Mesmo amado pela torcida do Flamengo, em recente visita ao Brasil disse que a dívida do clube carioca era “impagável”. Ou seja, Leonardo não demonstra empatia por clubes ou pela Seleção Brasileira. Segue a cartilha Leonardo Futebol Clube, a mesma que deve estar ensinando ao Ganso.

Hoje técnico da Inter de Milão, elegante e falador, seduziu Paulo Henrique Ganso para sair do Santos e jogar na Itália – onde o futebol é violento e o risco de contusões graves é maior do que no Brasil. Se estivesse mesmo preocupado com o futuro do jovem maestro brasileiro, saberia que o melhor para ele seria levar seu talento para um país que valoriza mais o futebol bem jogado e não prima por uma marcação dura, como a Espanha.

Mas Leonardo quer Ganso na sua Inter e por isso usa o jogador para reduzir a multa e facilitar a negociação. É claro, porém, que a culpa maior pelo desentendimento entre Santos e Ganso é do próprio jogador, mas ele está se baseando em conselhos de algumas pessoas para tomar suas decisões, e estas pessoas são, principalmente, Leonardo e os homens da DIS.

Reveja a inesquecível “atuação” do mentor de Ganso na Copa de 1994: